Canicross

Canicross

Canicross

A modalidade de canicross é uma excelente atividade para cães e donos que estejam ou desejem ficar em forma. No canicross, o cão puxa o dono através do terreno utilizando uma trela flexível. Este desporto fortalece o sentimento de responsabilidade e as regras de obediência básica, sem esquecer o reforço dos laços entre humanos e animais.

França: Percursor do canicross na Europa

As origens do canicross remontam ao skijöring, desporto de inverno no qual uma pessoa com esquis ou num trenó é puxada por cães ou por cavalos. A primeira competição teve lugar em França na década de 80 do século XX, país onde as corridas conjuntas entre cães e humanos tiveram origem. Além das variantes mais comuns, o canicross e o skijöring, as duplas atléticas podem também mostrar o que valem no bikejöring. Neste desporto os cães estão presos à bicicleta do dono com uma trela de 2,5 metros, como se de um reboque se tratasse. Esta modalidade é bastante popular em países como a Bélgica e a Holanda, onde numerosos eventos acontecem, especialmente no outono. Noutros países europeus, como é o caso da Alemanha, muitos donos e os respetivos companheiros de quatro patas estão agora a descobrir os benefícios destes desportos.

A quem se dirige a prática do canicross

Qualquer cão ativo pode praticar canicross. É importante, porém, que se verifique um equilíbrio entre o peso do humano e o do cão: por exemplo, um elegante galgo não conseguirá fazer muito exercício a puxar 100 kg. Cães de trenó, como os Huskies, são animais praticamente predestinados para este tipo de desportos, mas a verdade é que um Poodle poderá também divertir-se pelo trilho fora. Facto é que as corridas de canicross são caracterizadas pela variedade de caminhos, que raramente são a direito. Trilhos de erva ou de floresta são ideais para as patinhas sensíveis dos cães, mas obstáculos naturais, como raízes e pedras, requerem concentração total por parte da equipa. Em corridas oficiais, a orientação é simples e eficiente: um sinal vermelho no lado esquerdo significa “virar à esquerda”, ao passo que se estiver colocado no lado direito significa “virar à direita”. Os sinais azuis marcam o caminho a seguir, e os amarelos são sinónimo de perigo. Durante os treinos devem evitar percorrer distâncias longas no asfalto, evitando assim que o animal magoe as patas.

Preparado para todos os percursos

Além de uns bons ténis de corrida e do equipamento habitual para o jogging, para a prática de canicross necessita de um cinto e de uma trela com cerca de 2 metros de comprimento com amortecedor. O amortecimento protege a coluna de cães e humanos. O cinto deve conter um gancho para minimizar o risco de lesões. Também importante é o animal usar um arnês especial, indicado para a prática de canicross, semelhante aos usados pelos cães de trenó. Nestes acessórios especiais, os pontos de pressão estão concebidos de modo a que o cão não se sinta limitado durante a corrida e possa respirar livremente.

Os primeiros passos no canicross

Para a prática de canicross é aconselhável que o cão tenha pelo menos um ano – a partir desta idade podem iniciar-se os treinos. Nesta modalidade, o cão assume a liderança e o dono deve dirigi-lo com alguns comandos (“direita”, “esquerda”, “puxa”). Puxar, algo indesejável durante os passeios do quotidiano, é uma ação apreendida com maior sucesso com a ajuda de outra pessoa, que atrai o animal pela dianteira e o recompensa quando este puxa a trela. Quando a pessoa não segue o animal, a corda fica tensa e o cão é obrigado a abrandar. É claro que como ‘seguidor’, o dono deve ter treinado o suficiente para se manter a par do animal. Após as primeiras corridas é natural que sinta os músculos doridos, pois o seu companheiro poderá aumentar a velocidade até atingir os 4 km/h. É essencial que o animal não se distraia durante a atividade. Poderá, junto de clubes ou associações de treino de cães ou de cães de trenó, obter informações relevantes sobre o melhor equipamento a utilizar.

Treinos saudáveis para cães e humanos

Antes da corrida propriamente dita é necessário iniciar a atividade física com um período de aquecimento (e aqui se podem incluir as necessidades do seu amigo de quatro patas). Inicialmente, aconselhamos optar por percursos de 1 a 2 km sem irregularidades no piso, permitindo assim que ambos se adaptem à equipa e ao caminho. Tal não deixa de se aplicar a cães já ativos e desportistas – que consigam acompanhá-lo em percursos de 10 km sem parar, pois o canicross apresenta desafios diferentes. Depois de algumas semanas de treino é possível aumentar as distâncias e treinar com alguns desafios, incluindo, por exemplo, um sprint no final. Lembre-se – não sobrecarregue o animal, ou seja, caso ainda tenham um longo caminho pela frente deve diminuir a passada. A atividade é somente recomendada em temperaturas inferiores a 18 °, para evitar o sobreaquecimento do animal e, portanto, nos meses de verão aconselhamos a sua prática durante as primeiras horas da manhã ou ao final da tarde. Certifique-se que o seu companheiro bebe bastante água. Nas descidas permita ao animal correr a seu lado ou atrás de si, pois os puxões podem ser sinónimo de quedas.

Esperamos que aproveite bem estes momentos de atividade física e de diversão na companhia do seu fiel companheiro de quatro patas!

Os nossos artigos mais relevantes

Flyball

Saiba como se joga Flyball ecomo o dono e o cão se podem tornar uma equipa ideal de Flyball. Ideal para todos os cães que sejam loucos por bolas.