Cobra-liga This article is verified by a vet

cobra-liga Thamnophis sirtalis no meio de folhas com a língua de fora

A cobra-liga comum (Thamnophis sirtalis) é a mais conhecida do seu género.

Aspeto: quais as características da cobra-liga?

Em geral, a vivípara cobra-liga (Thamnophis sirtalis) assemelha-se à cobra-de-água-de-colar. Pertencem, então, à subfamília das Natricinae (geralmente chamadas cobras-de-água), são finas e têm uma cauda comprida. Porém, as várias espécies de cobras-liga têm diferentes características exteriores, como a cor e o tipo de corpo.

Algumas das espécies mais conhecidas são:

  • atratus
  • brachystoma (cobra-liga-de-cabeça-pequena)
  • butleri Butlers (cobra-liga de Butler)
  • chrysocephalus (cobra-liga-de-cabeça-dourada)
  • couchii (cobra-liga Sierra ou cobra-liga de Couch)
  • cyrtopsis
  • elegans
  • eques (cobra-liga mexicana)
  • errans
  • exul
  • fulvus
  • gigas (cobra-liga gigante)
  • godmani (cobra-liga de Godman)
  • hammondii (cobra-liga de duas listras)
  • marcianus (cobra-liga-quadriculada)
  • melanogaster
  • mendax
  • nigronuchalis
  • ordinoides (cobra-liga do noroeste)
  • postremus
  • proximus (cobra-fita ocidental)
  • pulchrilatus
  • radix (cobra-liga das planícies)
  • rossmani (cobra-liga de Rossman)
  • rufipunctatus
  • sauritus (cobra-fita comum ou cobra-fita oriental)
  • scalaris
  • scaliger
  • sirtalis
  • sumichrasti (cobra-liga de Sumichrast)
  • validus

A maioria das espécies tem o preto como cor de fundo, por vezes com tons de verde. Aliás, algumas cobras-liga também são identificáveis pelas duas listras laterais e por uma listra nas costas. Estas são verdes, azuis, cinzentas ou amarelas. Mas outras subespécies, como a cobra-liga de lado vermelho, apresentam um fascinante padrão de pontos vermelhos nos flancos. A barriga, por outro lado, é normalmente branca ou cinzenta.

cobra-liga de São Francisco em cima de uma pedra
A T. s. tetrataenia (cobra-liga de São Francisco) tem um aspeto bastante perigoso com o seu padrão vermelho. Mas esta espécie é bastante rara.

Tamanho: qual o tamanho da cobra-liga?

O tamanho também varia de acordo com a espécie da cobra. A cobra-liga da Flórida pode chegar a ter um metro de comprimento, enquanto a cobra-liga das planícies não ultrapassa os 80 centímetros.

Comportamento: como se comportam as cobras-liga?

Naturalmente, o comportamento das cobras depende também de diversos fatores. Apesar disso, algumas espécies são consideradas bastante dóceis. Já outras, pelo contrário, consideram-se mais agressivas. A cobra-fita, por exemplo, foge em poucos segundos ao sentir agitação nas proximidades. Alguns espécimes segregam uma secreção mal cheirosa quando se sentem encurraladas. No entanto, a cobra-liga não é venenosa.

Hibernação: como se processa?

A cobra-liga é, por norma, um animal diurno e hiberna em ambiente selvagem. Portanto, recomendamos criar um ambiente de hibernação artificial. É algo que se pode fazer ao simular as condições climatéricas do seu habitat natural. Então, a partir de outubro, deve ajustar a temperatura e a quantidade de luz.

Durante este período, deve inicialmente pôr a cobra numa caixa de hibernação almofadada, numa divisão fresca (entre 12 a 14 °C durante o dia, cerca de 10 °C à noite). A partir do início de novembro deve mover o animal, dentro da caixa, para uma área refrigerada entre os 6 e os 8 °C.

A partir do final de dezembro pode interromper a hibernação. Para tal, pode executar os mesmos passos mas no sentido inverso. Geralmente, a sua cobra não comerá nada durante o inverno. Deve verificar o animal uma vez por semana para se assegurar que está tudo bem.

Cuidados: qual a forma correta de ter uma cobra-liga?

Cada espécie sente-se mais confortável no ambiente a que adaptou no seu ambiente natural ao longo dos anos. Portanto, não é possível generalizar as condições de acomodação.

As dimensões ideais do terrário

Contudo, com os conhecimentos adequados, é possível manter muitas destas espécies dentro de quatro paredes. Um terrário com 80 x 40 x 40 centímetros (no mínimo) é normalmente apropriado. De qualquer modo, adapte o tamanho do terrário ao tamanho da cobra. Globalmente, aplica-se o seguinte princípio: quanto mais espaço a cobra tem, mais confortável se sente!

O clima no terrário

Aplicam-se as mesmas condições climatéricas à maioria das espécies de cobras-liga. Ou seja: humidade entre os 4o-60%. Para tal, basta pulverizar o terrário regularmente.

Além disso, a temperatura média deve manter-se entre os 22 e 28 °C, descendo à noite para a temperatura ambiente (cerca de 21 °C). Porém, a sua cobra ficará satisfeita se apanhar sol nos dias mais quentes (até aos 35 °C) em determinada área do terrário.

A configuração correta de um terrário

A maioria das cobras gosta de se enterrar na areia. Assim, deve encher o fundo do terrário com substrato suficiente, como areia e gravilha. As cobras também gostam de tomar banho e nadar, pelo que uma pequena piscina não pode faltar.

Para finalizar a configuração do terrário, faltam apenas plantas apropriadas e acessórios para trepar, como ramos ou pedras. Decore os objetos de forma a que também possam servir como esconderijos para a sua cobra-liga.

Alimentação: o que preferem comer?

De acordo com a idade, podem então comer vários animais, como peixes (filete de truta, por exemplo), ratos, ratazanas ou invertebrados.

Se os animais mais jovens se recusarem a comer, pode aguçar-lhes o apetite com minhocas ou pequenos peixes vivos (guppies ou peixes-zebra, por exemplo). Gradualmente, ofereça-lhes filetes de peixe. A pouco e pouco, à medida que crescem, substitua-os por pedaços de ratos e ratazanas. A partir deste momento, alimente a sua cobra-liga com a ajuda de pinças.

Em geral, é suficiente alimentar as cobras jovens a cada dois ou três dias. No entanto, no caso dos animais adultos recomenda-se um intervalo de cerca de seis dias.

Compra: atenção ao transporte ilegal e ao mercado negro!

Se pretende ter uma cobra-liga, então pode informar-se antecipadamente acerca dos criadores disponíveis através da European Garter Snake Association (EGSA). De qualquer modo, tenha cuidado com ofertas duvidosas, sobretudo online. Pois o mercado negro, onde os animais exóticos são transportados ilegalmente e muitos estão doentes, continua ativo.

Quanto custa uma cobra-liga?

Encontrou um criador digno de confiança que comercializa animais saudáveis? Então, saiba que o preço de uma cobra-liga se baseia em vários fatores (género, origem e idade). Os custos de aquisição de um exemplar começam, assim, nos 20 euros.

Além disso, tenha em consideração outros custos: terrário, equipamento e consultas e exames médicos. Em relação à eletricidade e à comida, conte com mais ou menos 100 euros anuais. Este valor varia, então, de acordo com o tamanho do terrário.

Saúde: a cobra-liga é um animal robusto?

A esperança média de vida de uma cobra-liga pequena é de 8 a 10 anos, embora os animais maiores possam viver mais um ou dois anos. Portanto, a alimentação e os cuidados têm um papel fundamental. Porque qualquer erro que cometa pode rapidamente causar problemas de saúde.

Thamnophis sauritus sauritus ou cobra-fita em cima de um tronco
Em ambiente selvagem, as cobras-liga sentem-se especialmente confortáveis em zonas húmidas. Na imagem uma cobra-fita comum ou cobra-fita oriental (T. sauritus).

Origem: qual o habitat natural da cobra-liga?

As cobras-liga são nativas dos EUA, Canadá e México. Cada espécie está adaptada ao respetivo habitat, sejam áreas montanhosas ou costeiras. Estas cobras preferem estar em ambientes húmidos, isto é, perto de cursos de água, pântanos e lagos. Porém, também conseguem sobreviver em habitats menos húmidos, como em florestas.

Conclusão: será uma cobra-liga o animal certo para mim?

Em resumo, pode afirmar-se que a maioria das cobras-liga não são muito exigentes. As espécies T. sirtalis sirtalis, T. s. parietalis e T. radix são especialmente populares para principiantes.

No entanto, se não tem experiência com cobras, deve definitivamente informar-se em detalhe acerca da manutenção e cuidados a ter com estes répteis. Pois é muito comum as cobras-liga adoecerem por não serem mantidas nas devidas condições e chegam ao veterinário doentes.


Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
11 min

Gecko Leopardo

Descubra mais sobre o comportamento e cuidados a ter com os Gecko Leopardo assim como informações sobre as características que o seu terrário deve ter.
11 min

Camaleões

Que terrário tem de comprar, o que comem os camaleões, que cuidados deve ter, como manter o terrário de forma a que o camaleão esteja saudável...
10 min

Dragão Barbudo

O Dragão Barbudo é um réptil muito popular pois com alguma paciência estes répteis podem ser domesticados e tornarem-se mesmo bastante dóceis.