Doença de Pacheco nos papagaios This article is verified by a vet

Arara num tronco de ávore. A Doença de Pacheco em papagaios é muitas vezes fatal

Pássaros infetaos com herpesvírus passam muito tempo a dormir

Nunca ouviu falar da Doença de Pacheco que afeta papagaios e periquitos? Então leia este artigo e conheça os principais factos sobre esta infeção e saiba por que razão é uma doença grave.

Qual a gravidade da doença de Pacheco nos papagaios?

Comparativamente a outras doenças infeciosas das aves, como por exemplo a doença do bico e das penas dos psitacídeos ou a aspergilose, a doença de Pacheco aparece repentinamente. E infelizmente, os papagaios infetados morrem rapidamente. Por outro lado, os periquitos apresentam uma reação mais tardia. No entanto, as consequências graves desta doença geraram bastante receio em donos de papagaios e felizmente o número de infeções tem vindo a decrescer.

Sintomas típicos da doença de Pacheco

Muitas vezes os papagaios infetados com o herpesvirus da doença de Pacheco não desenvolvem a doença. E por isso, as aves podem ficar muito tempo infetadas sem apresentar qualquer sintoma. Nesse caso trata-se de uma infeção latente.

No entanto, se o papagaio ficar sob stress ou se surgirem outras doenças, os sintomas aparece repentinamente. Nesses casos, os sintomas mais comuns são:

  • Apatia, ou seja, falta de energia e interesse
  • Apenas perdem a cor e o brilho
  • Perda de apetite acompanhada por um aumento da ingestão de água
  • Diarreia amarelada a esverdeada, por vezes com sangue
  • Vómitos ocasionais

Infelizmente, os papagaios doentes falecem em poucas horas ou dias após o aparecimento dos primeiros sintomas.

Diagnóstico

Visto que uma vez doentes, os papagaios morrem muito rapidamente, o veterinário tem uma janela temporal muito reduzida para fazer o diagnóstico. O veterinário pode fazer uma ecografia para verificar o estado dos órgãos internos, como o fígado, que fica inchado em consequência da infeção. No entanto, outras doenças causam inchaço do fígado e por isso este exame não é conclusivo. Assim, a forma mais eficaz de diagnosticar a doença de Pacheco é através da recolha de células da cloaca e garganta do papagaio. As amostras são analisadas em laboratório para identificar a presença do herpesvirus.

Diagnóstico post mortem

Como já mencionado, esta doença tem uma progressão extremamente rápida e por isso geralmente o veterinário só consegue fazer o diagnóstico após a morte, através de autópsia. Nesse processo, o patologista verifica o estado do fígado, baço e rins, ou seja, vê se além de inchados os órgãos apresentam áreas de tecido morto. Por fim, para detetar efetivamente a presença do vírus, o patologista recolhe amostras dos órgãos para análise laboratorial.

Tratamento da doença de Pacheco nos papagaios

Os veterinários têm muita dificuldade em tratar esta doença, visto que as aves morrem muito rapidamente. No entanto, se o veterinário conseguir identificar a doença rapidamente a administração de antivirais numa fase inicial pode ter um efeito positivo sobre o papagaio.

Estes medicamentos podem ser administrados através da água ou comida ou ainda injetados diretamente sob a pele pelo veterinário. Infelizmente, os medicamentos impedem o desenvolvimento da doença, mas não conseguem eliminar o vírus. Assim, uma ave infetada é portadora da doença para toda a vida e pode infetar outras aves.

Pássaros com a Doença de Pacheco tomam antivirais. Papagaio a tomar um medicamento de uma colher
Medicamentos antivirais podem ser administrados com a comida ou água.

Como é que os papagaios apanham a doença de Pacheco?

As aves apanham esta doença ao entrar em contato com fezes, restos de pele ou secreções corporais que contenham o herpesvírus. A contaminação pode ser respiratória, quando a ave inala o vírus, ou por ingestão. Numa primeira fase, o vírus fica no sistema respiratório. No entanto, ao entrar na corrente sanguínea o vírus atinge outros órgãos, como o fígado, o baço ou os rins. Os vírus podem permanecer muito tempo alojados nestes órgãos até que o sistema imunitário do papagaio fique enfraquecido.

Medidas de prevenção

O maior foco de transmissão desta doença são as aves infetadas sem sintomas, que transmitem o vírus a outras. Assim, leve a sua ave ao veterinário assim que a comprar e mantenha-a isolada de outras até saber qual o seu estado de saúde. A visita ao veterinário é muito útil, pois além de poder detetar a possível presença de herpesvirus, também outros testes e análises.

Caso um dos seus papagaios tenha contraído a doença de Pacheco, proteja os outros administrando medicamentos para aumentar a imunidade. A administração destes medicamentos deve ser feita pelo veterinário o mais rápido possível para assim conter a doença.

As aves doentes devem ficar sempre separadas das saudáveis. Além disso, use um produto desinfetante para limpar a gaiola e as zonas onde a ave doente esteve. O herpesvirus consegue sobreviver muito tempo e por isso as aves saudáveis podem ficar doentes ao entrar em contato com superfícies contaminadas. Por fim, limpe as fezes das suas aves sempre que possível, visto que a contaminação através das fezes é muito comum e frequente.


Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes