Giardíase canina This article is verified by a vet

Giardia são parasitas intestinais incómodos, especialmente problemáticos para cães jovens ou debilitados.

O seu cão sofre recorrentemente de problemas gastrointestinais? Isto pode dever-se à presença de parasitas chamados giardia que colonizam o intestino delgado dos cães. Leia neste artigo tudo o que precisa de saber acerca destes parasitas unicelulares e a giardíase canina.

É uma doença perigosa?

A giardíase canina causa diarreia fétida, especialmente em cães jovens. Cães mais velhos, por outro lado, não costumam apresentar sintomas. Os animais afetados expulsam o patógeno através das fezes e podem infetar outros cães e até pessoas.

Se a doença não for tratada, os parasitas podem tornar-se um problema para cães jovens e enfraquecidos e até para os humanos. Mas com o tratamento e as medidas de higiene apropriados verá como rapidamente terá estes incómodos organismos unicelulares sob controlo.

Sintomas: quais os principais sinais da giardíase canina?

Estes sintomas verificam-se sobretudo em cachorros e cães jovens:

  • Diarreia fétida
  • Fezes viscosas e com sangue (pelas misturas das membranas)
  • Flatulência
  • Perda de apetite
  • Perda de peso

Porém, alguns cães podem não apresentar quaisquer sintomas de infeção por giardia. Por outro lado, não deixam de ser portadores e transmissores do parasita, podendo infetar outros cães e também pessoas.

São parasitas unicelulares que colonizam o intestino dos cães.

Diagnóstico: como se deteta a giardíase canina?

Quando os cachorros têm diarreia é sempre recomendável que o veterinário proceda à análise de uma amostra de fezes. O mesmo procedimento se aplica quando cães adultos sofrem repetidamente de problemas gastrointestinais.

Para a análise fecal é ideal recolher fezes durante três dias, pois a giardia não é excretada em todas as fezes. Se o seu cão estiver infetado, os protozoários depressa são detetados com um teste rápido (ELISA). O veterinário pode fazê-lo logo na consulta ou então no laboratório.

Tratamento: quais as opções terapêuticas para a giardíase canina?

São vários os tratamentos ao dispor dos veterinários para o tratamento da giardíase canina. As substâncias ativas dependem de cada caso. Finalizado o tratamento, é necessário examinar outra amostra de fezes. Só assim se sabe que o parasita foi realmente eliminado.

Ainda que o resultado para a presença de giardia seja negativo, é importante evitar reinfeções. Para tal, deve proceder do seguinte modo: desinfete regularmente as zonas onde o cão se deita e também os comedouros e bebedouros ou, em alternativa, lave-os com água bem quente, acima dos 65 °C.

Se o seu cão partilhar a casa com outros animais, estes devem também ser tratados contra giardíase, ainda que não apresentem sintomas.

Importante: a giardíose é uma zoonose. Isto significa que os parasitas podem igualmente ser transmitidos aos humanos. Por este motivo medidas especiais de higiene são cruciais - sobretudo se cohabitarem na casa crianças ou pessoas doentes.

Prognóstico: quais as probabilidades de recuperação da giardíase canina?

As probabilidades de recuperação da giardíase canina são bastante boas. Com um tratamento consistente e uma higiene rigorosa, o seu patudo depressa se livrará dos parasitas.

Porém, existem casos mais persistentes que requerem vários tratamentos intervalados. Assim sendo, finalizado o tratamento é fundamental monitorizar se foi bem sucedido ou não.

Causas: quais os motivos para a giardíase canina?

O patógeno Giardia intestinales é um parasita intestinal que está presente em todo o mundo. São organismos unicelulares que se multiplicam dividindo-se em dois. Colonizam, então, o intestino delgado dos cães, provocando os sintomas típicos da doença.

São dois os estádios da giardíase: os trofozoítos e os quistos. Os trofozoítos são as giardias que se fixam à mucosa intestinal. Os quistos, por outro lado, são as novas giardias, criadas por divisão celular. São eliminadas através das fezes e transmitidas a outros hóspedes.

Assim, a transmissão da giardia dá-se quando um cão entra em contacto com as fezes de um animal infetado. Os quistos são muito resistentes e podem sobreviver em ambientes húmidos ou na água até três meses. Por este motivo, a infeção pode também dar-se por via de superfícies ou comida contaminadas.

A giardíase canina é especialmente comum em abrigos para animais, canis e áreas de criação de cães, ou seja, onde vivem muitos cães.

Prevenção: como evitar a doença?

Para prevenir a reincidência da giardíase canina, são necessárias certas medidas de higiene. Recolha as fezes do seu cão e coloque-os nos contentores para esse fim.

Limpe todas as zonas onde o cão gosta de se deitar, incluindo o carro. Além disto, limpe em profundidade brinquedos, peluches, comedouros e bebedouros. As máquinas de jato a vapor são indicadas para a limpeza e desinfeção de superfícies.

Os nossos artigos mais relevantes
11 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?