Singapura

É difícil encontrar os simpáticos e doces gatos da raça Singapura na Europa uma vez que há poucos criadores. Assim, quem tiver um destes pequenos felinos em casa pode considerar-se sortudo. O seu companheiro tem uma personalidade única, ao mesmo tempo delicada e excitante. Um gato Singapura transforma a vida dos seus donos de forma que nenhum dia é igual ao anterior.

História e criação

O nome desta raça de gatos tem origem no nome da própria cidade-estado de Singapura, conhecida como cidade dos leões. E, de acordo, com a maioria das fontes, os gatos Singapura são originários deste local. No entanto, existem divergências. Por exemplo, algumas fontes indicam que o Singapura é originário dos EUA. Provavelmente as duas fontes têm razão. O gato Singapura foi descoberto em 1970 por Hal e Tommy Meadow, dois imigrantes norte americanos fascinados por gatos. Este casal iniciou a criação de gatos Singapura a partir dos seus próprios gatos Ticle, Pusse, Tes, George, Gladys e Chiko. Ao regressarem a casa nos EUA em 1975, Hal e Tommy Meadow levaram os gatos consigo. E assim chegaram os primeiros Singapura aos EUA. Segundo a lenda, estes pequenos gatos viviam nos estreitos tubos de drenagem da cidade. Assim, ficaram conhecidos como gatos de drenagem.

Os criadores dedicaram-se a desenvolver a raça procurando gatos com aparência uniforme e boa saúde. Assim, não existem muitos gatos desta raça. No entanto, os Singapura são muito populares e encontram-se praticamente em todo o mundo. É também uma raça oficialmente reconhecida por quase todas as associações de gatos. Por exemplo, esta raça é reconhecida nos EUA desde 1982 e podem participar em concursos desde 1988. Este pequeno e exótico felino chegou à Europa, mais concretamente ao Reino Unido, nos anos 80 do século XX. A FIFé (Féderation Internationale Féline), uma organização internacional de associações de criadores de gatos, reconheceu os Singapura em 2014. É quase certo que esta raça está relacionada com os gatos Absínios, Siameses e Burmeses.

Aspeto

Uma das características que mais chama à atenção nestes belos gatos de cores sépia é o seu tamanho. Os Singapura estão entre os gatos mais pequenos do mundo. Eles pesam apenas 2 a 3 quilos, independentemente do sexo. Entre os 15 e os 24 meses de vida, os Singapura atingem o peso definitivo e o corpo está totalmente desenvolvido. Apesar do aspeto delicado e gracioso, estes gatos fora do comum caracterizam-se pelas capacidades físicas e força. Têm músculos bastante desenvolvidos, o que faz com que deem grandes saltos.

A origem da peculiar cor dos Singapura

O pelo cor sépia destes gatos faz com que pareçam ter saído de uma fotografia do século XIX. A designação correta da cor do pelo destes gatos é “sepia agouti”. Esta é também a única cor oficialmente reconhecida. Os criadores chamam às faixas de pelo, que se destacam da cor principal, ticking. O padrão resultante destas faixas denomina-se agouti. Na verdade, a cor do pelo dos Singapura parece ser monocromática, no entanto cada pelo tem um tom mais claro ou escuro.

A pelagem dos Singapura apresenta uma outra característica que resulta da mutação chamada albinismo parcial. Consequentemente, estes gatos apresentam acromelanismo, ou seja, o pelo é mais escuro nas regiões mais frias do corpo. Assim, o focinho, orelhas, pernas e cauda dos Singapura têm pelos mais escuros. Quando nascem, o pelo dos gatos Singapura é claro e vai escurecendo gradualmente. Assim, de acordo com as normas, a pelagem dos Singapura só está totalmente desenvolvida aos dois ou três anos. A textura do pelo é sedosa e por isso todos adoram fazer festinhas a este exótico gato.

O tamanho da cauda dos Singapura é de comprimento médio. Por outro lado, olhos e as orelhas são grandes. Além disso, a distância entre as orelhas é grande. Os olhos são ovais e podem ser verdes, castanhos, castanhos esverdeados ou amarelos.

Personalidade

Se tiver a sorte de partilhar a sua casa com um destes gatos pouco comuns, vai provavelmente achá-lo tímido. Na verdade, estes gatos precisam de algum tempo para se habituarem à sua nova casa e família. Deste modo, apesar de amigáveis com estranhos, estes gatos não são muito dados. Assim, numa fase inicial é importante ter paciência e sensibilidade para convencer o seu no companheiro felino de que quer o melhor para ele. Quando o seu Singapura estiver seguro vai-se mostrar carinhoso e uma presença muito agradável em casa. Na verdade, esta raça adora estar perto do dono e é muito social. Assim, é um gato perfeito para uma família.

Ter um Singapura em casa

Os Singapura também se dão muito bem com outros gatos. E mais que isso, precisam da companhia de outro gato, pois assim sentem-se mais seguros e felizes. Os Singapura adoram aconchegar-se e brincar com outros gatos. É importante ter em consideração as necessidades sociais destes gatos. Por isso, se pretende trazer um destes felinos para casa, não se esqueça que deve ter outro gato. Além disso, como estes gatos são muito sociais, não são a melhor escolha para uma pessoa que passa o dia fora de casa.

Os Singapura são verdadeiramente felizes numa família com crianças e outros gatos. No entanto, as crianças devem ter pelo menos 6 anos, pois é importante que saibam lidar com o seu companheiro felino com delicadeza.

Os gatos desta raça são comunicativos, brincalhões, muito inteligentes e curiosos. Por isso, gostam de ver tudo o que se passa e estão sempre prontos para entrar na brincadeira. Para que o seu Singapura não fique entediado é importante que tenha atividades variadas à sua disposição. Existe uma enorme variedade de brinquedos que lhe pode dar, incluindo brinquedos de inteligência que muito vão satisfazer o seu pequeno felino. É também importante lembrar que estes gatos não perdem a vontade de brincar ou a inteligência com o passar do tempo. Os Singapura, em média vivem 15 anos.

A alimentação dos gatos Singapura

Sendo carnívoros, como qualquer gato, o Singapura em estado selvagem caça para comer. A sua dieta consiste em ratos e pequenos mamíferos, insetos e pássaros. Assim, uma alimentação à base de carne crua ou cozinhada é a que mais se aproxima da alimentação natural destes pequenos felinos. No entanto, a carne não contém todos os nutrientes de que eles precisam. Assim, para ir de encontro a todas as necessidades nutricionais do seu Singapura, é aconselhável complementar a ração convencional com suplementos alimentares que contenham, por exemplo, vitaminas, minerais, oligoelementos e taurina. Para conhecer melhor as necessidades nutricionais específicas do seu pequeno Singapura deve falar com o seu veterinário.

Pode também optar entre cozinhar a comida do seu gato e a dieta BARF (comida crua biologicamente apropriada). Nesse caso, é importante informar-se bem sobre as necessidades do seu gato, de forma a evitar carências alimentares que podem ser perigosas.

No fundo todos os gatos são diferentes e têm as suas preferências, incluindo em comida. O aspeto decisivo na comida, seja ração seca ou comida húmida, é a qualidade. Comida de elevado valor nutricional para gatos tem uma elevada percentagem de carne e os nutrientes de que ele precisa. No entanto, são vários os fatores que influenciam as necessidades nutricionais, por exemplo, a idade ou a condição física. Assim, se o seu gato tiver excesso de peso, deve escolher uma ração light. É também importante ter em atenção a quantidade de comida que o gato come, pois isso também influencia a condição física geral. O Singapura é um gato ativo e como tal, costuma precisar de mais calorias. Assim, com uma alimentação saudável e em quantidades adequadas, vai notar que o seu Singapura perde menos pelo e que a pelagem fica muito bonita e agradável.

Cuidados

Tratar de um Singapura é uma tarefa simples. A pelagem sedosa e curta dos Singapura não tem subcamadas de pelo. Assim, e como o pelo destes gatos não cai muito, basta escovar o seu Singapura uma vez por semana ou a cada duas semanas. O escovar ajuda a eliminar pelos soltos e estimula a circulação sanguínea, mas acima de tudo, o escovar fortalece o vínculo entre o gato e o dono.

O gato Singapura, como qualquer outro animal de estimação, deve ser vacinado assim que o seu sistema imunitário esteja desenvolvido. Deste modo, é altamente aconselhável vacinar o seu pequeno Singapura contra a gripe felina, Panleucopenia, leucemia, peritonite infeciosa felina (PIF) e raiva. A vacina contra a raiva é especialmente importante se tiver um gato de exterior.

Onde adquirir um gato Singapura?

Se decidiu ter um Singapura como companheiro, o primeiro passo deve ser visitar uma associação de acolhimento de animais. Apesar de os gatos desta raça serem relativamente raros, é possível encontrá-los nestas associações.

No entanto, se pretende adquirir um Singapura a um criador, é importante certificar-se de que está a lidar com alguém profissional e responsável. Só assim pode ter informações fidedignas sobre os antepassados do seu gato e também estar seguro que ele não sofre de deficiências ou de doenças hereditárias. Um criador responsável conhece bem a árvore genealógica dos seus gatinhos e assim, fornece-lhe todos os dados relevantes. Geralmente, os gatinhos só devem ser adotados depois de terem pelo menos 12 semanas. Nesta altura, os gatinhos têm as vacinas básicas e estão desparasitados. Também já costumam estar familiarizados com as caixas de areia e com os arranhadores. Se não for o caso, introduza estes objetos ao seu pequenino com paciência e carinho. Os inteligentes Singapura aprendem e adaptam-se rapidamente ao que os rodeia.

Em malaio, os Singapura chamam-se kucinta, ou gatos do amor em português. E uma coisa é certa, quem tiver um destes pequenos felinos vai adorar a sua personalidade única.

Os nossos artigos mais relevantes

Persa

Os gatos persas são das raças mais populares, antes de adotar um gato persa fique a saber: Que cuidados ter; Personalidade; Alimentação e muito mais.

British shorthair

Os british shorthair têm uma personalidade tranquila e equilibrada o que faz deles uma raça ideal para viver em família.

Bosque da Noruega

O bosque da Noruega conquista facilmente o coração de toda a gente graças ao seu aspeto selvagem e personalidade genuína.