Gatos: Comportamentos agressivos depois da castração

Os gatos e gatas costumam ficar menos agressivos depois de serem castrados. Então o que acontece quando depois da operação o comportamento do seu gato muda e de repente ele se torna agressivo com pessoas e outros gatos? Vamos explicas as causas deste comportamento inesperado e também como pode ajudar o seu gato.

Há claramente vantagens em castrar o seu gato

A castração de gatos e gatas é um procedimento médico comum e faz parte da rotina dos veterinários. Na verdade, este procedimento traz imensas vantagens. Por exemplo, previne gravidezes indesejadas, reduz o risco de fuga dos machos, acaba com o stress das gatas durante o cio e reduz o risco de lutas territoriais entre machos. Outra consequência da castração é o desaparecimento de comportamentos sexuais desagradáveis. Ou seja, a marcação do território com odores, o miar estridente de caráter sexual ou a agressividade contra rivais são problemas que geralmente desaparecem com a castração. Além disso, os gatos e gatas castrados também costumam tornar-se mais carinhosos. Em resumo, depois de castrados os gatos parecem ser mais felizes.

O comportamento dos gatos pode alterar-se depois da castração?

O seu gato foi castrado mas as esperadas alterações positivas não aparecem. Pior ainda, e se o gato se torna mais agressivo depois da castração? A probabilidade de a personalidade do seu gato mudar para pior depois de ser castrado é muito baixa. Por isso, os veterinários não estão familiarizados com casos de gatos que se tornam mais nervosos, agressivos ou assustadiços depois da intervenção. Ainda assim, em fóruns na internet surgem de vez em quando donos desesperados com as mudanças de comportamento do seu pequeno felino. Porque é que isto acontece? E como fazer o seu gato voltar a ser como era antes? Vamos responder a estas questões neste texto.

Possíveis razões para o aparecimento de comportamentos agressivos em gatos castrados

  • A castração é um procedimento cirúrgico

Atualmente, qualquer pequeno consultório veterinário tem condições para realizar esta cirurgia. Além disso, a maioria dos especialistas aconselha a castração por razões válidas. No entanto, por mais simples e fácil que seja, a castração é um procedimento cirúrgico. Numa esterilização apenas se cortam ou laqueiam os canais deferentes. Mas a castração implica a remoção total das gónadas. Assim, nas gatas são retirados os ovários e nos gatos os testículos.

Naturalmente, este procedimento pode causar dores e stress pós-operatório. As gatas são mais suscetíveis de ter problemas depois da cirurgia, pois, a incisão de 3 a 5 centímetros feita na barriga para retirar os ovários é mais intrusiva. Já no caso dos gatos, o escroto geralmente cicatriza sozinho e rapidamente. No entanto, não é impossível que os gatos sintam algumas dores. Estas dores costumam desaparecem em um ou dois dias, mas um gato saído da sala de operações pode não reagir bem às dores e mostrar-se agressivo. Além disso, alguns gatos culpam quem está mais próximo, sejam os donos ou outros companheiros peludos, pelo seu desconforto. Assim, podem rosnar, arranhar ou mostrar as unhas a quem quer que se aproxime.

  • Alterações metabólicas e hormonais

    Depois de ser castrado, o gato tem que ultrapassar a anestesia e as dores. Mas também tem que lidar com as enormes alterações hormonais que a retirada dos ovários ou testículos implica. Voltar a atingir o equilíbrio hormonal pode demorar alguns dias ou semanas. Após a cirurgia a produção de hormonas sexuais cessa completamente, o que tem naturalmente consequências comportamentais. A longo prazo, esta alteração deixa o gato mais calmo, pois deixa de ter as oscilações hormonais provocadas pelo ciclo sexual. No entanto, alguns gatos precisam de mais tempo para se ajustarem do que outros. Assim, alguns gatos podem parecer mais stressados depois da operação.

  • O cheiro dos companheiros mudou de repente

    Os comportamentos agressivos são muitas vezes dirigidos a outros gatos com quem vivem. Há gatos que ficam extremamente carinhosos com os donos mas mostram as garras aos seus companheiros de casa. Especialistas afirmam que este comportamento está relacionado com o cheiro diferente do gato operado. Este novo cheiro pode estar relacionado com a própria operação, com a clínica veterinária ou com os medicamentos que o gato tomou. Por fim, alguns cheiros corporais alteram-se em consequência das alterações hormonais. Gatos muito sensíveis reagem mal a esta alteração. De repente, deixam de reconhecer o que para eles era o verdadeiro cheiro do seu companheiro. Esta alteração deixa-os preocupados e nervosos.

  • O colar veterinário é desconfortável

    Além das alterações de odor, que nós humanos não detetamos, a causa do comportamento agressivo pode ser muito mais óbvia. Visto que os gatos não devem lamber a ferida da operação, muitos veterinários prescrevem a utilização de um colar. Mas a reação dos gatos a este colar não é sempre a mesma. Enquanto alguns usam o colar estoicamente, outros sentem-se extremamente irritados e desconfortáveis com o cone de plástico ao pescoço. A falta de visibilidade é um dos maiores problemas para gatos sensíveis. Assim, o comportamento agressivo surge em consequência de sentimentos de insegurança e medo.

    Muitos animais que se sentem assustados defendem-se instintivamente. No caso dos felinos as unhas são a primeira escolha. Assim, se intuir que o seu gato está agressivo por se sentir inseguro com o colar veterinário, pode optar por lhe vestir um body. Dessa forma, o gato pode fazer praticamente tudo e a ferida da cirurgia está protegida.

Voltar a ser o que era antes

  • Seja paciente

Se o seu gato amistoso e carinhoso se tornar assustadiço e agressivo depois da castração é natural que queira que ele volte ao normal o mais depressa possível. Mas a pressa dos donos é um problema adicional. Ao fazer tudo para que o seu pequeno felino volte a ser o que era antes, é provável que aumente a sua insegurança entrando assim num círculo vicioso. A ansiedade do dono é transmitida ao gato tornando-o agressivo. Assim, o mais importante numa situação destas é ter paciência. O seu gato precisa de algum tempo para processar todas as alterações que está a sentir no seu corpo. Por isso, vai ajudá-lo sendo carinhoso com ele e mostrando-lhe que não há porquê se sentir assustado. Quanto mais normal for o comportamento do dono, mais depressa o gato volta a viver o dia a dia normalmente e esquece o trauma da operação.

  • Deixe que o seu gato descanse

    Os animais, tal como os humanos, precisam de descansar depois de cirurgias para se recuperarem. Assim, deve evitar que o seu gato esteja em situações excitantes ou que faça demasiado exercício. Mesmo que possa levar o seu gato para casa poucas horas depois da castração, não deve de forma alguma subestimar o impacto deste procedimento. Muitos gatos preferem recuperar estando sozinhos, enquanto outros procuram ainda mais festinhas. O mais importante é não forçar o seu gato a fazer o que ele não quer. Assim, deixe que seja ele a tomar a iniciativa. Se ele for para baixo da cama, para trás do sofá ou para dentro do armário, deixe-o estar. Respeite o seu descanso e espere que ele decida quando está pronto para sair e voltar às suas atividades normais.

  • Dê atenção ao seu gato, mas ignore a sua agressividade

    Respeitar o desejo de paz e sossego do seu gato não significa ignorá-lo. Dê-lhe água, arranje uma caminha confortável e dê-lhe miminhos quando ele se roçar nas suas pernas. Naturalmente, pode também tentar proporcionar-lhe alguma diversão com brinquedos. Mas não se sinta frustrado se ele não quiser brincar ou mesmo se reagir mal às suas propostas. Caso ele o ataque não o deve olhar nos olhos. Procure antes proteger-se com uma manta ou uma almofada. Nestas situações, o mais aconselhável é ignorar o seu felino. Se ficar em pânico ou se se zangar vai aumentar o sentimento de insegurança do seu gato e consequentemente a agressividade.

Como posso prevenir problemas depois da castração?

  • Prevenir stress antes e depois da operação

Se o seu gato ainda não foi castrado, pode adotar algumas medidas para prevenir o stress antes e depois da operação. Por exemplo, é aconselhável levar o seu gato ao veterinário dentro de uma caixa de transporte. Esta opção é menos stressante para si e para o seu pequeno felino em comparação a levá-lo nos braços ou numa trela. Ponha uma toalha ou uma manta dentro da caixa para que o seu gato se sinta bem.

Caso o seu gato não esteja familiarizado com a caixa de transporte, é melhor introduzi-la uns dias antes da visita ao veterinário. Assim, pode colocar a caixa aberta na sala para que o seu felino a possa explorar livremente. Quanto melhor o seu gato conhecer a caixa, mais confortável ele se vai sentir quando o levar para ser operado. Se antes da anestesia o seu gato estiver emocionalmente bem, ele vai dormir calma e profundamente durante a cirurgia. Assim, os problemas associados à anestesia são menores.

A cirurgia demora cerca de 30 minutos. Após o procedimento deixe que ele acorde a seu tempo da anestesia e num local confortável. Assim, se ele gosta da caixa de transporte, deixe-o lá ficar. Coloque a caixa num local escuro, quentinho (a anestesia faz baixar a temperatura corporal do seu pequeno felino) e silencioso. Se ao acordar ele parecer desorientado e com pouca força nas pernas, faça-lhe festinhas de vez em quando, se ele o permitir, e deixe-o saber que está tudo bem.

  • Reserve algum tempo para estar com o seu gato depois da cirurgia

    É importante que tenha algum tempo disponível para estar com o seu gato depois da castração. Assim, se trabalhar fora de casa e o seu gato passar muito tempo em casa sozinho, é aconselhável tirar alguns dias de férias. Em alternativa pode marcar a cirurgia para a véspera de um fim de semana prolongado. A cirurgia e a anestesia causam ansiedade e deixam qualquer animal um bocado confuso. Desse modo, é importante que esteja perto do seu gato nesta fase e lhe transmita segurança e tranquilidade. Naturalmente, corre tudo melhor se estiver calmo e confiante.

Em que situações os difusores de odores e outros produtos calmantes são úteis para o seu gato?

Se o seu gato depois da castração continua inseguro, nervoso e mesmo agressivo, difusores de odores podem ajudá-lo a relaxar. Estes produtos são réplicas sintéticas de feromonas que os próprios gatos produzem quando se sentem bem e por isso promovem o bem-estar. Por exemplo, as feromonas que as gatas produzem quando estão a dar de mamar, enviam indiscutivelmente a mensagem de que está tudo bem e que o gato pode relaxar. Também calmantes de plantas, como as Flores de Bach, podem ser úteis para gatos que têm comportamentos agressivos com os donos ou outros animais da casa.

Fale com o veterinário ou com um psicólogo de animais

Se observar alterações comportamentais no seu gato depois da castração, deve voltar ao veterinário. Assim, é muito importante saber se a agressividade não está a ser causada por dores. Caso não haja nenhum problema físico, o veterinário poderá indicar um tratamento com, por exemplo, Flores de Bach ou outras plantas com efeito calmante. O veterinário explica também como se faz o tratamento. Se nenhum dos métodos descritos reduz a agressividade do seu pequeno felino, vale a pena procurar um psicólogo de animais.

O comportamento agressivo depois da castração é a exceção

São poucos os donos que se queixam de um aumento de agressividade no seu gato depois da castração. Na verdade, a grande maioria dos gatos reage muito bem a esta intervenção cirúrgica e se houver uma mudança de comportamento é para melhor. Ou seja, muitos gatos ficam mais amistosos e carinhosos. Assim, não é de todo aconselhável desistir desta operação por receio de alterações comportamentais negativas no seu gato. Se tiver alguma dúvida, fale com o seu veterinário e adote medidas para tornar o processo mais tranquilo para si e para o seu gato. Caso o seu gato pertença à minoria que demonstra agressividade depois da castração, seja paciente. Regra geral, estes problemas desaparecem passados uns dias ou semanas e vai ter o seu gato de sempre de volta.

Os nossos artigos mais relevantes