10 dicas para refrescar o seu cão nos dias mais quentes

Por norma, entre junho e setembro as temperaturas elevadas “invadem” o nosso país. Se pela manhã o sol já se faz sentir, ao meio-dia o calor é praticamente insuportável para os nossos companheiros de quatro patas. Porém, basta recorrer a alguns truques simples para ter a certeza de que o seu patudo ultrapassará os dias mais quentes. Neste artigo, focamos as necessidades dos cães no verão e damos-lhe as melhores dicas para o refrescar.

Estabeleça uma zona de descanso fresca

Ao contrário de nós, os cães suam apenas através das patas. Tendo em conta que este mecanismo não é suficiente para regular a temperatura de todo o corpo, os cães ofegam para libertar o calor em excesso. Porém, face a temperaturas elevadíssimas, nem desse modo conseguem enfrentar o calor.
Assim sendo, os nossos patudos precisam de opções para se protegerem do sol e evitarem uma insolação: experimente montar um chapéu de sol no jardim ou na varanda, por exemplo. Os cães gostam também de se refrescar por debaixo de árvores ou de arbustos.

Pisos de cor escura expostos ao sol devem ser cobertos com uma manta de tons claros ou com uma toalha velha como proteção contra o calor intenso; se a temperatura o justificar pode humedecê-los. Há ainda a possibilidade de oferecer ao seu patudo uma superfície fria adquirindo um tapete refrescante. Apresentam, habitualmente, um enchimento de gel refrigerante ou de água e podem ser arrefecidos no congelador.
Para impedir que o calor invada a casa, é uma boa ideia manter a casa escura desde cedo, fechando as cortinas ou as persianas. À noite, pelo contrário, faça correr o ar pela casa abrindo portas e janelas.

Tempo quente é tempo de gelado

Quando está calor, quem não é fã de um delicioso gelado? E os nossos patudos não são exceção. Para os cães, os gelados são uma opção refrescante e rápida de concretizar. São necessários poucos ingredientes e o gelado fica pronto após algumas horas no congelador – por exemplo, numa cuvete de cubos de gelo. A criatividade não conhece limites!

Aqui ficam algumas dicas para gelados que certamente serão um sucesso junto do seu patudo:

  •  A maioria dos cães é fã de iogurte natural ou de iogurte quark, mesmo congelado.
  • Caldos de vaca ou de galinha congelados constituem uma opção muito saborosa e menos calórica.
  • Quando não há tempo a perder, nenhum cão encalorado irá recusar cubos de gelo simples.

Nunca deixe o cão no interior do automóvel

Mesmo em dias temperaturas medianas, os automóveis depressa se transformam em perigosas estufas. Infelizmente, acima de determinada temperatura a abertura das janelas não é suficiente para arrefecer o carro.

O risco de sobreaquecimento e de uma insolação fatal é particularmente elevado no verão. De modo a protegermos os nossos animais do calor, devemos deixá-los no conforto do lar quando vamos ao supermercado ou encher o depósito do carro.

Beber água

Ao arfarem, é pressionado mais ar contra as membranas mucosas dos cães. O líquido evapora, o que permite o arrefecimento da temperatura corporal. Quanto mais arfam, mais líquidos perdem.
Assim sendo, quanto mais elevadas forem as temperaturas mais importante é que os cães bebam água em quantidade suficiente. Para se assegurar de que o seu patudo ingere a água de que necessita, ponha em prática os seguintes truques:

  • Espalhe vários bebedouros pela casa.
  • Encoraje ativamente o animal a beber água ao oferecer-lha ou indicar-lhe o bebedouro.
  • Muitos cães preferem beber água do jardim ou caldos sem sal.
  • Tanto água a correr como respingos de água podem estimular os cães a beber. Para tal, estão disponíveis bebedouros especiais e fontes.

Alimentos com elevada percentagem de líquido

As necessidades de consumo de água dos cães dependem do seu peso, do nível de atividade e da alimentação. Por exemplo, cães que comam ração precisam de beber mais água.

Porém, pode cobrir parte das necessidades do animal através da alimentação. Se o seu patudo também gosta de comida húmida pode juntar um pouco à ração ou substituí-la totalmente durante o verão.

Arrefecimento ativo: uma boa banhoca!

Uma solução bastante simples para o seu cão se refrescar durante os meses mais quentes é tomar um banho. Se não estiver perto do mar ou de um rio, existem outras formas de o fazer.

No verão, os cães gostam especialmente da ideia de terem uma piscina própria ou, no mínimo, uma pequena banheira. Com os brinquedos certos consegue encorajar o seu patudo a tomar uma banhoca. Irrigadores e mangueiras são outros acessórios populares junto dos cães quando querem brincar e refrescar-se.

No entanto, se assegure-se de que o patudo não permanece demasiado tempo na água. Engolir muita água aumenta o risco de contaminação; entre os primeiros sinais contam-se desordem e vómitos.

Atenção à inflamação da bexiga

Arrefecer em dias de muito calor é fundamental. No entanto, não é preciso exagerar. Pavimentos demasiado frios ou banhos com água também muito fria podem conduzir a cistite, isto é, à inflamação da bexiga. Entre os sintomas típicos contam-se a micção frequente (poliúria) ou a dor ao urinar (estrangúria).

Deste modo, dê ao patudo a possibilidade de se enxugar numa toalha. Ao mesmo tempo, verifique a temperatura dos tapetes refrescantes ou cubra-os com uma toalha.

Acerte a hora dos passeios com a temperatura

No verão, os passeios durante a hora do almoço não são da preferência dos nossos patudos. O alcatrão ferve e o sol queima em direção ao denso pelo dos cães.

Recomendamos, então, o ajuste da hora dos passeios: de manhã cedo e ao final do dia. Não é preciso caminharem muito e as sombras no jardim ou na mata são os locais mais apreciados.

Hora do cabeleireiro?

São muitas as raças de cães de pelo comprido. Rapidamente assumimos o pelo deve tornar o calor ainda mais insuportável. Mas será que umas tesouradas aliviam?

Na verdade, o pelo denso dos nossos patudos não só tem como função aquecer como também arrefecer. Através da evaporação da água no pelo dá-se um arrefecimento evaporativo, fenómeno que proporciona aos cães com pelo denso uma sensação refrescante super agradável. Assim, não se precipite ao cortar automaticamente o pelo do seu companheiro de quatro patas no verão. A raça tem um papel essencial. Se tem dúvidas, consulte o médico veterinário ou um cabeleireiro canino.

Proteção contra parasitas

Confessamos que esta última dica não está relacionada com o assunto do arrefecimento. De qualquer modo, o assunto dos parasitas é especialmente importante no verão – a erva e as altas temperaturas criam as condições ideais para o desenvolvimento destas pragas. Proteja o seu cão de doenças infecciosas e de reações alérgicas perigosas ao iniciar a prevenção contra os parasitas logo na primavera.

Coleiras antiparasitárias com piretróides, gotas para aplicar na pele ou comprimidos mastigáveis são soluções comuns. Todos estes produtos contêm agentes que atuam contra os parasitas, diferindo no que toca à duração e ao espectro dos efeitos.

Os nossos artigos mais relevantes

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?

Dermatite canina

Se o seu cão se coça demasiado deve apurar-se a origem do prurido, pois isso restringe o seu bem-estar e reduz a sua qualidade de vida.