Iguanas (répteis iguanidae)

Escrito por Sabrina Quente
Répteis iguanidae: Iguana deitada num ramo de árvore

As iguanas fazem lembrar pequenos dinossauros e, por isso, chamam à atenção de crianças e adultos.

Os répteis iguanidae são uma família de répteis escamados, à qual pertencem as conhecidas iguanas, que variam bastante no seu aspeto. No entanto, todos estes répteis têm um ar misterioso e fascinante. Descubra neste artigo se as iguanas são animais adequados para ter em casa. Aqui explicamos também como cuidar do seu réptil para o manter feliz e saudável.

Bilhete de identidade dos répteis iguanidae

Nome: família Iguanidae
Tamanho: 15 a 215 centímetros
Peso: 5 a1 5 quilos
Tamanho do terrário: depende da espécie. Por exemplo, a iguana-verde precisa de um terrário com pelo menos 150 x 200 x 250 centímetros (comprimento x largura x altura). Espécies mais pequenas vivem felizes num terrário com 120 x 60 x 60 centímetros
Temperatura: entre 25 e 28 graus Celsius, durante a noite entre 20 e 25 graus Celsius
Alimentação: de acordo com a espécie, a deita deve ser predominantemente ou exclusivamente à base de plantas
Convivência: pelo menos um casal, idealmente um macho e uma ou duas fêmeas
Nível de dificuldade de manutenção: médio

Aspeto répteis iguanidae: répteis saídos dos contos de fada

Estes répteis pertencem à ordem squamata, ou escamados, que se caracterizam por terem o corpo coberto de escamas. Além disso, estes repteis invocam os dragões que fazem parte do nosso imaginário por causa dos contos de fadas. Em termos concretos, o corpo destes répteis caracterizam-se por ter as pernas traseiras mais fortes do que as dianteiras e, em muitas espécies, a cauda é mais comprida do que o corpo. Várias espécies dos répteis iguanidae têm partes do corpo cobertas por espinhos.

Como se distinguem as espécies?

No que se refere a estes répteis, a palavra-chave é diversidade. Assim, o aspeto destes répteis varia muito de acordo com a espécie. Por exemplo, alguns têm apenas alguns centímetros, enquanto outros podem ter mais de 2 metros de comprimento. No entanto, existem aspetos comuns, todos têm escamas que formam padrões listrados ou com manchas. Em relação às cores, a variedade é igualmente grande, alguns são azuis, outros vermelhos, castanhos ou cor-de-laranja, mas a cor mais conhecida é o verde da iguana.

Como identificar machos e fêmeas?

Em primeiro lugar, é importante sublinhar que só consegue identificar o género destes répteis quando eles atingem um ou dois anos de idade. Nessa altura, um aspeto que diferencia os machos das fêmeas são os poros femorais, que se situam na parte interna das coxas. Estes poros são maiores e mais visíveis nos machos do que nas fêmeas.

Os machos mais velhos apresentam igualmente a prega na zona gular bastante desenvolvida assim como uma escama arredondada por baixo do tímpano. A crista que se desenvolve na parte posterior da cabeça até à cauda também se torna mais proeminente.

Comportamento das iguanas e dos répteis iguanidae

Os répteis iguanidae são escaladores profissionais, mas também nadam muito bem e, naturalmente, adoram apanhar sol. Geralmente, o dia destes répteis começa com um prolongado banho de sol. Nesta altura, as cores das escamas ficam mais escuras para reter o calor. A meio do dia, a cor do corpo dos répteis iguanidae torna-se mais clara, para não ficar demasiado quente. De facto, no que se refere ao controle da cor do corpo, estes répteis são parecidos com os camaleões.

Um comportamento típico dos machos é o acenar com a cabeça, que serve para impressionar as fêmeas ou para intimidar outros machos.

Os répteis iguanidae são perigosos?

Contrariamente a algumas espécies de lagartos, os répteis iguanidae não são venenosos. No entanto, podem ser perigosos se os donos tiverem comportamentos inadequados, já que estes répteis usam a poderosa causa como se fosse um chicote. Além disso, estes animais têm garras afiadas que são essenciais para a escalada. Em terrários, os répteis não têm as mesmas oportunidades para gastar as unhas e, por isso, fazem concorrência direta com os gatos no que se refere aos arranhões.

Reprodução

Todas as espécies de répteis são ovíparas, ou seja, põem ovos. Em estado selvagem, estes répteis reproduzem-se na época seca depois de atingirem a idade adulta, por volta dos 2 ou 3 anos. Se tem répteis iguanidae em casa pode simular as condições necessárias para eles se reproduzirem dentro do terrário.

Nesta altura é mais fácil identificar os machos, que mudam de cor, preferindo cores mais intensas e brilhantes, como o vermelho e o laranja.

A quantidade de ovos que as fêmeas põem depende da espécie, por exemplo, a iguana-verde põem até 70 ovos. Geralmente, os ovos são depositados em ninhos em solo arenoso e eclodem passados 70 a 90 dias.

Antes de mais nada, é importante sublinhar que estes répteis precisam de companhia de pares para se sentirem confortáveis e felizes. Naturalmente, o tamanho do terrário tem que ser adequado às necessidades da espécie e reproduzir, tanto quanto possível, o seu habitat original.

Que espécies de répteis iguanidae podem viver num terrário?

Todos os répteis desta família precisam de muito espaço. No entanto, o seu mais conhecido representante, a iguana-verde precisa mesmo de muito espaço, já que pode atingir até dois metros de comprimento. Assim, cuidar de uma iguana-verde é uma tarefa para quem gosta muito de répteis e mora numa casa grande.

Mas, felizmente, existem muitas espécies mais pequenas e, por isso, mais indicadas para terraristas principiantes. Por exemplo, a iguana de colarinho ou o lagarto esmeralda são uma boa escolha para um terrário em casa.

Número de répteis no terrário

Para dar um estilo de vida adequado aos seus répteis, deve ter um macho e uma ou duas fêmeas. No entanto, como mencionado acima, não é fácil identificar o género dos animais jovens. Assim, o melhor é optar por animais mais velhos. Em alternativa, pode manter um exemplar no terrário até identificar o género e depois trazer mais duas fêmeas ou um macho e uma fêmea. O grande problema de comprar dois répteis jovens é que ambos podem ser machos. Nesse caso, eles consideram-se rivais e não têm qualquer problema em pôr as garras de fora e entrar em combate.

Outros aspetos a ter em conta

A maioria dos repteis iguanidae podem ser mantidos em cativeiro nas nossas casas. No entanto, ao comprar um réptil, convém solicitar os documentos que atestam a sua origem.

Lagarto esmeralda em cima de uma rocha
O lagarto esmeralda é lindíssimo e adequado a terraristas com pouca experiência.

Tamanho do terrário

O tamanho do terrário depende da espécie que tem em casa. Visto que existem enormes diferenças de tamanho entre os vários representantes, é impossível indicar o tamanho adequado de um terrário para répteis iguanidae. Por exemplo, para o lagarto esmeralda o terrário deve ter 120 x 60 x 60 centímetros (comprimento x largura x altura). Já para uma iguana verde as dimensões devem ser 150 x 200 x 250 centímetros.

No entanto, no que se refere a espaço para os répteis, a regra é sempre quanto mais melhor. Lembre-se também que se comprar um réptil jovem ele vai crescer. Assim, compre um terrário a contar com o tamanho do seu animal de estimação adulto.

O equipamento de um terrário para répteis iguanidae

Os répteis precisam de luz e calor para sobreviver, visto que são animais de sangue-frio. Assim, o seu terrário deve estar devidamente equipado com lâmpadas que forneçam também calor. No entanto, coloque estes equipamentos fora do alcance dos seus répteis para evitar queimaduras.

Além da iluminação, um terrário precisa igualmente de ter:

  • Ramos de árvore e elevações para escalada
  • Zonas de descanso como, por exemplo, grutas em cortiça ou em outros materiais naturais
  • Banheira para os répteis nadarem e se refrescarem. Idealmente a água deve estar aquecida
  • Zona de alimentação com tijelas para comida e água
  • Zonas para tomar banhos de sol por baixo das lâmpadas de calor
  • Equipamento técnico: lâmpadas de calor, de UV-A e UV-B, humidificador do ar e tapetes de aquecimento
  • Termómetro e medidor de humidade
  • Plantas estáveis e não venenosas, como plantas yucca, ficus ou Philodendron
  • Cobrir o chão do terrário com solo não fertilizado, mistura de turfa e areia ou cascalho, de acordo com as preferências da espécie

Condições ideais de um terrário para répteis

A temperatura do ar dentro do terrário deve variar entre 25 e 25 graus, mas por baixo da lâmpada de aquecimento a temperatura deve subir, situando-se entre os 35 e os 37 graus. Por outro lado, durante a noite estes répteis preferem temperaturas mais baixas, entre os 20 e os 25 graus.

A humidade do ar deve situar-se entre 60 e 80 por cento, de acordo com a espécie. Por exemplo, o lagarto esmeralda gosta de um ambiente mais seco, enquanto os répteis oriundos de zonas tropicais preferem mais humidade. Durante a noite, ajuste a humildade para 80 a 95 por cento também de acordo com a espécie.

Limpe diariamente o terrário, retirando restos de alimentos e excrementos. Os restos de pele devem ser igualmente retirados. Lembre-se que a pele destes repteis renova-se permanentemente e que cai mais durante as fases de crescimento.

Informação importante: Algumas espécies de répteis iguanidae entram em hibernação durante dois a três meses durante o inverno. Assim, se for o caso, diminua gradualmente a temperatura no terrário quando o inverno está a chegar e aumente-a lentamente quando o período de hibernação estiver a chegar ao fim.

Iguana deitada em baixo de uma lâmpada num terrário
Os répteis adoram deitar-se ao sol, no entanto, eles regulam o tempo e local onde se deitam para não ficarem com queimaduras.

Alguns répteis desta família, por exemplo o lagarto verde, são vegetarianos. No entanto, outros são omnívoros e além de folhas, plantas e raízes também comem insetos. Uma percentagem pequena destes répteis, cerca de 5 por cento, comem igualmente fruta e vegetais.

A quantidade de refeições por dia que o seu réptil precisa depende da espécie, no entanto grande parte destes animais comem entre duas a três vezes. Já a água deve estar sempre fresca e à disposição dos seus répteis. Para os animais em terrário deve dar suplementos de vitaminas e cálcio, a quantidade adequada depende do peso do réptil.

Doenças dos répteis

Vários fatores podem estar na origem das doenças dos répteis iguanidae, como por exemplo, terrários mal-organizados ou pequenos e erros na alimentação. As doenças mais comuns destes répteis são:

  • Inflamaçoes pulmonares provocadas por correntes de ar ou frio.
  • Feridas na pele ou escamas danificadas devido a acessórios muito ásperos no terrário.
  • As fêmeas podem ter dificuldades em pôr ovos se não forem expostas a radiação UV suficiente.

Tenha sempre atenção ao estado geral de saúde dos seus répteis. Verifique se eles não têm lesões ou descoloração da pele e observe os seus comportamentos, por exemplo, perda de apetite, de peso, diarreia ou apatia são sinais de doença. Assim que comprar o seu réptil procure um veterinário com conhecimentos sobre estas espécies. Lembre-se que nem todos os veterinários estão familiarizados com as doenças e necessidades dos répteis.

Quantos anos vivem os répteis iguanidae?

Se estiver bem informado sobre as características e necessidades do seu réptil consegue facilmente proporcionar-lhe um estilo de vida adequado, o que é fundamental para ele viver uma vida longa e feliz. Dependo da espécie, um réptil em cativeiro pode atingir de 10 a 20 anos de idade.

O ideal é comprar o seu réptil diretamente ao criador, visto que dessa forma tem a possibilidade de saber como os animais são mantidos. Assim, entre em contato com criadores e peça para visitar as suas instalações. Prefira sempre criadores que têm os répteis em terrários grandes e cuidados. É possível que demore algum tempo até encontrar a pessoa certa, mas acredite que vale a pena, pois terá um réptil saudável em casa.

Se for comprar o seu primeiro réptil, opte por um animal adulto. Dessa forma já sabe qual o género do seu animal e, por isso, sabe melhor como cuidar dele. Por fim, nunca compre animais selvagens importados. Além do impacto no meio ambiente original que estes caçadores ilegais causam, os animais capturados são quase sempre transportados e mantidos em condições terríveis, causando-lhes grande sofrimento.

Preço dos répteis

Os répteis adultos custam entre 100 e 300 euros, no entanto os exemplares jovens são, por regra, mais baratos. Ao comprar um réptil tem necessariamente que comprar também um terrário e acessórios, assim, ao comprar um réptil gasta cerca de 1.000 euros.

Habitat natural

Os répteis iguanidae são originários do continente americano. Em estado selvagem, eles vivem numa zona alargada, que vai desde o sul dos EUA até ao Paraguai. Algumas espécies encontram-se também nas ilhas do Caribe, nas Galápagos e Ilhas Fiji.

O habitat destes répteis varia, naturalmente, com as características da espécie. Assim, encontramos répteis iguanidae que vivem em florestas, perto de cursos de água, mas também em estepes e desertos.

Espécies de répteis iguanidae

Durante muito tempo existiram cerca de 50 géneros e 700 espécies de lagartos exóticos. No entanto, infelizmente entretanto 3 géneros dos répteis iguanidae extinguiram-se. Atualmente, existem 15 espécies destes animais que pertencem a 8 géneros:

  • Género Amblyrhynchus: iguana-marinha
  • Género Brachylophus
  • Género Conolophus: iguana-terrestre-das-galápagos
  • Género Ctenosaura
  • Género Cyclura
  • Género Dipsosaurus: iguana do deserto
  • Género Iguana
  • Género Sauromalus: lagartos Chuckwalla

Conclusão: ter um réptil como animal de estimação

Os répteis iguanidae são animais de estimação populares que com os cuidados adequados vivem felizes em terrários em nossas casas. No entanto, os donos devem pesquisar bastante sobre a espécie que tem para saber exatamente como o tratar corretamente.

Se não tem muita experiência com répteis e quer começar por um animal mais pequeno, pode optar por um dragão-barbudo, que é pequeno e dócil. Se preferir um réptil iguanidae lembre-se que estes animais vivem mais anos do que cães e gatos, os animais de estimação mais comuns. Além disso, quem tem um réptil em casa tem que ter tempo para cuidar dele adequadamente.

Claro que ter um réptil em casa é uma experiência totalmente diferente do que ter um cão. Os répteis não brincam nem gostam de receber miminhos como os patudos. No entanto, quem gosta de observar o comportamento dos animais e de cuidar deles, encontra nos répteis companheiros extremamente interessantes!


Sabrina Quente
Profilbild von zooplus Magazin Autorin Sabrina Quente

Os animais fazem parte da minha vida desde sempre. Nas minhas fotografias de criança tenho sempre um periquito na cabeça ou um gato ao colo. Há mais de 10 anos que escrevo sobre vários temas relacionados com animais, desde seguros de saúde até como é a vida com um gato. A minha gata Mimi está sempre ao meu lado e é a minha fonte de inspiração para muitos textos. Além disso, ela lembra-me sempre quando está na hora de fazer uma pausa.


Os nossos artigos mais relevantes
11 min

Camaleões

Que terrário tem de comprar, o que comem os camaleões, que cuidados deve ter, como manter o terrário de forma a que o camaleão esteja saudável...
11 min

Gecko Leopardo

Descubra mais sobre o comportamento e cuidados a ter com os Gecko Leopardo assim como informações sobre as características que o seu terrário deve ter.
10 min

Dragão Barbudo

O Dragão Barbudo é um réptil muito popular pois com alguma paciência estes répteis podem ser domesticados e tornarem-se mesmo bastante dóceis.