Doenças neurológicas em gatos

Doenças neurológicas em gatos

Doenças neurológicas em gatos

O organismo dos gatos funciona a partir da interação perfeitamente coordenada entre diversos elementos. No entanto, não é difícil quebrar a harmonia do sistema. Bastante ilustrativas desta quebra são as perturbações do sistema nervoso e do equilíbrio hormonal.

O sistema nervoso do gato

O sistema nervoso dos gatos consiste em biliões de pequenos neurónios que ligam todos os órgãos, unem a medula espinal, sendo o cérebro a “central de operações“. Esta rede controla praticamente todas as sensações e movimentos do corpo do gato, isto é, controla movimentos e emoções.

Tal como no caso dos humanos, também o cérebro dos gatos constitui a “sede“ do seu sistema nervoso central. É neste órgão, a pesar entre 20 a 28 gramas e com 3,5 cm de comprimento e 2,5 cm de profundidade, que todas as sensações do animal convergem. O cérebro é o responsável pela avaliação, ligação e armazenamento dos impulsos nervosos – determina ainda a força de uma hipotética reação ao estímulo sensorial.

Doenças do sistema nervoso central

A rede de informação pode ser perturbada por vários motivos, incluindo trauma em consequência de um acidente, doenças congénitas ou infeções.

Uma das doenças do sistema nervoso central que se pode manifestar nos gatos é a ataxia. Animais com este problema apresentam graves problemas a nível neurológico, traduzidos por um passo instável, problemas de coordenação, desalinhamento da cabeça e falta de higiene.

Ao dar-se o caso de a mãe gata estar infetada com o vírus da panleucopenia felina, também designado por parvovírus felino, tanto esta como os recém-nascidos podem sofrer lesões no sistema nervoso, manifestadas através dos sintomas acima mencionados.

As doenças de depósito lisossómico, problemas hereditários do metabolismo, podem também despoletar perturbações a nível cerebral. Questões externas como acidentes de viação ou quedas que provoquem lesões na cabeça ou na medula espinal podem ser sinónimo de danos permanentes no sistema nervoso central. E mesmo doenças insidiosas como deformações na coluna vertebral e doenças degenerativas do sistema nervoso central podem lesar as redes neuronais e causar deficiências neurológicas. Por fim, é importante referir que nos gatos podem surgir tumores cerebrais; os acidentes vasculares cerebrais podem também ocorrer.

As perturbações do sistema nervoso central são muitas vezes o único indício de que algo não está bem.

Os problemas neurológicos fazem parte das situações de emergência! Portanto, ao primeiro sinal de sintomas fora do comum, o veterinário deve ser imediatamente consultado – caso os sintomas sejam detetados durante o período da noite ou do fim de semana o nosso conselho é que se dirija ao serviço de emergência veterinária. De acordo com a causa dos sintomas, o estado de saúde pode ser grave, fatal ou crónico. No entanto, tenha calma, pois nem tudo é uma sentença de morte: é frequente, no caso de gatos com ataxia, os animais nascerem com perturbações neurológicas. Se estiver disposto a abraçar as particularidades decorrentes desta doença, facto é que estes animais podem viver uma vida longa e feliz. E o mesmo se aplica a gatinhos que tenham sofrido derrames cerebrais. Algumas mudanças em casa, como uma rampa até ao seu cantinho de descanso, caixas de areia cuja entrada seja rebaixada e o afeto e o carinho dos donos, permitirão ao animal ser feliz!

Evite fazer diagnósticos a partir de pesquisas na Internet. Tanto o diagnóstico como as hipotéticas opções de tratamento apenas poderão ser apresentados pelo médico veterinário!

hormonstörungen bei katzen

O sistema hormonal do gato

Tal como o sistema nervoso do gato, também o equilíbrio hormonal dos nossos pequenos felinos é constituído por milhões de minúsculos componentes que, numa situação ideal, trabalham continuamente entre si. As hormonas são substâncias químicas endógenas que transmitem informação no organismo, mantendo e controlando assim as funções orgânicas e os processos metabólicos. As hormonas formam-se nas glândulas endócrinas do corpo do animal, deslocando-se através dos vasos sanguíneos até ao respetivo órgão-alvo. A secreção hormonal é controlada e regulada pelo cérebro, a “central de operações“ do sistema nervoso central.

O sistema hormonal dos gatos tem um papel essencial em cada processo do organismo do animal, desde a formação dos óvulos até à regulação dos níveis de açúcar no sangue, passando ainda pela utilização dos nutrientes para o desenvolvimento orgânico. Além disso, as hormonas têm um enorme impacto nas emoções dos mais jovens. O equilíbrio hormonal correto é importante para que todos os processos biológicos do corpo do animal possam decorrer da melhor maneira, para que os gatinhos se tornem adultos saudáveis e ainda para que os mais velhos se mantenham sãos e em forma mesmo na terceira idade. Certo é que os desequilíbrios têm imensas consequências…

Perturbações do equilíbrio hormonal

Os distúrbios do equilíbrio hormonal dos gatos têm bastantes consequências. Entre as doenças mais conhecidas do sistema hormonal incluem-se, por exemplo, o hipertiroidismo, o hipotiroidismo e a diabetes.

Distúrbios da tiróide

  • A tiróide controla diversos processos metabólicos, sendo, portanto, um órgão endócrino indispensável. Em casos de hipotiroidismo, o metabolismo do gato é reduzido; neste sentido, animais com este problema ganham, por norma, algum peso. O tratamento mais recorrente baseia-se na toma de hormonas produzidas artificialmente – infelizmente, estas têm de ser administradas ao longo de toda a vida, mas reduzem significamente os sintomas e permitem ao animal manter a qualidade de vida.
  • Se a glândula tiroideia estiver a trabalhar em excesso, o metabolismo será também afetado – ao ocorrer uma libertação excessiva de hormonas a interação dos órgãos fica fora de controlo. Sinais típicos de hipertiroidismo são os tremores nervosos, a perda de peso e o aumento do apetite. De acordo com o motivo para o funcionamento desadequado da tiróide, esta pode ser cirurgicamente removida ou destruída. Existem, além disto, terapias medicamentosas.

Distúrbios da diabetes

A diabetes é um problema cada vez mais comum entre os gatos.

  • A diabetes insipidus é uma doença do foro hormonal relacionada com perturbações do equilíbrio hídrico, manifestando-se através da extrema concentração da urina. Este tipo de diabetes é raro e tratável com a administração de hormonas.
  • Muito mais comum é a diabetes mellitus, que, por norma, é somente designada por diabetes. É causada por problemas no pâncreas que afetam a produção de insulina – e esta é uma tarefa bastante importante, pois o açúcar é a fonte de energia mais importante do organismo! A diabetes mellitus do tipo 1 é uma doença autoimune. O próprio organismo destrói as células responsáveis pela produção de insulina. No caso da diabetes do tipo 2 as células somáticas desenvolveram já uma elevada tolerância à insulina e deixam de reagir à insulina do próprio corpo. Desta forma, deixam de ter a capacidade de utilizar o açúcar no sangue e o pâncreas tenta compensar esta deficiência aumentando a produção de insulina e dá-se a desregulação dos níveis de açúcar no sangue. A diabetes do tipo 2 é habitualmente tratada através da regulação do metabolismo da insulina, muitas vezes com a administração direta da hormona.

A diabetes e as doenças da tiróide são apenas dois exemplos de distúrbios hormonais que afetam os gatos. Todas estas doenças são sérias e apenas podem ser diagnosticadas e tratadas pelo médico veterinário.

O que fazer para ajudar o seu gato?

As causas para estes distúrbios têm que ver com o processo de criação, mas também com a dieta dos animais. É difícil proteger os animais destas perturbações, mas é certo que um estilo de vida saudável com controlo de peso e uma nutrição apropriada são excelentes contributos para a saúde do seu gatinho!

Felicidades para si e para o seu gatinho!

Os nossos artigos mais relevantes
Tanto o pelo como a pele têm importantes funções protetoras e revelam de imediato quando o seu gato tem algum problema de saúde.