Dieta vegan para cães This article is verified by a vet

cão a comer pimento verde na cozinha

O veganismo está muito na moda entre as pessoas. Mas não deve optar por uma dieta vegan para os seus animais sem ponderar muito bem.

Adotou uma alimentação vegan já há algum tempo e gostaria de fazer o mesmo em relação ao seu cão? Embora a dieta vegan para cães, gatos e outros animais domésticos já não seja assim tão fora do comum, é importante levar esta questão (controversa) muito a sério.

Carne versus plantas: de que precisam os cães? 

Ao contrário dos gatos, os cães não são estritamente carnívoros, mas sim omnívoros-carnívoros. Portanto, além dos elementos de origem animal, os cães conseguem digerir componentes vegetais. Porém, isto não significa que os cães devam comer comida sem carne incondicionalmente.

Na verdade, além dos dentes, todo o trato intestinal do seu cão está, em primeiro lugar, adaptado à ingestão de carne. Pois não é por acaso que os nossos patudos conseguem triturar um osso com os seus afiados caninos.

No entanto, em comparação com os seus antepassados, os lobos, os cães conseguem digerir hidratos de carbono vegetais (amido). Esta capacidade deve-se a certas enzimas, cuja formação os cães adquiriram ao longo de muitos anos de evolução.

Carências nutricionais: a dieta vegan para cães é perigosa? 

Infelizmente, alguns nutrientes essenciais para os cães, como a vitamina B12 ou a taurina não existem nos alimentos de origem vegetal ou encontram-se apenas em pequenas quantidades. Além disso, a comida vegan de pouca qualidade pode não ter tudo aquilo que faz falta aos cães.

Os défices nutricionais podem provocar danos nas células de órgãos importantes. Então, pode acontecer que o organismo do animal não produza células sanguíneas em quantidade suficiente. Assim, o cão pode ficar com anemia. Além disso, o seu sistema nervoso pode também sofrer danos em resultado de carências nutricionais permanentes.

Estudo atual acerca de comida vegan para cães

Em 2021, foi publicado um estudo da Faculdade de Medicina Veterinária (Universidade de Leipzig) sobre o assunto. Este estudo analisou quatro alimentos vegan completos para cães adultos. Portanto, foram analisados em detalhe os seguintes fatores:

  • Declaração do produtor
  • Recomendação nutricional do fabricante em relação à quantidade de alimento
  • Fornecimento de taurina e vitaminas

Resultados do estudo

Na sua maioria, os fabricantes respeitam a informação obrigatória acerca da declaração, em conformidade com o Regulamento 767/2009.

Porém, no que diz respeito às quantidades recomendadas, em dois dos produtos esta não correspondia à quantidade necessária calculada para um cão adulto. Aliás, um dos alimentos vegan para cães apenas satisfazia apenas 64% das exigências alimentares. No entanto, o outro alimento satisfazia-as em 121%, excedendo as necessidades normais de um cão adulto.

Além disso, o estudo chegou a conclusões surpreendentes quanto às percentagens de macro e de microelementos importantes. Pois eram entre 5,2 e 8,2 vezes mais elevadas do que as recomendações da European Pet Food Industry Federation.

Os investigadores também descobriram que as quantidades de proteína bruta, fibra bruta, fósforo, zinco e cobre eram ou insuficientes ou excessivas.

Conclusões do estudo veterinário

Este estudo conclui que nenhum dos alimentos vegan completos para cães satisfazia todas as necessidades recomendadas (em termos de energia e de nutrientes). Portanto, o consumo a longo prazo destes alimentos vegan podia provocar deficiências nutricionais nos cães.

cachorro bulmastife a comer uma cenoura
Cenouras, pepinos e outros vegetais costumam ser populares entre os nossos amigos de quatro patas. No entanto, uma dieta exclusivamente vegan pode ser perigosa para o seu cão.

Ética: os cães devem seguir uma dieta vegan por motivos éticos? 

Muitas pessoas optam por uma dieta vegan por motivos éticos. Não há dúvida de que é uma decisão que só diz respeito ao próprio e que, além disso, é vantajosa para o ambiente.

Mas será justo transferir a sua própria dieta para o seu patudo? E criticamente falando: será uma dieta vegan para cães considerada tortura contra os animais?

A lei n.º 8/2017, de 3 de março, estabelece o estatuto jurídico dos animais e diz-nos que:  

"1 - O proprietário de um animal deve assegurar o seu bem-estar e respeitar as características de cada espécie (...)" (Artigo 1305.º-A)

"2 - Para efeitos do disposto no número anterior, o dever de assegurar o bem-estar inclui, nomeadamente: a) A garantia de acesso a água e alimentação de acordo com as necessidades da espécie em questão." (Artigo 1305.º-A)

Portanto, do ponto de vista veterinário, é evidente que a dieta dos cães deve ser de qualidade e apropriada à espécie. Assim, se segue uma dieta vegan e faz o mesmo com o seu cão, repense o assunto. Pois se elegeu esta alimentação pelo bem-estar dos animais, não deve descurar o bem-estar do seu próprio cão. Se assim não for, é uma enorme contradição, não acha?

Conclusão: uma dieta vegan para cães é boa para estes animais?

Sem dúvida que a intenção das dietas vegan para cães é boa. Mas de acordo com os conhecimentos científicos atuais, não deve alimentar o seu cão com uma dieta exclusivamente vegan.

Porque vários estudos veterinários chegaram à conclusão que uma dieta exclusivamente vegan para cães pode ter graves consequências. O défice de nutrientes essenciais é uma delas. Além disso, não é possível descartar que esta malnutrição possa ser fatal a longo prazo.

O que fazer em alternativa para o bem-estar dos animais

Se pretende ter um papel na proteção animal e do ambiente, sugerimos que se informe junto de organizações de relevo (WWF, por exemplo). Obterá conselhos simples e menos arriscados para fazer a diferença na proteção do ambiente no seu quotidiano.

Se pretende dar ao seu cão uma dieta parcialmente vegetariana (sem carne), também deve ter algumas coisas em mente. Antes de fazer quaisquer alterações na alimentação, contacte um veterinário. Juntos podem planear as refeições do seu cão de acordo com os seus valores sem prejudicar a saúde do seu patudo.

Fontes:

  • Janine Starzonek, Lara von Lindeiner, Ingrid Vervuert: Beurteilung in Deutschland erhältlicher veganer Alleinfuttermittel für Hunde und Katzen, Tierärztliche Praxis. Ausg K Kleintiere Heimtiere, Nr. 49:4, S. 262-271
  • journalmedizin.de
  • RVA Zafalon et al.: Vitamin D metabolism in dogs and cats and its relation to diseases not associated with bone metabolism, J Anim Physiol Anim Nutr (Berl), Nr. 104:1 (2020), S. 322-342; Online-Version
  • F Hanisch, L Toresson, T Spillmann: Cobalaminmangel bei Hund und Katze, Tierärztliche Praxis. Ausg K Kleintiere Heimtiere, Nr. 46:5 (2018), S. 309-314
  • WD Mansilla et al.: Special Topic. The association between pulse ingredients and canine dilated cardiomyopathy. Addressing the knowledge gaps before establishing causation, Journal of Animal Science, Nr. 97:3 (2019), S. 983-997; Online-Version
  • Zafalon RVA, Risolia LW, Vendramini THA. et al. Nutritional inadequacies in commercial vegan foods for dogs and cats, PLoS One, Nr. 15:1 (2020); Online-Version
  • CM Gray, RK Sellon, LM Freeman: Nutritional adequacy of two vegan diets for cats, J Am Vet Med Assoc., Nr. 225 (2004), S. 1670-1675 
  • focus-tierarzt.de
  • tierrecht-anwalt.de
  • fediaf.org

Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes