Azul russo

Azul russo

Azul russo

À primeira vista este gato azul-acinzentado pode confundir-se com um Cartuxo ou com um British Shorthair. Mas se olhar com mais atenção, rapidamente se aperceberá de que são raças muito distintas entre si.

Aparência do Azul russo

O azul russo trata-se de um gato de tamanho médio, com um corpo gracioso, patas largas e um peso que varia entre os 3 e os 5 kg, pelo que é um animal muito diferente dos corpulentos gatos britânicos de pelo curto. O Cartuxo, pelo contrário, apresenta mais semelhanças, exceto quando falamos dos olhos, amarelos, enquanto que os do Azul russo são de um tom esmeralda brilhante. A cabeça é cuneiforme e os olhos e as orelhas estão bastante afastados. Um traço distintivo são as bochechas pronunciadas, que lhe conferem uma expressão facial característica.

O pelo suave do gato Azul russo é um atributo único. O seu nome é uma homenagem à sua pelagem azul-acinzentada com reflexos prateados. As colorações point, as manchas descoloradas ou mesmo brancas e as marcas tabby ou tigradas não são consideradas pelos padrões da raça. O ideal será que a ponta do nariz e as almofadinhas sejam azuis. Embora atualmente também se criem exemplares brancos e pretos, nem todas as associações de criadores os reconhecem. É frequente os gatinhos desta raça nascerem com uma «marca fantasma», mas perto do primeiro ano idade devem apresentar um pelo sem marcas e monocromático. Além da cor, a suavidade do pelo é outra característica inigualável. Tanto a camada inferior do pelo como a superior têm o mesmo comprimento, cujo resultado é uma pelagem curta e suave, semelhante à de um peluche. O gato Azul russo é a única raça de gatos existente com este tipo de manto duplo.

Carácter do Azul russo

Procura um gato especialmente carinhoso e inteligente? Então, sem dúvida que o Azul russo lhe encherá as medidas.

Esta raça é muito amistosa e moderadamente ativa. Embora na juventude sejam animais muito brincalhões e temperamentais, estes pequenos felinos mudam com a chegada à idade adulta. Nessa altura, gatinhos cheios de energia e vitalidade transformam-se em atletas elegantes e calmos. Por esta razão é frequente ouvir que se tratam dos gatos perfeitos para ter em casa. Porém, a sua elevada inteligência requere estimulação e desafios. Para a maioria dos Azul russos não será um problema abrir portas ou a gaveta das guloseimas.

Para evitar que façam asneiras, é essencial para estes felinos estarem ocupados e, dado que gostam da companhia dos humanos, adoram brincar com os seus donos. Experimente ensinar-lhes truques através de momentos de treino orientado com objetivos ou com o clicker, que os divertem e estimulam. Ficam também satisfeitos com jogos de inteligência como, por exemplo, procurar snacks escondidos. Grande parte dos Azul russos têm igualmente apetência para aprender jogos de agilidade, como saltar através de aros ou por cima de uma cadeira, embora tal dependa da personalidade de cada gato em particular.

O melhor para estes animais sociáveis é que estejam acompanhados. Por este motivo, mesmo que sejam gatos maioritariamente de interior ou que vivam com uma família que passe muito tempo em casa, é preferível que tenham a companhia de outro amigo felino. Este não tem que ser necessariamente da mesma raça, pois são animais bastante amigáveis, serenos e seguros perante outros felinos. Tal como acontece com as restantes raças, é imprescindível oferecer aos seus gatos um tempo de adaptação, para que se habituem um ao outro de forma controlada, evitando-se problemas de socialização. Por isso, se adquirir o seu Azul russo a um criador profissional, é importante certificar-se que os seus gatos e gatinhos se encontram bem socializados e de que estes estes últimos não se separem da mãe antes de cumprirem as 12 semanas de vida.

Origem do Azul russo

Nem todos os gatos Azul russo são iguais. Existem, hoje em dia, três ramificações principais na Europa, que se diferenciam enormemente entre si, dada a sua história individual.

O tipo siberiano/escandinavo é mais pequeno, muito elegante e tem as orelhas bastante afastadas. A sua pelagem é mais escura e é mais tímido com as pessoas, e por isso não é criado com muita frequência.

O tipo americano é o mais elegante de todos. O seu tamanho é médio, o pelo mais claro e as orelhas muito afastadas. Adoro a companhia das pessoas, mesmo de desconhecidos.

O tipo inglês é o mais corpulento. Destacam-se as suas orelhas, mais juntas e a apontar para cima. O carácter desta variante situa-se entre o do tipo americano e siberiano.

É comum encontrar misturas entre estas três subraças, o que é também favorável para se manter a variedade genética.

Coloca-se a questão – por que motivo cada tipo é tão diferente dos restantes? Podemos encontrar a resposta na história da criação do Azul russo. Este gato é oriundo, como o nome indica, da Rússia. Suspeita-se que a sua origem como raça natural se situe na região Arcangel, no norte da Rússia, e tenha sido introduzida em Inglaterra a partir de 1860 por marinheiros britânicos. Em 1865, o Azul russo aparece pela primeira vez nomeado em livros, apresentado como o «gato arcangel» no Crystal Palace, em Inglaterra. No século XIX, era já uma raça muito popular, tanto neste país, como na Rússia dos czares. Desde 1937 que é reconhecida como raça individual. Com o eclodir da Segunda Guerra Mundial o número de gatos Azul russo reduz consideravelmente, embora a raça tenha sobrevivido graças aos cruzamentos com siameses, british shorthair e gatos europeus de pelo curto. Em consequência, o pelo do Azul russo torna-se mais curto e denso, e os seus olhos adquirem uma cor esmeralda intensa.

Mas a história da criação desta raça não termina por aqui. Tal como acontece com muitas raças, existe alguma controvérsia acerca do reconhecimento do Azul russo de cor branca e de cor preta. É fundado em Inglaterra, nos anos 60, o Programa do azul branco e preto, quando Francis McLeod inicia a criação de gatos azul branco e azul preto. A australiana Mavis Jones cruzou, nos anos 70, um gato doméstico branco com um Azul russo. O seu propósito era conseguir uma nova variante de cor desta raça, o azul branco. Nos finais de 1970, a Royal Agricultural Society (RAS) Cat Club of New South Wales reconhece estes híbridos do Azul russo como variantes da raça. Foram depois também reconhecidas por associações de criadores da Austrália, Nova Zelândia e África do Sul. Entretanto, a American Cat Fanciers Association concede ao azul preto e ao azul branco o estatuto de competição, permitindo que se apresentem como Azul de pelo curto. Os seus padrões de criação correspondem aos do Azul russo, mas têm igualmente que ser totalmente brancos ou pretos. A cor dos olhos deve também corresponder ao verde intenso do Azul russo.

Todavia, a maioria das associações de criadores apenas reconhece a variante azul-acinzentada desta raça.

Cuidados

Graças à sua pelagem única de duas camadas, o Azul russo somente perde pelo. Por este motivo, e dado que produzem menos glicoproteína Fel d 1, são animais mais apropriados para quem seja alérgico aos pelos de gato. A glicoproteína é apenas um dos fatores que desencadeia esta alergia, ou seja, a produção mais reduzida deste elemento consegue, em muitos casos, melhorar a tolerância ao Azul russo, embora não os transforme em gatos hipoalergénicos.

Embora a pelagem dupla destes gatos tenha um aspeto fantástico, a verdade é que não requere muitos cuidados. Em geral, basta penteá-los uma vez por semana, de forma a retirar os pelos soltos.

Tal como acontece com todas as raças de gatos, é indispensável visitar o veterinário pelo menos uma vez por ano. Durante as consultas, além da vacinação, procede-se também à auscultação do coração e dos pulmões e a um check-up da boca do gato, detetando-se assim, atempadamente, possíveis cáries.

Dado o seu miar relativamente baixo e tranquilo e a sua personalidade amistosa e sociável, o Azul russo é um gato ideal para viver dentro de casa. Mas não se esqueça – esta raça é muito inteligente e gosta de ser estimulada, física e mentalmente. Para tal, é-lhe essencial um ambiente com animação e espaços suficientes para trepar, brincar, esconder-se e descansar. O Azul russo adora passar tempo com as pessoas, e, por isso, não hesite em abanar a cana de brincar, esconder snacks com jogos de inteligência e mesmo treiná-lo com um clicker.

Cuidados de saúde

O Azul russo é um gato bastante resistente e não parece ser acometido pelas doenças hereditárias mais conhecidas.

Tal não significa que deva prescindir da visita obrigatória anual ao veterinário, pois esta raça pode também enfrentar as patologias mais típicas dos gatos. Se saem para o exterior, devem ser vacinados desde pequenos, de forma a serem imunizados de algumas doenças infecciosas conhecidas, como a panleucopenia, a rinotraqueíte e a raiva. Uma alimentação adequada é também essencial para manter a saúde do animal. Tratando-se de um animal carnívoro, apenas tem capacidade para digerir pequenas quantidades de hidratos de carbono; desta forma, a sua dieta deve basear-se em proteínas animais de elevada qualidade. A comida preparada ideal será a que contenha uma alta percentagem de carne e percentagem reduzida de substâncias vegetais. A diet BARF tem captado a atenção de muitos donos.

Como encontrar o criador adequado

Ficou apaixonado por este gatinho carinhoso e atlético de pelo azul? Atualmente, esta é uma raça criada em toda a Europa, existindo inúmeros criadores que se preocupam com o bem-estar dos seus animais.

Se deseja adquirir um Azul russo deverá estar preparado para despender entre 500 e 700 euros. Este não é o preço a pagar pelo privilégio de ter um gato de raça pura, mas sim pelo trabalho investido pelo criador, ao cuidar dos gatos e dos gatinhos. A criação de gatos é um passatempo dispendioso. Criadores responsáveis preocupam-se com a saúde dos seus animais e oferecem-lhes uma alimentação apropriada. Além disso, cruzam os gatos de forma sensata para evitar problemas de saúde hereditários e para que os felinos cumpram com os padrões da raça. As gatas em gestação devem ser examinadas com regularidade pelo veterinário. Nascidos os gatinhos, os gastos disparam: as idas regulares ao veterinário para cuidar da sua saúde e para os vacinar, as possíveis esterilizações, a alimentação de elevada qualidade, um ambiente variado, etc. A isto deve somar-se o esforço emocional. O criador está ocupado com os seus gatos 24 horas por dia, incluindo fins de semana. Para ele é importante que os gatinhos disponham do tempo necessário para crescer, e por isso não os entregará ao novo dono antes de ultrapassarem as 12 semanas de vida. Durante esta fase de impregnação essencial, os gatinhos aprendem tudo o que necessitam para sobreviver com a sua mãe, brincam e lutam com os seus irmãos, transformando-se em criaturas sociais ao estarem em contacto com a família do criador – tudo para estarem preparados para uma vida longa e saudável.

Donos a quem não interessem os documentos nem a árvore genealógica do animal, raramente decidem recorrer a um criador. Mas é importante que se mantenha afastado dos chamados «multiplicadores», que disponibilizam gatos de raça baratos e sem documentação na internet ou até na secção de anúncios do jornal local. Na maior parte dos casos, estamos perante criadores não profissionais que priorizam a quantidade ao invés da qualidade. Habitualmente, são criadores que desprezam cruzamentos inteligentes e a saúde dos animais, já que, como mencionámos anteriormente, a criação de gatos é um hobby dispendioso. Quem, na verdade, se preocupar com o bem-estar do seu gato, assume determinados gastos que devem ser cobertos com o preço de venda do animal. Como alternativa, poderá visitar uma associação protetora dos animais. Lá encontrará inúmeros gatos de todas as idades que procuram um novo lar. Certamente que em alguma destas associações encontrará um gato amistoso, cuja personalidade seja semelhante à do Azul russo. É também comum encontrar gatos de raça nestas associações, pelo que vale bem a pena tentar!

Os nossos desejos de uma vida fantástica na companhia deste mansinho atleta!

Os nossos artigos mais relevantes

Bosque da Noruega

O bosque da Noruega conquista facilmente o coração de toda a gente graças ao seu aspeto selvagem e personalidade genuína.

Persa

Os gatos persas são das raças mais populares, antes de adotar um gato persa fique a saber: Que cuidados ter; Personalidade; Alimentação e muito mais.

British shorthair

Os british shorthair têm uma personalidade tranquila e equilibrada o que faz deles uma raça ideal para viver em família.