6 razões para não oferecer cães como presente de Natal

reflita antes de oferecer cães no natal

Muitas crianças que querem ter um animal de estimação. É por isso que muitas das cartas ao Pai Natal incluem o desejo de ter um cão. Mas oferecer um cachorro pelo Natal será assim tão boa ideia? Nem por isso – nem para crianças, nem para adultos! Conheça neste artigo seis motivos pelos quais os cães não são presentes de Natal adequados.

Seis razões – é por isto que um cão não é uma boa prenda de Natal

  • As associações protetoras dos animais não permitem a adoção de cães como presentes de Natal

Aprender com a experiência: a maioria dos canis só disponibiliza cães para adoção até ao início do mês de dezembro, pois no passado verificou-se que, chegada a última quinzena deste mês, muitos dos animais eram devolvidos. Em janeiro, os funcionários das associações reconheciam muitos dos cães e gatos que regressavam às instalações. Demasiado exigente, barulhento ou dispendioso – as queixas sugerem que o presente não foi devidamente ponderado.

  • Um cão como surpresa de Natal – esqueça a ideia

    É verdade que ninguém oferece um cachorro embrulhado e com um lacinho – mas a tentação para surpreender quem mais gostamos com uma bola de pelo debaixo da árvore de Natal é bem real. Porém, o novo membro da família não deve ter nada a ver com uma surpresa! Todos os seus membros devem ter tempo para se prepararem para a chegada do animal. As crianças devem, por exemplo, receber regras bem precisas quanto à postura a adotarem perante o patudo, mesmo antes de este chegar ao seu novo lar. O primeiro encontro deve decorrer num ambiente calmo e sem grande alarido.

  • A escolha da adoção de um cão cabe somente ao dono

    Os adultos também apreciam a companhia de um animal de estimação. Lembra-se de alguém que gostaria de partilhar a vida com um novo patudo? Ah, a tia Luísa – o Biscoito, o seu Teckel, morreu há três anos, muito velhinho. Presenteá-la com um novo companheiro de quatro patas parece o ideal!  Basta decidir onde procurar, no canil ou junto de um criador. Esqueça – nada disto é boa ideia. A decisão, e a responsabilidade, de adotar um cão cabe apenas ao dono. Na verdade, a tia Luísa até pode estar a planear viajar ou adotar dois gatos. E mesmo tendo a certeza que a tia pretende adotar um novo patudo: apenas ela saberá qual o tipo de personalidade canina que procura e que a fará feliz.

  • A responsabilidade não é algo que se possa oferecer

    A responsabilidade pelo bem-estar de um cão não desaparece ao presenteá-lo a alguém. Quem o irá passear faça chuva ou faça sol? Quem irá despender do seu tempo para o educar? Quem cuidará dele e o levará ao veterinário quando estiver doente? É imperativo que estas e muitas outras questões sejam clarificadas atempadamente e não combinadas no momento da oferta. Se os pais adquirem um cão apenas para agradar ao filho, é quase certo que as coisas não vão correr bem. Os adultos têm a responsabilidade total pelos patudos e devem focar-se em educá-los e proporcionar-lhes atividades. Antes de adotar um cão, coloque a si mesmo as seguintes perguntas:

    • Todos os membros da família concordam com a adoção?
    • Como planear as férias com um cão?
    • Dispomos diariamente de várias horas para lidar com o animal?
    • Tempos disponibilidade financeira para cobrir os custos do dia a dia, além de um pé-de-meia para emergências, como gastos veterinários?
    • Limpamos os pelos e as sujidades do nosso patudo sem grandes queixas?
    • Algum membro da família tem alergias a animais?
    • Teremos a paciência necessária para os desafios que a educação de um cão implica?

    Todas estas questões devem ser postas em cima da mesa e clarificadas antes da chegada de um novo membro à família.

take welpe weihnachten
  • Um cão é um membro da família

    Oferecer um cão como prenda de Natal é tratá-lo como um objeto sem vida e sem valor e é um gesto pouco apreciado pelos verdadeiros amantes dos animais. Acima de tudo, um patudo é, idealmente, um valioso novo membro da família e não um objeto entregue pelo Ricardo à Maria. Se o seu filho anseia por receber um cão pelo Natal, explique-lhe por que motivos os animais não são presentes apropriados.

  • Demasiada agitação na época do Natal

    Familiares mais próximos, e também os outros, visitam o espaço do lar na época natalícia. Um pinheiro de Natal repleto de decorações. Mesas cheias de comida e crianças bem-dispostas. Este é um retrato bastante fiel do que se passa no Natal em muitas casas. A verdade é que o momento das festividades tem pouco de contemplativo. Pense bem: qual o ambiente mais propício para a chegada de um novo companheiro de quatro patas? Não é de todo o Natal, pois a receção deve ser feita em tranquilidade.

Cães como presentes de Natal – existem exceções?

Muitos de nós temos férias entre o final e o início do ano e, neste sentido, é natural que a época pareça a ideal para a chegada de um patudo ao seu novo lar – nada de errado há nesta consideração. No caso dos cachorros que tenham atingido a idade de se separarem das mães na altura do Natal é certo que devem ser integrados no novo espaço nesse momento. Porém, as celebrações natalícias devem ser organizadas de modo a que se mantenha por casa durante as festividades. O dia 27 de dezembro será mais indicado para a chegada do animal do que a noite da consoada. Nunca é de mais lembrar: um cão nunca deverá ser uma oferta espontânea! Além disso, é necessário especial cuidado com os cachorros, pois podem ingerir alguma das inúmeras decorações de Natal ou até uma figura do presépio!

Prendas de Natal: que alternativas existem?

Livros ou vales de oferta

O seu filho quer desesperadamente ter um cão e você consegue perfeitamente ver-se a adotar um patudo como o novo membro da família? Já se informou acerca das despesas estimadas, do tempo e das necessidades que um cão requer e implica e tem a certeza que lhe pode oferecer todo o bem-estar? Excelente! Experimente, então, oferecer ao seu filho, pelo Natal, um livro adaptado à sua idade que aborde as relações entre humanos e cães. Deste modo, é com entusiasmo que ambos se podem ir preparando para a chegada do novo companheiro de quatro patas. E se o cão for para oferecer a um adulto? Não há qualquer problema! Presentei-o, na época do Natal, com um livro do seu particular interesse sobre o tema ou com um vale de oferta para adquirir o equipamento básico para receber o patudo no seu novo lar.

É sempre possível oferecer outras prendas

Se não está 100% certo acerca da entrada de um novo membro na família, opte por outro presente. Um cão de peluche é uma excelente ideia para surpreender os mais novos. E por que não dirigir-se a um canil e tentar saber se recebem voluntários de palmo e meio – se sim, o seu pequenote pode interagir regularmente com cães e outros animais carentes.

Já adotou um cão? Descubra as nossas sugestões de prendas de Natal para cães e as dicas para um Natal em segurança com o seu patudo!

Os nossos artigos mais relevantes