Comida para gatos de interior

Comida para gatos de interior

Comida para gatos de interior

Embora os nossos gatos sejam predadores por natureza, existem muitos motivos para serem mantidos dentro de casa. Por exemplo, caso more num apartamento ou numa casa térrea sem jardim não convém deixar os seus felinos saírem; o mesmo acontece se residir numa zona muito movimentada, com trânsito, estando os seus animais mais expostos ao perigo. Por outro lado, caso o seu gato tenha algum problema infecioso, como o FIV (Vírus da Imunodeficiência Felina), é recomendável que permaneça dentro de casa para evitar as possibilidades de contágio de outros animais. Por último, mas não menos importante, os gatos encontram-se entre os animais que menos gostam de estar fora de casa, sentido-se realmente no sétimo céu quando podem descansar tranquilamente no quentinho. E qualquer que seja o seu motivo, universal é que a alimentação dos gatos de interior deva ser diferente da dos gatos de exterior, em movimento todo o dia.

Gato de interior ou de exterior

Sejam de interior ou de exterior, os gatos adoram sentir-se estimulados. Porém, as possibilidades dos gatos de interior caçarem ratazanas, perseguirem pássaros ou manterem contacto com gatos da vizinhança são praticamente nulas em comparação com as dos gatos que se encontram em liberdade. É por este motivo que os jogos de inteligência e o contacto com as pessoas constituem excelentes alternativas de entretenimento. Os arranhadores, os trepadores e os esconderijos, entre outros brinquedos, podem ser grandes fontes de diversão e desafios para o seu gato, sem ser preciso sair de casa. Apesar de tudo, é lógico que um gato de interior nunca se irá movimentar tanto quanto um gato que vive em liberdade.  A verdade é que não têm tanta necessidade de explorar com o objetivo de proteger o seu território de desconhecidos, nem têm à sua disposição espaços amplos em casa para umas corridas. Em jeito de conclusão, o facto é que os gatos de exterior fazem um número bastante maior de quilómetros diários do que os de interior. Estes últimos passam a maior parte do tempo em repouso ou a tratar da sua higiene pessoal, o que significa que as suas necessidades energéticas são mais reduzidas. Comer mais e ter, ao mesmo tempo, uma vida mais sedentária podem ser sinónimos de obesidade, pelo que deve elaborar o plano alimentar do seu gato de acordo com estas necessidades específicas.

A alimentação mais apropriada para gatos de interior

Se o que pretende é alimentar o seu gato com uma menor percentagem calórica, é provável que a primeira coisa que lhe ocorra seja diminuir para metade a quantidade de comida habitual. Infelizmente, esta hipotética redução de calorias não é assim tão simples. Além disso, ainda que os gatos de interior necessitem de menos calorias, requerem a mesma quantidade de vitaminas e nutrientes que os gatos de exterior! Lembre-se: ainda que o seu felino tenha uns quilinhos a mais, as dietas drásticas de perda de peso podem ser perigosas, pois os gatos são animais particularmente sensíveis quando está em causa a perda de peso de forma radical. O emagrecimento rápido pode estar na origen da lipidose hepática, patologia conhecida como «síndrome do fígado gordo felino».

Deste modo, a melhor solução será encontrar um tipo de comida elaborada a pensar nas necessidades dos gatos de apartamento. Este tipo de dieta apresenta um teor calórico baixo, mas contém todos os nutrientes essenciais para o bem-estar do seu gato. Muitos destes alimentos são enriquecidos com outros aditivos nutricionais, como a L-carnitina, que serve para manter um peso saudável. Além disso, uma relação equilibrada cálcio-fósforo é imprescindível para que os níveis de minerais no organismo do gato sejam os indicados, dado que contribui para a redução do risco de cálculos renais. As proteínas de qualidade saciam os gatos e ajudam na manutenção da sua massa muscular, embora sejam pouco ativos. A comida para gatos de interior beneficia também a sua higiene dental, contribuindo igualmente para a expulsão das bolas de pelo.

A natureza é sábia!

Mesmo as dietas com objetivos específicos como esta devem ser apropriadas para gatos carnívoros. Um estudo científico realizado nos Estados Unidos revelou, surpreendentemente, que muitas das dietas especiais seguidas pelos gatos não satisfazem todas as suas necessidades. Os gatos, como animais carnívoros, requerem uma nutrição rica em proteínas de qualidade. Os hidratos de carbono devem constituir uma pequena parte da sua dieta, ao contrário da carne, que deve encontrar-se no primeiro lugar da composição nutricional. Os subprodutos de origem vegetal e os cereais devem ter um teor mínimo na alimentação dos gatos; neste caso, é mais do que importante ter em atenção a composição nutricional dos produtos, pois quando são referidos como ingredientes «carne e subprodutos de origem animal» estes podem ser provenientes de qualquer parte do corpo do animal, como os órgãos excretores sobrecarregados de toxinas, como o fígado, por exemplo; o baço, o pelo ou os chifres também são utilizados.

É por isso que deve procurar produtos de elevada qualidade, elaborados especificamente para corresponder às necessidades do seu gato, além de lhe oferecerem a melhor nutrição!

E, finalmente, bom apetite para o seu gato!

Os nossos artigos mais relevantes