Comichão nos cães This article is verified by a vet

Em colaboração com Royal Canin
A comichão nos cães tem várias causas.

A comichão nos cães tem várias causas.

Todos os cães sentem comichão de vez em quando, especialmente na altura da mudança do pelo. Mas se notar que o seu patudo se coça mais do que o normal é importante investigar a causa. Não apenas pelo desconforto que o seu patudo sente, mas também porque a comichão nos cães pode ser um sinal de uma infestação por parasitas ou fungos, alergias ou uma doença mais abrangente.

Causas da comichão nos cães

A comichão persistente e constante é uma das principais razões para uma ida ao veterinário. Existem várias causas para este problema e neste artigo vamos ver as principais.

Em geral os veterinários dividem a causas da comichão em primárias e secundárias. Numa situação de causa primária a comichão aparece antes das alterações na pele. Já quando se trata de uma causa secundária observam-se em primeiro lugar mudanças na pele.

Causas da dermatite canina

A comichão nos cães é uma das razões mais frequentes para uma visita ao veterinário. Há muitas causas e doenças diferentes que podem provocar comichão. Apresentamos aqui as mais relevantes.
Mas, primeiro é necessário distinguir causas primárias e secundárias da comichão. Considera-se causa primária quando o prurido começou antes de haver alterações na pele. Por outro lado, considera-se o prurido uma causa secundária quando as alterações na pele ocorreram primeiro.

Ácaros e pulgas

Uma das causas mais comuns da comichão são os parasitas que se instalam no pelo e na pele dos cães. Existem inúmeras espécies de ácaros que podem atacar os cães. No entanto, os ácaros que com maior frequência causam comichão são:

  • Cheyletiella
  • Sarcoptes
  • Ácaro do ouvido (Otodectes cynotis)
  • Trombicula autumnalis

As pulgas são igualmente uma causa muito comum da comichão nos cães. Os nossos cães apanham pulgas através do contato com animais ou quando passam ou descansam em zonas onde estes parasitas vivam. É relativamente comum encontrar pulgas em locais como por exemplo o carro ou a cama do patudo. Muitos patudos são alérgicos à certos componentes da saliva da pulga e por isso desenvolvem uma doença chamada dermatite alérgica à picada da pulga ou simplesmente alergia a pulgas.

Alergias

Muitas alergias podem desencadear comichões moderadas a severas. Entre as alergias mais comuns nos cães estão:

  • Dermatite de contato: reação alérgica a substâncias que contactam com a pele
  • Dermatite alérgica à picada da pulga: Alguns componentes da saliva da pulga causam comichão intensa
  • Dermatite atópica: alergénios como por exemplo pólen, ácaros ou bolores desencadeiam uma reação alérgica.
  • Alergia alimentar: determinadas proteínas causam alergia.

Infeções fúngicas

Uma infeção por fungos causa igualmente comichão nos cães. Entre os fungos que atacam os cães está o Microsporum canis e o Trichophyton mentagrophytes, sendo o primeiro mais comum. No entanto, as infeções causadas por fungos são relativamente raras nos cães. A maior parte surge quando o sistema imunitário do patudo está enfraquecido ou em consequência de falta de cuidados. Pode igualmente acontecer por contato direto com outro animal infetado.

Outras causas da comichão nos cães

As causas secundárias de comichão incluem as doenças sistémicas. Entre estas merecem destaque o hipertiroidismo, a Doença de Cushing e outras doenças autoimunes. Nestes casos ocorrem alterações na pele devido a deficiências na camada protetora da própria pele, ao enfraquecimento do sistema imunitário, a alterações no ciclo menstrual, entre outras.

Em muitas situações as alterações na pele não causam comichão imediata. No entanto, as alterações estruturais da pele e o sistema imunitário enfraquecido fazem com que bactérias e fungos se instalem e se reproduzam mais facilmente na pele. Como consequência podem surgir infeções e outros sintomas associados.

Royal Canin Dermacomfort Medium:

  • Ração para cães com pele sensível e propensos a irritações de pele
  • Fórmula alergénica reduzida devido a fontes proteicas selecionadas
  • Contém ómega-3 e ómega-6 para proteção máxima da pele sensível

Como se faz o diagnóstico das causas da comichão nos cães?

Visto que as causas da comichão são tão variadas, o veterinário tem de fazer uma abordagem estruturada ao problema. Assim, em primeiro lugar é preciso recolher o máximo de informação possível junto dos donos.

Quais as informações relevantes para o veterinário?

  • Dados gerais: raça, sexo, idade peso
  • Idade quando o problema se iniciou
  • Os pais e irmãos do patudo têm problemas semelhantes?
  • Locais do corpo onde o cão se coça mais
  • A comichão é sazonal? Por exemplo, o patudo coça-se mais na primavera?
  • Outros animais de estimação ou pessoas da casa apresentam os mesmos sintomas?
  • O patudo foi tratado para este problema anteriormente? Qual foi a reação?
  • O que surgiu primeiro, a comichão ou as alterações na pele?

Com base nestas informações e num exame clínico geral, o veterinário começa a eliminar possíveis causas para fazer o diagnóstico.

5 métodos de diagnóstico

  1. Os parasitas externos são a principal causa de comichão nos cães e são fáceis de detetar. Se o veterinário não conseguir identificar os parasitas, mas considerar muito provável uma infestação, o passo seguinte é uma terapia de diagnóstico. Nesse caso administra-se um medicamento desparasitante e aguarda-se o resultado.
  2. Bactérias e fungos podem ser identificados através de exames citológicos ou um antibiograma. Se for esta a causa da comichão, em seguida é importante identificar a razão que levou à instalação destes parasitas no cão.
  3. A Lâmpada de Wood (luz negra), a cultura de fungos ou testes PCR para fungos são métodos adequados para diagnosticar infeções fúngicas.
  4. Já os diagnósticos de alergias são um desafio para os veterinários. Em primeiro lugar não existem testes simples e fiáveis que permitam identificar qual o tipo de alergia que o patudo pode ter. O diagnóstico da dermatite de contato é mais simples, pois a comichão é muito localizada e ocorre apenas após o contato com determinada substância. Para diagnosticar todas as outras alergias o método aconselhado é o método de exclusão. Ou seja, o tipo de alergia vai sendo excluída uma a uma.
  5. Se o veterinário suspeitar de uma causa secundária para a comichão, o primeiro passo é procurar a causa primária. Por exemplo, fazer análises ao sangue para conhecer os valores hormonais relacionados com a tiroide, se houver a possibilidade de a causa primária ser hormonal.

Royal Canin Dermacomfort comida húmida para cães:

  • Comida húmida especial para cães com pele sensível e tendência a irritações cutâneas
  • Nutrientes de alta qualidade contribuem para um pelo saudável
  • Ácidos gordos ómega proporcionam um cuidado ótimo da pele sensível

Quais os tratamentos para a comichão nos cães?

Quando os patudos têm uma comichão intensa e persistente geralmente é preciso aliviar o sofrimento do cão mesmo antes do diagnóstico. Medicamentos de ação rápida como por exemplo glucocorticoides ou oclacitinib são os mais indicados nestas situações. Outra ajuda são terapias locais como por exemplo champôs especiais.

No entanto, determinar a causa exata da comichão é essencial para que o problema seja definitivamente resolvido. O tratamento vai depender da causa exata da comichão.

Os nossos artigos mais relevantes
11 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?