Siluro

Escrito por Jana Schubert
pleco comum perto de uma raiz num aquário

Alguns siluros, como este bonito exemplar, são bastante apropriados para ter em aquário.

Os siluros são impressionantes predadores. Dividem-se em vários géneros que incluem inúmeras espécies e encontram-se representados por todo o mundo. Neste artigo irá aprender factos interessantes acerca desta espécie de peixe e a forma mais adequada de a ter no aquário.

Perfil do siluro

Resumo: Peixe de água doce com grande variedade de espécies. Gosta de viver sozinho ou em grupos de dois com outros peixes da mesma espécie. O siluro só deve ser tido por aquariófilos experientes.
Nomes: Siluro
Comprimento do corpo: 13-140 cm
Esperança de vida: Dependendo da espécie, 20 anos ou mais
Forma adequada de o ter: Aquário de água doce
Socialização: Sozinho ou com outro peixe da mesma espécie; a socialização com outros peixes é possível, dependendo da agressividade do exemplar em causa
Aquário: Água doce, desde cerca de 500 l e 80 cm de comprimento
Temperatura da água: A partir de 20 °C (dependendo da espécie)
Parâmetros da água: Grau de dureza geral 2-30 ° / valor do pH entre 5,5-8
Comida: Comida viva, como pequenas larvas de mosquito, zooplâncton, algas, comida seca, plantas, carne
Nível de dificuldade: Médio

Aspeto: qual a aparência do siluro?

Os siluros são comuns por todo o mundo. Normalmente, crescem até aos 150 centímetros de comprimento e podem pesar até 45 quilos. Podem encontrar-se exemplares especialmente grandes, podendo chegar aos 300 centímetros. No entanto, são raros.

O siluro – o orgulho dos pescadores

O siluro, peixe nativo europeu, é o maior peixe de água doce da Europa. O seu corpo é robusto, alongado e conta com uma cabeça grande e ampla. A sua pele é macia, sem escamas e bastante viscosa.

Estas características permitem ao siluro deslizar calmamente através da água. Além disso, estão bem equipados para caçar. Por detrás da grande cabeça, estão dois pequenos olhos, nas laterais.

A boca conta com até seis pares de barbilhos reforçados com cartilagem. Estes contribuem para que estes peixes tenham um olfato bastante apurado.

Sabia que? O siluro é um verdadeiro gourmet: de todos os animais da terra, é o que tem mais papilas gustativas, mais de 250 mil.

Boca grande e desdentada

A boca do siluro é ampla e grande. Já que suga as suas presas, não dispõem de dentes caninos, que o atrapalhariam. Os seus pequenos e afiados dentes-escova ajudam-no a segurar a presa.

O siluro conta com uma pequena barbatana dorsal. Porém, não tem qualquer barbatana adiposa. As suas barbatanas peitorais são bastante grandes e fortes, praticamente chegando às barbatanas pélvicas. A barbatana anal situa-se alongada na extensa nadadeira e quase toca a pequena e redonda barbatana caudal.

A camuflagem é um trunfo

As cores dos siluros são geralmente discretas. Assim, vão desde um tom de cinza brilhante esverdeado-prateado até a um antracite fumo-preto. Portanto, em águas doces nativas, como rios e lagos, está perfeitamente equipado para dificilmente ser reconhecido pela sua presa.

Como distinguir machos e fêmeas?

É bastante difícil distinguir os géneros nos siluros. Em animais com a mesma idade, os machos são geralmente maiores, mas as fêmeas são mais pesadas.

A abertura anal dos machos parece ligeiramente mais estreita do que a das fêmeas. Em comparação com as fêmeas, as papila genital do macho é mais afilada e ligeiramente mais enrugada.

Comportamento: o que é típico do siluro?

Na natureza

O siluro é uma peixe de água doce que se encontra na natureza em lagos grandes e quentes e em cursos de água lentos. Portanto, um fundo com substrato de solo macio é importante para estas espécies. Pois permite-lhe encontrar comida e esconder-se em áreas densamente cobertas de vegetação durante o dia.

De facto, os siluros procuram águas com profundidade até aos 30 metros e apreciam água com temperatura a rondar os 20 graus Celsius. Tendo em conta que preferem estar junto ao fundo do aquário, não dão grande importância à elevada qualidade da água e a uma alta concentração de oxigénio. Na verdade, sentem-se em casa mesmo em águas salobras.

Caçador tímido

Gosta de se deter em vegetações densas ou raízes mortas. Nichos e cantos dão-lhe a possibilidade de desaparecer rapidamente.

O siluro é um caçador tímido que se torna ativo sobretudo ao crepúsculo. Os animais mais jovens gostam de caçar e de viver sozinhos. Porém, ao envelhecerem podem ver-se cada vez mais em grupos.

Um solitário que pode ser bem socializado

Apesar do seu comportamento como solitário, o siluro é um coabitante pacífico do aquário. Regra geral, o siluro não se deixa perturbar por outros peixes nas suas atividades. Porém, por vezes, precisa do seu descanso. Portanto, deve providenciar-lhe suficientes refúgios e esconderijos.

A vida comum com outras espécies de peixes, como barbos, peixe arco-íris e ciclídeos anões, é considerada não problemática e descomplicada se o aquário for configurado de forma apropriada.

Os siluros são peixes crepusculares e noturnos. Portanto, na natureza caçam desde o cair da noite até ao nascer do sol. Mas, no aquário, este comportamento pode ser diferente. No caso de o aquário estar permanentemente iluminado, por exemplo.

Ter um siluro: que condições deixam um siluro confortável?

Ter um siluro num aquário é possível

Os siluros são peixes indicados para ter em aquário. No entanto, deve ter em conta que com bons cuidados e muita comida, estes peixes podem crescer bastante. Portanto, deve investir num tanque suficientemente grande.

Os siluros tendem a ocupar a parte inferior do aquário e também o fundo. Portanto, normalmente não se cruzam com outros peixes que vivam nos estratos superiores do aquário.

Sabia que? Muitas espécies de sirulos têm longas antenas na zona da cabeça, com as quais conseguem “sondar” o substrato. É desta característica que vem o nome “sirulo antena”.

Os sirulos mantêm o aquário limpo

Os sirulos não se envolvem por aí além nos acontecimentos do aquário. Porém, cuidam seriamente do seu habitat – o fundo do aquário.

Estes peixes recolhem o lixo do aquário. Ou seja, todos os restos de comida dos outros animais caem no fundo do aquário. Portanto, caem praticamente em frente à boca do sirulo. Comendo os restos, dão um importante contributo para a limpeza do tanque.

Que espécies de siluros podem ser tidos em aquários?

Os siluros-antena, os coridoras e os siluros-zebra são especialmente indicados para ter em aquário. Estas espécies são excelentes para socializar com outros peixes, pois são extremamente pacíficos.

Como é o caso de qualquer peixe, é uma boa ideia simular a estação do ano no aquário. Isto é positivo para os animais, pois o metabolismo está geneticamente habituado a mudanças. Para tal, pode simplesmente escurecer um pouco o aquário no inverno e baixar ligeiramente a temperatura.

As plantas não podem faltar

Os siluros sentem-se felizes com plantas aquáticas com crescimento denso. Pois podem esconder-se muito bem e brincar nas plantas. Entre as plantas adequadas contam-se, por exemplo, as cryptocoryne, as samambaias de Java ou as anubias.

Estas podem ser colocadas em rolos de argila. Deste modo, são facilmente integrados nas brincadeiras dos peixes. Os rolos de argila de poros largos são particularmente indicados, pois permitem às plantas criar raiz.

Os siluros querem esconder-se

Para que o siluro leve uma vida feliz e apropriada à espécie, deve introduzir possibilidades de esconderijo. Pode, por exemplo, fazê-lo com raízes velhas, tubos feitos de argila ou grutas de blocos de xisto.

Seja creativo e lembre-se que o siluro gosta de ambientes realmente escuros. Portanto, sentem necessidade de se esconder para conseguirem descansar.

Resumo: siluros em aquário

  • Os siluros adoram correntes leves. Estas podem ser criadas artificialmente através de bombeamento.
  • Água quente entre 20 a 30 degraus Celsius é recomendada. Pelo contrário, temperaturas mais altas não. Portanto, luz solar direta deve ser evitada.
  • Os siluros gostam de se manter no fundo do aquário. Portanto, precisam de cascalho ou areia finos.
  • Raízes, plantas e tubos permitem aos siluros esconder-se.
  • As plantas também servem como alimento.
  • Dependendo do tamanho do siluro, o aquário deve ter, no mínimo, entre 80 a 200 litros.
  • Valor do pH: 5,8 até 7,8
  • Grau de dureza da água: 2 até 30 °
coridora a nadar junto ao fundo do aquário © boedefeld1969 / stock.adobe.com
Espécies de siluros como os coridoras podem ser tidos confortavelmente num aquário. Passam a maior parte do tempo junto ao fundo do aquário.

Alimentação: o que come um siluro?

Os siluros são omnívoros. Dependendo da espécie de siluro, preferem comida de origem animal ou vegetal. Como peixes de fundo, só sobem até à superfície da água para comer quando estão extremamente esfomeados.

Além disso, também roem pedaços de madeira e comem algas e bactérias das paredes do aquário. Portanto, são também muito populares como uma das espécies de peixes que limpa os aquários.

Comida para siluros

Regra geral, os siluros alimenta-se de pequenos lagostins, crustáceos, outros peixes ou plantas que habitam ou crescem perto do fundo. Portanto, também constam do menu larvas de mosquitos, zooplâncton ou algas.

No aquário, também pode dar-lhe comida seca para siluros.

Saúde: o siluro é um peixe robusto?

Em poucas palavras, o siluro é considerado um peixe robusto. No entanto, em contexto de aquário, a mudança regular parcial ou total da água é recomendada. Pois pode reduzir o risco de infeções parasitárias ou bacterianas.

Esperança de vida do siluro Com as condições de vida apropriadas à espécie, um siluro tido num aquário pode facilmente viver entre dez a doze anos. No entanto, animais encontrados na natureza vivem bem além dos 50 anos.

Barriga inchada: consultar o veterinário

Uma condição de saúde típica destes peixes é o inchaço repentino do abdómen. Parece ser doloroso para o animal e representa um cenário perigoso.

Portanto, um exame veterinário é absolutamente necessário. Pois, especialmente em situações de natureza infeciosa, é aconselhável um tratamento com medicação.

Reprodução: o que precisa um siluro para procriar num aquário?

Um fator importante para a reprodução é a temperatura da água estar acima dos 18 graus Celsius. Ao colocar um parceiro adequado no aquário, pode esperar a primeira desova de pares sexualmente maduros após dois, três meses.

Se, após este momento, não separar machos e fêmeas, estabelece-se um ritmo de ninhadas de seis a dez semanas. São expectáveis por volta de 50 peixes por ninhada.

Custo: quanto irei pagar por um siluro?

Os siluros são peixes ornamentais bastante comuns em lojas de animais especializadas. Portanto, de acordo com a espécie, custam entre cinco a 150 euros. Além disso, podem ser comprados sem restrições, nomeadamente a prova de origem.

A maioria dos animais vem de explorações piscícolas. Através da criação nessas explorações, as populações selvagens são preservadas.

Origem: onde vivem os siluros?

Os siluros são encontrados por todo o mundo. Vivem em lagos, charcos e rios.

Nestas massas de água, os siluros gostam de se manter junto ao fundo, perto das plantas. É aí que brincam e se alimentam de plantas, insetos e outros habitantes dos lagos.

Conclusão

Portanto, os siluros são peixes fascinantes com numerosas subespécies, que podem ser bastante diferentes entre si. No aquário, encantam com o seu aspeto original. Além disso, a sua paixão pela limpeza transforma-os num verdadeiro trunfo para o microcosmos do seu tanque.

Fontes:


Jana Schubert
Profilbild von zooplus Magazin Autorin Jana Schubert

Desde criança que sempre preferi brincar com o nosso gato persa do que com o meu ursinho de peluche. Mais tarde e depois de muita insistência, os meus pais deixaram-me adotar um cavalo. Tenho imensos momentos inesquecíveis com os meus animais de estimação, apesar de alguns momentos mais difíceis. Ainda assim, não imagino a minha vida sem eles. Os animais tocam-me de uma forma única e mesmo quando escrevo sinto a magia deles, espero que também a sintam!


Os nossos artigos mais relevantes
9 min

Peixe-palhaço

Os peixe-palhaço são animais de água salgada, oriundos do Pacífico e apresentam tons que variam entre o preto, laranja, amarelo e vermelho.
10 min

Axolote

Há vários anos que o axolote mexicano está na moda como animal doméstico. O seu aspeto simpático e as suas cores fazem dele o centro das atenções. Além disso, ter um axolote é relativamente fácil.