Problemas digestivos em gatos

Problemas digestivos em gatos

Problemas digestivos em gatos

A dieta dos gatos domésticos em pouco se assemelha à sua alimentação em ambiente selvagem. Desde que domesticados, a alimentação destes felinos sofreu mudanças relevantes e essa será uma das razões pelas quais têm tantos problemas digestivos. Porém, também algumas doenças, intoxicações alimentares e outros problemas podem causar diarreia, vómitos e prisão de ventre!

A digestão do gato

Tal como no nosso caso, também a digestão dos gatos se inicia na boca: a comida é dividida com os caninos, depois mastigada pelos molares e misturada com a saliva produzida durante o processo. Esta é a primeira decomposição dos alimentos, que irá facilitar a passagem pelo esófago. A partir daqui, a comida desce até ao estômago e é misturada com a ajuda dos movimentos das paredes do estômago. Os ácidos gástricos matam as bactérias e outros transmissores de doenças com um pH ácido e as proteínas são pré-digeridas.

No intestino delgado a comida é dividida pelos seus elementos nutricionais. Os sucos digestivos do fígado e do pâncreas ajudam a decompor a comida nas suas partes mais pequenas. Estes componentes são, assim, absorvidos pela mucosa intestinal até ao sangue. Os nutrientes são transferidos a partir do sangue até ao fígado. A partir daqui, dirigem-se até às respetivas células.

Os compostos indigeríveis são transportados até ao intestino grosso e eventualmente excretados na forma de fezes. Esta é uma das últimas passagens dos compostos alimentares através do corpo do animal: a decomposição dos resíduos alimentares indigeríveis pelas bactérias. Vitaminas e minerais ainda presentes são aqui filtrados. Tudo o resto é eliminado nas fezes.

Sabia que, ao contrário dos vegetais, a carne é altamente digerível? Quanto mais importante for a proporção de vegetais na dieta de cada espécie, maior é o seu intestino. No gato, este órgão é extremamente pequeno, principalmente quando em comparação com os intestinos dos omnívoros. O comprimento do intestino humano é, aproximadamente, seis vezes o tamanho do corpo; no caso dos gatos, é apenas três vezes.

Problemas digestivos

A digestão é um processo complicado. Os vários órgãos trabalham em conjunto para que os nutrientes possam ser utilizados da melhor forma e os elementos indigeríveis possam ser eliminados sem problemas. No entanto, nem sempre as coisas correm bem: alergias, opções alimentares infelizes, problemas de saúde, medicação, stress crónico são algumas das situações que podem desregular o sistema digestivo do seu gatinho.

A verdade é que os gatos sabem o que lhes faz bem! Estes animais preferem alimentos cuja composição seja semelhante à de um rato. No entanto, nem sempre as opções nutricionais disponíveis nos supermercados ou lojas especializadas correspondem a esses requerimentos. Estes alimentos podem não apresentar a composição nutricional mais adequada, sendo sobrecarregados de hidratos de carbono sem valor nutritivo ou com açúcares e subprodutos de várias origens e ainda de ingredientes cujo potencial alergénio é elevado, como a soja e os cereais – estas são as causas mais frequentes dos problemas digestivos. Os sintomas são variados: alergias, prisão de ventre, vómitos e diarreia. Já sabe – se o seu gatinho está com problemas digestivos, a primeira coisa a fazer é atentar nas escolhas alimentares. No caso de sintomas menos graves, uma mudança na dieta pode ser suficiente. Por norma, os alimentos apropriados para a espécie constituem a melhor forma de prevenção destes problemas de saúde, mas sem garantia. Caso o animal apresente sintomas como diarreia grave e esteja nitidamente em sofrimento, o nosso conselho é que se dirija ao veterinário.

Prisão de ventre

Se o seu gatinho tem dificuldade em defecar é certo que terá também dores. As fezes duras podem ser acompanhadas de sangue, situação que pode levar o animal a evitar completamente a ida à caixa de areia. A prisão de ventre pode ser um sintoma de alguma doença ou de intolerância alimentar. E a solução pode ser bem simples: a maioria dos gatos não bebe muita água. Os gatos são originalmente animais do deserto, absorvendo a água de que precisam através dos vegetais. Acabam por se dirigir ao bebedouro apenas quando é absolutamente necessário. Experimente encorajar o seu animal a beber mais água, especialmente caso a base da sua alimentação seja a ração. Fontes e bebedouros espalhados pelas várias divisões da casa podem ser uma boa solução!

Diarreia

Também o oposto da prisão de ventre pode ser um problema – a diarreia é igualmente desconfortável para o gatinho (sem esquecer o dono). Tal como no caso acima, a diarreia pode ter variadas causas, tais como envenenamento, viroses ou comida estragada. Parasitas como minhocas ou microorganismos, como a giárida, podem também ser causadores deste problema. Aqui, o médico veterinário fará uma análise às fezes. Infeções virais como o parvovírus felino podem causar diarreia!

A diarreia crónica pode ser causada por stress mas também por doenças crónicas ou por alterações orgânicas, como o engrossamento das paredes do intestino.

Caso a diarreia cause vómitos e o animal continue fraco ou caso a diarreia se mantenha por mais de dois dias, é o momento de consultar imediatamente o veterinário! A recomendação é a mesma caso o animal se mostre letárgico e com sintomas adicionais como febre, fraqueza e tremores. Os gatinhos bebés desidratam bastante depressa – neste caso, procure também o veterinário de sua confiança.

Vómitos

Os vómitos não são muito fora do comum nos gatos e estão associados à mudança do pelo ou após a ingestão de erva gateira. Se acontece apenas uma vez e não se repete, o vómito não é motivo para uma ida à urgência veterinária. Se é um sintoma recorrente no animal, o melhor é estar atento – a comida estragada é uma das razões mais frequentes (e inofensivas), mas mesmo casos de envenenamento ou doenças graves podem causar náuseas e vómitos. O médico veterinário fará uma análise cuidada do estado geral do animal, estabilizá-lo com solução salina se necessário e prescrever medicação para as dores. A partir daqui, trabalharão em conjunto para encontrar o melhor tratamento.

As melhoras para o seu gatinho!

Os nossos artigos mais relevantes

O meu gato espirra: porquê e o que posso fazer?

Por espirro entende-se um reflexo involuntário que provoca a saída maciça de ar pelo nariz e pela boca. O objetivo deste mecanismo é a remoção do trato respiratório de corpos estranhos, como por exemplo, poeiras. Os gatos espirram frequentemente e as causas são muito variadas.

Vacinas para gatos

Devo ter meus gatos vacinados? Se sim - contra o quê? Todas as informações sobre vacinas de gatos.