Adotar um cão durante a pandemia do Covid-19?

Atualmente muitas pessoas quase não podem sair de casa devido às medidas de contenção relacionadas com a Pandemia do Covid-19, que podem ir desde o confinamento à quarentena. Assim, nesta situação de isolamento, cresce em muitos amantes de animais o desejo de ter um amigo de quatro patas. E porque não agora? Afinal, neste momento temos imenso tempo livre para nos ocuparmos do nosso novo amiguinho. Aqui explicamos porque é que não é aconselhável ceder ao impulso de adquirir um patudo.

O confinamento e as suas consequências

Muitas pessoas sentem-se desconfortáveis com a impossibilidade de estar com os amigos, a família ou os colegas de trabalho. Especialmente as pessoas que vivem sozinhas, sonham em partilhar a casa com um patudo. E quando navegam nas redes sociais, as suas expectativas parecem confirmar-se: com um cão ao lado, o confinamento é muito mais fácil. Além disso, os donos têm uma boa razão para sair de casa, pois o patudo precisa de ir passear. Também muitos pais pensam que ter um cão proporciona uma ocupação saudável para os seus filhos.

Infelizmente, muitas vezes as adoções por impulso terminam com o patudo numa associação de animais. É importante ter consciência de que se um cão traz imensa alegria, também traz muitos custos e precisa de muita atenção e paciência do seu dono. Por isso, o tempo livre extra que temos durante a pandemia da Covid-19 não deve ser o fator decisivo para adotar um patudo.

Perguntas para um futuro dono

Quer dar uma casa a um cão? Caso ainda não tenha adotado um patudo, as nossas perguntas ajudam a perceber se está preparado para ter um novo companheiro em casa.

  • Quando as restrições da Covid passarem ainda vou ter tempo e vontade de passar duas a três horas por dia e fazer atividades com o meu cão
  • Posso levar o meu amigo de quatro patas para o trabalho? Um cão não deve ficar regularmente sozinho mais de 4 horas por dia.
  • Os gastos mensais que um cão acarreta não vão ser demais para mim?
    Tenho condições de, numa situação de emergência, pagar uma operação ou um tratamento prolongado no veterinário?
  • Quem vai tratar do patudo quando for de férias ou se estiver doente
  • Tenho alergia ao pelo dos cães? É simples fazer um teste, mas é melhor esperar que a pandemia passe.
  • Estou preparado mudar de vida? Por exemplo, para ter o sofá cheio de pelos ou para passar imenso tempo a educar o meu cão?

Como posso adotar um cão durante o período de confinamento?

Se depois de ponderar bem o que significa trazer um cão para casa tiver a certeza que está preparado, pode adotar durante este período. Pois, de facto, tem tempo suficiente para se ocupar do seu novo amigo. No entanto, lembre-se que o dia-a-dia depois da pandemia pode mudar radicalmente e trazer consequências para o seu patudo. Ele pode reagir mal se, de repente, tiver que ficar em casa sozinho por períodos longos. Depois do período de confinamento deve garantir que continua a ter tempo suficiente para o seu amigo de quatro patas.

Nesta altura pode ser mais difícil adotar um cão. No entanto, é aconselhável que tenha paciência e procure um criador sério em vez de ir pelo caminho mais fácil e adquirir um cão sem garantias. Tire partido do tempo de espera para preparar a chegada do seu patudo e para ler e informar-se sobre como é a vida com um cão.

Associações de animais durante a pandemia do Coronavírus

Nem todas as associações de animais estão abertas durante o período em que vivemos, pois muitas encerraram as portas. O encerramento deve-se a medidas para impedir a propagação do vírus, mas também para evitar que os animais sejam adotados por más razões. No entanto, algumas associações possibilitam a adoção após uma entrevista telefónica com o possível dono e depois que ele visite o local. Por exemplo, em França La Société Protectrice des Animaux (SPA) promove a iniciativa #AdoptionSolidaireSPA para os franceses que pretendem ter um novo amigo em casa. Em Portugal não existe uma iniciativa semelhante, mas pesquisando na internet consegue encontrar informações sobre as associações abertas e as suas regras de adoção nesta fase.

Adoção de um cão de outro país

As associações de proteção de animais internacionais estão a ser particularmente afetadas pela pandemia da Covid-19. Tal como as associações locais, muitas destas deixaram de receber doações e contribuições de associados ou simpatizantes. Por outro lado, o transporte de cães de um país para outro só é possível em condições muito restritas ou é mesmo impossível. Ainda assim, algumas associações internacionais possibilitam a adoção de cães da Grécia, Bulgária ou Roménia.

Adotar um patudo de outro país pode-lhe salvar a vida, pois em alguns países os animais em canis são abatidos passado algum tempo. Além disso, se os processos de adoção pararem completamente, as associações ficam sobrelotadas e não podem resgatar cães em risco de serem abatidos. Ainda assim, não tome decisões precipitadas. Informe-se junto da associação sobre o cão que pretende adotar e certifique-se que este é o indicado para si e para o seu estilo de vida. Lembre-se também que as associações não se devem concentrar apenas no processo de adoção. Estas devem zelar pelo bem-estar dos animais e proporcionar cuidados básicos, como por exemplo, a castração.

Um cachorro de um criador

Se pretender adquirir um cachorrinho de um criador, a melhor alternativa é procurar um na sua região, pois viagens longas são desaconselhadas nesta fase de controlo da pandemia. Além disso, muitos criadores não estão disponíveis para receber visitas, pois não querem contribuir para a disseminação do vírus. Assim, se visitar um criador para adquirir ou conhecer um cachorro, deve ir sozinho e adotar todas as medidas de higiene e proteção recomendadas. O resto da família vai-se deliciar com as fotografias ou vídeos que fizer do seu futuro amigo e também com as suas histórias.

Alguns criadores inovam a forma de se relacionarem com os seus clientes permitindo que estes conheçam as suas instalações através de vídeo conferências. Ainda assim, futuros donos podem ver os seus planos adiados por causa das regras restritivas impostas para o controlo da pandemia e o seu desejado patudo vai chegar a casa mais tarde. Se o seu cachorro vier de um criador responsável que se preocupa com a socialização e desenvolvimento das suas ninhadas, não terá qualquer problema. Assim, o melhor é ter alguma paciência. Não é de todo aconselhável ir buscar um cachorro sem qualquer identificação a um criador pouco sério ou, ainda pior, a um criador de vão de escada.

Coronavírus: acolher temporariamente um cão

Algumas associações de animais estão a ser contatadas por pessoas interessadas em acolher um cão temporariamente durante este período. Afinal, as pessoas passam muito tempo em casa e pensam que podem dar uma espécie de férias aos cães que estão para adoção. No entanto, do ponto de vista dos cães, esta não é uma boa ideia, pois quando estiver habituado à sua nova casa, tem de voltar para a associação. O acolhimento só deverá acontecer se a pessoa puder e tiver disponibilidade para ficar com o cão até ao momento da adoção definitiva.

Ainda assim, em algumas situações, o acolhimento temporário pode ser muito útil. Por exemplo, os donos que têm de ficar de quarentena e não têm um quintal encontram muitas dificuldades em cuidar do seu patudo, pois estão impedidos de sair de casa. Nas redes sociais encontra organizações de voluntários que se disponibilizam para ajudar as pessoas nesta situação. No entanto, se decidir ser voluntário, deve cumprir rigorosamente as regras de higiene quando for buscar ou levar o cão ao dono e em nenhuma circunstância deve entrar em casa do seu amigo temporário.

Adotar um cão durante a pandemia do Coronavírus? Reflita bem antes de tomar uma decisão e mantenha-se saudável!

Os nossos artigos mais relevantes