Superalimentos para cães: faz sentido?

Sejam sementes de chia ou bagas goji: os superalimentos andam nas bocas do mundo. Mas trata-se apenas de uma moda ou será que os animais domésticos também podem beneficiar dos superalimentos? Neste artigo, observamos os superalimentos para cães à lupa.

O que é um superalimento?

Usa-se o termo "superalimento" para alimentos que não só nos saciam como apresentam benefícios extra para a nossa saúde e vitalidade. Concretamente, estamos a falar de substâncias vegetais, antioxidantes, minerais e micronutrientes.

Os superalimentos não têm que vir de países exóticos! Muitas vezes, não são mais do que alimentos do quotidiano, à venda em qualquer mercado ou secção de vegetais e fruta do supermercado. Aqui se incluem, por exemplo, inúmeras variedades de verduras e frutas de produção local.

É claro que do lote dos superalimentos também fazem parte alimentos mais exóticos e que ganharam popularidade - o caso das sementes de chia ou a moringa em pó. O carimbo de "superalimento" é responsável pelo hype à sua volta.

Tratam-se de alimentos saudáveis - isso não está em causa. Porém, com todas as atenções centradas nestes alimentos de origens longínquas, muitos esquecem-se dos superpoderes dos hortícolas e cereais mais comuns.

Desta perspetiva, a designação "superalimento" não nos diz nada de novo. Na realidade, ajuda-nos a identificar alimentos que nos fazem bem - e aos nossos animais. Por exemplo, sabemos agora que as sementes de linhaça, ainda que não gozem da mesma popularidade das sementes de chia, têm benefícios semelhantes!

Superalimentos para cães

Mas o que são afinal superalimentos quando se fala de comida para cão? Aplica-se o mesmo princípio aos nossos animais de companhia: é claro que existem alimentos que beneficiam especialmente o bem-estar e a forma física destes patudos.

Atualmente, até já estão disponíveis no mercado ração e snacks com superalimentos. Será apenas uma estratégia de marketing bem pensada? Ou será que os ingredientes são realmente benéficos? Analisemos alguns dos superalimentos para cães e as suas hipotéticas vantagens:

  • Ervilhas secas

Ervilhas como sinónimo de superalimento? É verdade! Este clássico da nossa gastronomia é rico em proteína e fibra. Secos, estes vegetais esféricos contêm ainda mais proteína.

Além disto, também os cães podem beneficiar das suas vitaminas e micronutrientes. Entre estes incluem-se a vitamina B, o magnénsio, o ferro, o potássio e o zinco.

  • Arroz integral

Por que motivo devemos privilegiar o arroz integral em relação ao arroz branco? Entre outras razões, porque contém mais vitaminas, minerais e ácidos gordos insaturados. E mais: humanos e animais demoram mais tempo a digerir o arroz integral, ou seja, sentimo-nos saciados por mais tempo. Os cães beneficiam deste tipo de arroz tanto como nós.

  • Cevada

O revestimento dos grãos de cevada é designado por casca. Estes são particularmente ricos em fibra, importante para a digestão dos nossos patudos.

Além disto, a cevada é famosa por conter uma elevada percentagem de minerais, entre os quais magnésio, cálcio, potássio, ferro e fósforo. Vitaminas do complexo B e aminoácidos completam o pacote da cevada.

  • Polpa de beterraba seca

É obtida através da prensagem de beterrabas e fornece enormes quantidades de fibra ao seu patudo. A polpa da beterraba é rica em fibras, tendo um efeito muito benéfico na digestão dos cães. Em suma: a polpa de beterraba é um superalimento para cães!

  • Quinoa

A quinoa é uma das estrelas dos superalimentos. Será a sua reputação merecida? E será que também é benéfica para os cães? A quinoa não é um cereal, mas sim uma espécie de planta, e, portanto, um "parente" do espinafre.

A quinoa fornece-nos todos os nove aminoácidos essenciais, ou seja, aminoácidos que o nosso organismos não consegue produzir por si. Os cães beneficiam deste superalimento do mesmo modo que nós. Além disto, a quinoa é rica em proteína e minerais.

  • Leveduras

As leveduras são fungos microscópicos que se encontram por todo o lado na natureza. Na comida para cão, as leveduras contêm altas percentagens de vitaminas do complexo B, minerais e micronutrientes.

Por norma, encontramos levedura de cerveja na comida para animais. Acima de tudo, esta é rica em vitamina B1, substância que fortalece o sistema imunitário e contribui para um pelo bonito. Já agora: comprimidos de levedura de cerveja são ótimos para nós, em especial em casos de pele pouco saudável.

  • Óleo de salmão

O óleo de salmão fornece ao organismo do seu cão valiosos ácidos gordos. Falamos de ácidos gordos Ómega 3 e 6, que promovem pele e pelo saudáveis. São muitos os relatos de pelo mais denso e mais farto após a suplementação com óleo de salmão durante algumas semanas.

Mais prático ainda é se o óleo fizer parte dos ingredientes da comida do animal. Além do mais, as gorduras saudáveis têm um efeito positivo no sistema imunitário.

  • Maçã desidratada

Maçãs como superalimentos para cães? É verdade! Comer de forma saudável pode ser bastante simples. Fibras alimentares e vegetais contribuem para o bom funcionamento do intestino. Não é por acaso que se diz "an apple a day keeps the doctor away", isto é, "uma maçã por dia não sabe o bem que lhe fazia".

Além do mais, a popular fruta está repleta de vimtainas, com destaque para as vitaminas C e B, além de minerais e micronutrientes. Em suma, as maçãs são preciosas não só para nós como também para os nossos patudos.

Ocasionalmente, pode oferecer ao seu cão um pequeno pedaço de maçã como snack. Porém, os nutrientes são mais úteis para os cães em puré. Uma boa alternativa é, então, comida húmida que contenha maçãs.

  • Mirtilos

Os mirtilos são ricos em antioxidantes, fundamentais para proteger o organismo da ação dos radicais livres. Este princípio aplica-se tanto a humanos como a animais.

A mirtilina, substância presente nestas bagas azuis, tem um papel importante, pois é a responsável pela cor intensa do fruto e também pela elasticidade das veias. Os mirtilos previnem o stress oxidativo, sendo, assim, agentes naturais de anti-envelhecimento. A confirmação surge de um estudo realizado em 2006 com cães de trenó.

Não há nada de mal em oferecer umas quantas bagas ao seu patudo, sejam frescas ou congeladas. No entanto, faça-o apenas ocasionalmente, pois os mirtilos são ricos em frutose. Uma sugestão: estas bagas são um ótimo complemento à ração do animal.

  • Millet

O millet contém inúmeros minerais e micronutrientes, sendo conhecido pelo seu alto teor de ácido silícico. Esta substância contribui para pele e pelo saudáveis, sendo útil, por exemplo, para os cães perderem menos pelo. Além do mais, o millet é também rico em ferro, fundamental para o transporte de oxigénio no sangue e para a regeneração celular.

  • Extrato de yucca

A yucca pode-se comer? Se quando pensa em "yucca" só lhe vem à mente a planta ornamental é sinal que está a subvalorizar esta espécie, que pode alcançar uns notáveis três metros e meio de altura. Na comida para cão, o extrato de yucca previne não só a flatulência como as inflamações. Os cães mais idosos beneficiam especialmente deste extrato, que torna as suas refeições imediatamente mais saudáveis.

A carne é a base!

Os superalimentos para cães são uma das formas para oferecer ao seu patudo as vitaminas, minerais e ácidos gordos de que necessita - naturalmente, sem aditivos nem em pó.

De qualquer modo, quanto à pedra basilar para uma dieta saudável não há como fugir: muita carne. Na comida de qualidade, a carne deve ser a base e, portanto, constar no primeiro lugar da lista de ingredientes. Quando carne e superalimentos se juntam, os nossos companheiros de quatro patas beneficiam não só de uma dieta apropriada como do poder dos vegetais, fruta e companhia.

Concluindo, superalimentos - sim, claro! Mas não se esqueça que a base da dieta será sempre a carne, de preferência de elevada qualidade!

Os nossos artigos mais relevantes