Profissão: dog sitter

como ser um dog sitter

passear cães

Como ser dog sitter?

Há já algum tempo que o dog sitting é uma moda nos Estados Unidos da América (EUA). Quando os donos não têm tempo suficiente para passear o seu cão contratam um dog sitter, que o faz em troca de um valor combinado. Soa a dinheiro fácil? Longe disso! Se quer ser um dog sitter, irá precisar não só de uma coleira e de uns bons sapatos, mas também de know-how e de experiência.

O que faz um dog sitter?

Os cães precisam de fazer muito exercício e de serem estimulados, tanto física como psicologicamente. Atividade física insuficiente e aborrecimento conduzem a comportamentos indesejados nestes nossos companheiros. Mas a verdade é que muitos dos donos raramente preenchem as necessidades de atenção e de exercício dos seus patudos. Seja porque estão demasiado ocupados com obrigações profissionais ou porque a sua condição física não lhes permite caminhar durante muito tempo. É aqui que os dog sitter oferecem os seus serviços: por um valor previamente acordado, estes profissionais passeiam os cães dos clientes. Levando-os até ao parque ou até áreas de campo, onde fazem exercício e se mantêm ocupados.

Dog sitter: é uma profissão?

Especialmente nas grandes cidades, onde imensa gente – e imenso cães! – partilham todo esse espaço, é efetivamente possível ganhar dinheiro passeando cães que não os nossos. É um alívio para os donos saberem que podem contar com dog sitters experientes para tratar desta tarefa. Enquanto trabalham no centro da cidade, o patudo está a libertar a sua energia no parque, na floresta ou no campo. Esta atividade não é ainda reconhecida profissionalmente na Europa, embora a procura esteja a aumentar visivelmente. Existem cada vez mais pessoas a oferecer os seus serviços como dog sitters, em regime de full ou part-time. Ao mesmo tempo, escolas de treino para cães e outros centros de formação canina, apercebendo-se da tendência, disponibilizam cursos de treino, presenciais ou online, e outros cursos educacionais concebidos para profissionalizar a atividade de dog sitter.

É necessária formação?

Para dar um passeio com o cão do vizinho não é, naturalmente, necessário frequentar nenhum curso. Todavia, se pretende oferecer os seus serviços como dog sitter profissional é importante que detenha suficientes conhecimentos sobre cães. Pois não irá somente passear o bem-comportado Labrador do vizinho, mas sim um grupo de cães de diferentes raças e personalidades. Esta é uma enorme responsabilidade e qualquer dog sitter deve estar bem ciente disso. Facto é que muitas vezes os cães se comportam de maneira diferente em grupo. Se, repentinamente, um macho mostra dominância sobre outro cão do grupo ou agressivo, o dog sitter tem que saber reagir e resolver a situação rapidamente. Nestes casos, a experiência com o seu próprio cão ou com o do vizinho não é suficiente. É imperativo que qualquer dog sitter tenha experiência em lidar com cães, já que terão que lidar com temperamentos diversos.

Estar ciente da responsabilidade

Dedicar-se à leitura de literatura especializada, lidar com várias raças e trocar informações com dog sitters experientes são passos fundamentais para ser um bom profissional. E ainda que não exista formação profissional, faz sentido considerar opções de treino para dog sitters oferecidas por diversas organizações, instituições ou associações. Um dog sitter não necessita de um certificado de aptidão para desenvolver a sua atividade. Necessita apenas de um certificado ou atestado de frequência de um curso ou de uma licença. Assim, não só causará boa impressão a potenciais clientes, como se sentirá mais confiante. Para ter sucesso como dog sitter uma boa reputação é fundamental e a melhor forma de a conquistar é através do profissionalismo. Demonstrando diariamente aos clientes que não escolheu esta atividade por acaso.

O que se pode aprender num curso para dog sitters?

Os conteúdos, duração e custos de um curso para dog sitters podem variar bastante de acordo com a instituição que o providencia. Um fornecedor sério alia sempre a teoria a uma parte prática bastante extensa. A parte teórica inclui a aprendizagem das regras fundamentais da educação de um cão, além da abordagem das questões legais aplicáveis e do seguro requerido. Estes são conhecimentos a aplicar na prática quotidiana. Não se trata de aprender como treinar e ensinar a um cão os comandos básicos, mais sim de compreender os comportamentos de grupo dos cães. De que modo as atitudes de um cão se alteram quando em grupo? Que tipos de personalidade funcionam bem em conjunto e podem ser agrupadas? De que forma o comportamento de um só cão afetam o dos restantes?

Os participantes do curso têm também a oportunidade de praticar a sua confiança como dog sitters e de serem seguidos e liderarem com destreza um grupo de cães. Os animais devem estar atentos aos seus sinais e não devem distrair-se com outros estímulos em seu redor. Em diversas situações será testada a sua capacidade de manter todos os elementos do grupo debaixo de olho, mesmo quando confrontado com incidentes inesperados. Irá também aprender a organizar o grupo, a selecionar os caminhos e trilhos disponíveis e a aprender a transportar os cães com segurança no automóvel. E ainda como estar informado acerca das medidas de emergência a tomar em caso de necessidade.

O que deve considerar um futuro dog sitter?

Além do conhecimento e experiência em lidar com cães e grupos de cães já mencionados, é importante que quem pretender tornar-se um dog sitter satisfaça outros critérios e formalidades. Quaisquer regulamentos existentes dependem da legislação de cada país, sendo fundamental informar-se atempadamente acerca dos mesmos. Antes de dar início à sua atividade defina se pretende associar-se a uma agência e se em part-time apenas por umas horas ou, pelo contrário, prefere fazê-lo como trabalhador independente. De acordo com a sua opção, diversas reuniões e documentos serão necessários junto das finanças ou da entidade patronal. Informe-se acerca do tipo de seguro requerido para um dog sitter, já que passear cães alheios não está isento de riscos. Um seguro de responsabilidade completo e, se necessário, um seguro de proteção jurídica irão ajudá-lo a limitar os riscos financeiros associados.

Quais as competências de um dog sitter?

O perfil de um dog sitter vai muito para além dos passeios. Se pretende ser bem sucedido nesta atividade, e ganhar dinheiro com a mesma, deve ter as seguintes qualificações:

  • Gostar de animais, no geral, e ter uma predileção especial por cães
  • Conhecimentos suficientes no que diz respeito a lidar e educar cães
  • Boa capacidade de resposta e saber agir rápida e adequadamente perante determinado comportamento do animal ou em situações de conflito
  • Ser confiante e assertivo quanto baste. Perante situações imprevistas não perder a calma e não entrar em pânico, demonstrando tranquilidade e confiança na presença dos cães. Ser meigo mas consistente ao lidar com os animais
  • Gosto por trabalhar ao ar livre, mesmo com mau tempo
  • Boa forma física e ter a capacidade para caminhar ou correr com os animais durante várias horas por dia
  • Postura amigável e confiante, apresentando-se como um profissional de confiança, não só ao lidar com animais mas também com pessoas – os donos dos animais querem, acima de tudo, sentir que os seus patudos estão em boas mãos
  • Seguro de responsabilidade civil e estar protegido contra os possíveis riscos associados ao trabalho como dog sitter
  • Horários de trabalho flexíveis e adaptar-se aos desejos dos clientes
  • Estar equipado apropriadamente (roupa impermeável e sapatos confortáveis e impermeáveis, isto é, que permitam caminhar longas distâncias sem problemas)

Como me transformo num dog sitter especialista?

Revê-se na descrição das competências de um dog sitter e acredita que tem as qualificações necessárias para desenvolver esta atividade? Excelente! Estão reunidas as condições básicas para se tornar num especialista. Porém, será necessário aguardar algum tempo até que possa ganhar o suficiente para se dedicar a full-time. Terá que ganhar clientes e convencê-los das suas qualificações, o que requer paciência, perseverança e, claro, uma boa angariação de clientes.

Ganhar experiência

Um passo de cada vez: em primeiro lugar, teste na prática se esta é a profissão certa para si. Por que não dirigir-se ao canil mais próximo ou perguntar na vizinhança se pode passear um ou outro cão em regime de voluntariado.

Já com alguma experiência, é tempo de dar os próximos passos. Procure adquirir novos conhecimentos, através de formações ou cursos para dog sitters na sua área. Na ausência de cursos específicos, certificados de participação em cursos online podem ser bastante úteis – não apenas em termos de know-how adquirido, como na aquisição de clientes.

Como obter clientes como dog sitter?

Frequentados os cursos adequados e depois de ganha experiência suficiente, tem início a parte mais importante do trabalho e aquela que é, para muitos, a parte mais difícil: aquisição de clientes. Distribua flyers pela vizinhança, consultórios veterinários ou escolas de treino para cães. Faça publicidade no Facebook, Instagram e outras redes sociais, coloque um anúncio no jornal da região ou na página da internet da sua área de residência. São inúmeros os canais atualmente disponíveis para se publicitar como dog sitter.

Dog sitter é uma atividade rentável?

Os dog sitters são habitualmente pagos de acordo com o número de horas de trabalho, cobrando entre 10 a 15 euros por hora. O valor que obtém com esta atividade depende de diversos fatores: uma boa carteira de clientes, experiência, boa reputação e a presença em ambiente urbano. É claro que as coisas não acontecem da noite para o dia. Precisará de algum tempo até convencer as pessoas em seu redor da utilidade da sua atividade e das suas competências como dog sitter. Mantenha-se positivo e não desista! Se, inicialmente, o regime de full-time não funcionar, opte pelo regime de part-time ou de voluntariado. Nas grandes cidades existem empresas que atuam como intermediárias e não há problema em começar assim. Ganhará não só experiência como contactos importantes para o ajudar a trilhar o seu próprio caminho. Se se der bem, obterá entre 500 a 1000 euros brutos por mês como dog sitter.

Desejamos-lhe todo o sucesso nesta sua nova atividade!

Os nossos artigos mais relevantes

Como educar um cachorro

Deve começar cedo a educar o seu cachorro e aproveitar o facto de serem curiosos para ensiná-los de forma divertida mas consistente.