Como combater as algas filamentosas em aquários

As algas, em quantidades moderadas, ajudam a manter os valores dos parâmetros da água do seu aquário em equilíbrio. No entanto, as algas em aquários costumam-se desenvolver muito. Quando dá por isso, os fios das algas já estão com 20 centímetros de comprimento e enrolados em torno de grupos inteiros de plantas e objetos decorativos. Aqui pode descobrir como se desenvolve uma praga de algas e o que pode fazer para a combater.

Como posso reconhecer as algas filamentosas?

As algas filamentosas pertencem ao grupo das algas verdes e surgem em formas variadas. Alguns tipos destas algas têm fios finos com até 20 centímetros de comprimento. Outros desenvolvem fios com um comprimento de até 5 centímetros. Também podem assumir uma forma que faz lembrar teias de aranha ou pequenos tufos de algodão verde. Dependendo da espécie, os seus fios envolvem plantas inteiras e objetos decorativos, espalham-se pelo chão do aquário ou agrupam-se diretamente nas raízes das plantas.

As algas filamentosas são prejudiciais?

Um aquário dominado pelos fios verdes das algas filamentosas que se sobrepõem a plantas, pedras e a outros objetos, não é bonito. Mas, além da questão estética, o excesso de algas prejudica as plantas atingidas e afeta todo o ecossistema do aquário. As algas são muito menos exigentes do que a maioria das outras plantas de aquário e espalham-se rapidamente, mesmo em condições bastante desfavoráveis. O excesso de algas desequilibra o teor de nutrientes da água. Este desequilíbrio leva as plantas de aquário a murcharem e à deterioração das condições de vida dos peixes. Isto não quer dizer que deva manter o seu aquário livre de algas. Este objetivo é utópico, já que não existem aquários sem algas. Deve sim, ter atenção para não permitir que as algas dominem o aquário.

Excesso de nutrientes

Apesar de toda a atenção e cuidado, as pragas verdes podem rapidamente tomar conta de um aquário. Pequenas mudanças na intensidade da luz, na duração da exposição à luz ou na temperatura da água, que podem ocorrer devido ao aumento da radiação solar, no verão, podem causar o crescimento acelerado das algas. Geralmente, este problema é causado por um excesso de nutrientes, ou seja, as plantas do aquário não conseguem processar todos os nutrientes. As algas deste grupo exploram esse desequilíbrio: utilizam os nutrientes em excesso e desenvolvem-se rapidamente. Para corrigir este desequilíbrio e controlar de forma permanente o crescimento das algas, é importante conhecer as causas do excesso de nutrientes. Se remover as algas do aquário sem combater a causa da infestação, voltará a deparar-se com tufos de fios verdes rapidamente.

Primeiro passo: testar os parâmetros da água

Quando se depara com algas filamentosas no seu aquário, deve começar por testar os parâmetros da água. Em lojas da especialidade ou na internet encontra tiras de teste ou aparelhos digitais de medição, com os quais pode medir o CO2, os nitratos e o fosfato na água.

Uma invasão massiva de algas é geralmente causada pelo excesso de pelo menos um destes parâmetros. O valor do CO2 nunca deve estar abaixo de 5 miligramas por litro. O valor ótimo do CO2 situa-se entre 10 a 20 mg/l. O valor dos nitratos não deve exceder 20 mg/l. Se verificar um nível elevado de nitratos, deve testar os parâmetros da água da torneira, que muitas vezes apresenta valores altos deste nutriente. Se os nitratos da água da torneira excederem 50 mg/l, deve misturá-la com água de osmose antes de fazer a troca da água do aquário. Misturar água da torneira com água de osmose é também aconselhável quando a percentagem de fosfatos está elevada. As companhias de distribuição de água adicionam frequentemente fosfatos à água para prevenir a calcificação dos canos. Um valor elevado de fosfato pode, inquestionavelmente, contribuir para o crescimento das algas.

Causas

Não é apenas a composição da água da torneira que causa um excesso de nutrientes. A intensidade da luz, a duração da exposição à luz, as plantas, os peixes e a alimentação também influenciam quantidade de nutrientes disponível. O dono do aquário tem de se tornar num verdadeiro detetive para descobrir a real causa do problema. Tal como mencionado acima, o valor dos três parâmetros da água – nitratos, CO2 e fosfatos – fornece pistas decisivas para descobrir a causa da infestação. Os seguintes erros ou alterações levam geralmente ao aumento dos valores dos parâmetros.

O valor do nitrato está elevado?

  • A água da torneira contém muitos nitratos. Trocar uma grande quantidade de água do aquário faz aumentar demasiado o nível de nitratos.
  • Os peixes recebem demasiado alimento: o teor de nitratos pode aumentar devido à comida não consumida e ao aumento de excrementos produzidos pelos peixes, que depende da quantidade de comida que consomem.
  • A taxa de ocupação do aquário é muito elevada: quantos mais peixes estão no aquário, maior a quantidade de excrementos e, consequentemente, mais elevado o nível de nitratos.
  • O valor do CO2 está elevado
  • O aquário tem demasiada iluminação: o tempo de exposição à luz é muito longo ou o aquário não está num local adequado (por exemplo, recebe demasiada luz do sol direta).
  • A população de plantas não é a apropriada: o aquário tem poucas plantas ou elas são muito pequenas. O seu aquário tem principalmente plantas de crescimento lento em detrimento de plantas de crescimento rápido, como Anubias ou Fetos de Java.

O valor do fosfato está elevado?

  • A água da torneira tem muito fosfato.
  • As plantas receberam adubo a mais: muitos adubos para plantas de aquário contêm fosfato.
  • A comida dos peixes tem fosfato. Muitas comidas secas ou congeladas contêm fosfato, o que pode ser um problema se os peixes receberem comida a mais.
  • É importante notar que o excesso de nutrientes, mas também a sua falta, podem favorecer o crescimento de algas num aquário. Um valor baixo de CO2 na água prejudica o crescimento das plantas e, por seu turno, favorece o crescimento das resistentes algas filamentosas. Aquários com baixo valor de CO2 não estão suficientemente expostos à luz. Por exemplo, a lâmpada de iluminação é muito fraca, dá luz por pouco tempo ou as plantas são inadequadas (plantas de crescimento muito lento).

Medidas imediatas para combater as algas filamentosas

Assim que tenha descoberto o que está a causar o excesso de algas, deve tomar medidas o mais rápido possível. No entanto, as algas não desaparecem de um dia o outro. Portanto, há que ser paciente e consistente para descobrir a causa e também para combater a invasão de algas. Lembre-se que os nutrientes da água não se equilibram rapidamente. Infelizmente, não existem medidas rápidas que consistentemente impeçam o aparecimento das algas. Por isso, quanto mais cedo intervier, mais depressa vai conseguir dominar a praga de algas. As primeiras medidas a adotar são:

  1. Remoção das algas: com uma escova ou um pau de madeira fino e áspero consegue com facilidade enrolar os fios longos das algas e puxá-los. Os fios mais curtos, que estão junto das plantas ou no chão, pode tirar com os dedos. Restos de algas que ficam dentro de água, pode tirá-los com uma espumadeira ou manualmente.
  2. Limpeza dos objetos decorativos: deve retirar as pedras e objetos decorativos do aquário e lavá-los com água corrente.
  3. Testar a água: como mencionado acima, se ainda não testou a água deve fazê-lo. Faça um teste exaustivo à água com tiras ou com um aparelho digital de medição.
  4. Trocar a água: troque entre 30 a 50% da água do aquário. Se a água da torneira apresentar altos níveis de nitratos, misture-a com água de osmose.
  5. Escolher plantas de crescimento rápido: plantas que crescem com alguma rapidez são imprescindíveis para um ecossistema funcional com parâmetros de água equilibrados. As plantas mais conhecidas para o combate às algas são a Cauda de Raposa, assim como, plantas de caule, como a Hygrophila, a Limnophilia, a Elodea, entre outras.
  6. Reduzir a quantidade de comida: muitas vezes, os peixes precisam de menos comida do que o seu dono pensa. Certifique-se que só dá a quantidade de comida que os seus peixes realmente comem. Os peixes suportam muito bem uma pausa na comida, como por exemplo, um dia de jejum por semana. A qualidade da água também melhora com esta pausa.
  7. Inclua peixes que comem algas: Existem peixes que o podem apoiar no combate às algas.  Os Caracídeos, o Mesonauta festivus, o Crossocheilus oblongus, o Loricariidae, ou mesmo algumas espécies de camarões, comem os filamentos verdes. No entanto, não deve incluir no aquário muitos peixes comedores de algas, pois pode prejudicar as outras plantas e a qualidade da água.
  8. Reduzir o tempo de exposição à luz: Se chegar à conclusão de que a iluminação incorreta é a causa da invasão de algas, por exemplo, iluminação muito forte, pode colocar o aquário num local mais escuro por algum tempo. No entanto, nunca deve manter o aquário num local com pouca luz por muito tempo. A falta de luz enfraquece não só as algas, como as outras plantas. Geralmente, as plantas precisam de 12 horas de exposição à luz para crescerem saudáveis. Após as 12 horas pode desligar a luz do aquário ou implementar uma pausa na iluminação de uma a duas horas por dia.

Encontre aqui a nossa seleção de produtos para controlar as algas.

O que pode fazer para controlar as algas a longo prazo

Quem se sentar à sombra da bananeira depois de implementar as medidas de intervenção rápida mencionadas, vai, provavelmente, ter uma surpresa em breve. As algas são incrivelmente resistentes e vão espalhar-se pelo aquário outra vez, assim que as condições lhes forem outra vez favoráveis. Para estar seguro de que se livrou dos terríveis fios esverdeados, deve garantir que o ambiente do seu aquário está em equilíbrio. Os parâmetros da água devem ser testados regularmente e deve estar atento ao crescimento das plantas e à quantidade de peixes que tem. A iluminação do aquário deve ser adaptada à estação do ano e à luz natural. Naturalmente, não deve negligenciar a manutenção e limpeza do aquário. Uma vez por semana deve trocar a água, limpar as paredes, o chão e os objetos do aquário, assim como limpar regularmente os filtros.

É um facto, se limpar o seu aquário e controlar os parâmetros da água regularmente, vai ter menos problemas com algas filamentosas ou outros tipos de algas.

Desejamos que se divirta muito com o seu aquário!

Artigos relacionados
Artigos relacionados

Os nossos artigos mais relevantes