Envelhecimento dos cães This article is verified by a vet

Cão idoso deitado. O envelhecimento dos cães é um processo natural, mas que também pode ser doloroso para os donos e patudos.

O tempo também não passa ao lado dos nosso patudos. No entanto, os problemas causados pela idade variam muito de cão para cão.

Muitos patudos acompanham os donos por muito tempo e alcançam uma idade considerável. Assim, o envelhecimento dos cães é um tema importante ao qual os donos devem estar atentos. Neste artigo descubra os sintomas que os patudos com idade avançada apresentam e como melhor cuidar deles. Por fim, também abordamos a difícil questão de quando é a altura de dizer adeus ao seu melhor amigo.

Quantos anos vivem os cães?

Não existe uma resposta objetiva a esta pergunta, pois a esperança de vida dos cães depende muito da raça. Regra geral, os cães de pequeno porte vivem mais tempo do que cães grandes. Assim, enquanto um Chihuahua pode viver 15 anos, a esperança média de vida de São Bernardo é de 6 ou 7 anos. Além dos fatores genéticos, outros aspetos, como por exemplo a alimentação, estilo de vida e estado geral de saúde, influenciam muito a esperança de vida dos patudos. Assim, para que o seu patudo viva muitos anos com uma boa qualidade de vida deve informar-se bem sobre estes aspetos.

Sintomas do envelhecimento dos cães

O processo de envelhecimento dos cães é muito semelhante ao dos seres humanos. Assim, enquanto alguns patudos praticamente não apresentam sinais de velhice, outros têm sintomas relativamente cedo com impacto na sua qualidade de vida. No entanto, não é possível prever qual será o desenvolvimento do organismo dos cães antecipadamente.

Os sintomas de envelhecimento mais frequentes nos cães são:

  • Alterações no pelo: O pelo pode tornar-se cinzento, especialmente no focinho e cabeça. É também frequente o pelo perder o brilho e a suavidade e nalguns casos pode haver queda de pelo.
  • Perda de apetite com perda de peso associada
  • Problemas nos ossos e articulações: perda óssea ou surgimento de artroses, o que reduz a mobilidade dos patudos e causa desconforto ou dor.
  • Diminuição ou perda de sentidos, como audição, visão ou olfato.
  • Enfraquecimento do sistema imunitário: os patudos com mais idade são mais suscetíveis a infeções.
  • Aumento da micção devido ao enfraquecimento dos músculos da bexiga.

Como minimizar os sintomas de envelhecimento dos cães?

Em primeiro lugar, garanta o mais possível que o seu patudo mantém um bom estado geral. Este aspeto, juntamente com fatores hereditários, é o mais importante para que o seu cão tenha uma boa qualidade de vida mesmo quando chega a uma idade avançada. Assim, tenha cuidado com a saúde, alimentação e estilo de vida do seu patudo desde cachorrinho.

Se adotar os seguintes cuidados e medidas está a contribuir para que o processo de envelhecimento do seu cão seja o mais agradável possível:

1. Evite que ele tenha peso a mais

Muitos estudos indicam claramente que o excesso de peso está associado ao aparecimento de doenças como por exemplo, diabetes. Também os problemas nas articulações surgem mais frequentemente em cães com excesso de peso. Assim, é essencial que dê ao seu patudo uma alimentação adequada e que ele faça exercício físico regularmente. Quer uma boa alimentação, quer o exercício físico ajudam a adiar o aparecimento de sintomas de envelhecimento ou mesmo ajudar a que estes sintomas nunca apareçam.

Dicas de leitura: No nosso artigo Comida para cães idosos encontra todas as informações importantes sobre este tema.

Na nossa loja online, encontra, naturalmente, ração especialmente concebida para cães sénior.

2. Aliviar as dores

Muitos cães que viveram uma vida saudável, apresentam dificuldades em se movimentar quando chegam à velhice. Isto deve-se a um processo natural de perda óssea que é típico do processo de envelhecimento. Este problema não tem cura, no entanto, analgésicos podem minimizar as dores e em muitos casos as melhorias são visíveis rapidamente. No entanto, o problema pode reaparecer. Por fim, não medique o seu patudo sem consultar previamente o seu veterinário.

3. Mantenha a saúde do seu patudo sob controle

Cuidados de saúde preventivos evitam o sofrimento dos cães em muitas situações. Assim, à medida que o seu cão for envelhecendo, leve-o regularmente ao veterinário para exames de saúde gerais. Dessa forma, o veterinário consegue identificar precocemente doenças típicas da idade e ter maior probabilidade de as tratar com sucesso.

4. Aceite as limitações do seu patudo

Nem sempre é fácil para os donos verificar que o seu alegre companheiro de vários anos está a perder algumas capacidades. Assim, para os patudos mais velhos é muito importante que os donos compreendam e se adaptem à sua condição de saúde. Se o seu patudo apresenta sintomas de envelhecimento evite colocá-lo em situações stressantes ou exigentes em termos físicos. Esta também não é a altura para trazer um cachorrinho para casa.

Quando é a altura de dizer adeus?

Antes de mais, esta é uma questão de enorme importância para a qual não existe uma resposta certa. Além disso, o envelhecimento não é uma doença, mas sim uma evolução natural. Muitos cães idosos têm doenças nas articulações ou já perderam muitos dentes. No entanto, desde que o patudo consiga lidar bem com as suas limitações, naturalmente com a ajuda dos donos, não há necessidade de tomar nenhuma decisão. Lembre-se também que em muitos casos, o mal estar dos patudos pode ser minimizado com medicamentos.

Mas existem casos em que o envelhecimento causa um sofrimento muito grande aos patudos. Nessas situações, fale com o seu veterinário, pois muitos sintomas progridem rapidamente nos últimos dias de vida do patudo. A opinião mais isenta e objetiva do veterinário é muito importante para o ajudar a avaliar o que pode fazer para o bem estar do seu cão.

Conclusão sobre o envelhecimento dos cães

Os últimos anos ou meses de vida do seu patudo não têm que ser difíceis e dolorosos. O processo de envelhecimento dos cães varia muito e alguns patudos apresentam apenas sintomas ligeiros. Além disso, os donos devem interferir de forma a garantir que o seu patudo tem a melhor qualidade de vida possível.

No entanto, é sempre muito difícil dizer adeus a um companheiro que trouxe tanto amor e alegria à sua vida. Assim, o importante é aproveitar o todo o tempo que tem junto do seu patudo e guardar na memória os momentos felizes que passaram juntos. E de certeza que o seu patudo se encarrega de lhe proporcionar momentos divertidos e amorosos em grande quantidade.


Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?