Mandarins

Os mandarins são bonitos, sociáveis e fáceis de tratar, por isso são dos mais populares pássaros domésticos. É um verdadeiro prazer observar os Estrildinae, pois há sempre alguma coisa a acontecer onde está um mandarim. Gostava muito de ter um mandarim? Então convidamo-lo a ler mais sobre este pássaro e os cuidados que ele exige.

De onde vêm os mandarins?

De acordo com a classificação taxonómica os mandarins pertencem à grande ordem dos Passeriformes, à família Estrildinae e ao género Taeniopygia. Os mandarins dividem-se em dois subgéneros:

Nome comum Nome científico Origem
Mandarim australiano Taeniopygia guttata castanotis Austrália e Pequenas Ilhas da Sonda
Mandarim de Timor Taeniopygia guttata guttata Timor, Sudeste Asiático

O mandarim australiano (Teaniopygia guttata castanotis) é o ancestral selvagem do nosso mandarim doméstico. Originalmente este pássaro habitava praticamente toda a Australia, evitando apenas as florestas tropicais húmidas no nordeste e algumas regiões costeiras. O mandarim habitava igualmente as pequenas ilhas Sonda. Quando e como é que o mandarim australiano chegou à Europa e se tornou num animal de estimação, não é claro. No entanto, é certo que no início do século XX este pássaro de gaiola era dos mais populares entre os europeus.

Qual o aspeto de um mandarim australiano?

O mandarim é um pequeno pássaro doméstico com um corpo compacto. Ele tem cerca de 12 cm de comprimento e pesa entre 12 e 14 g. Os seus olhos situam-se lateralmente, permitindo assim que este passarinho processe até 120 imagens por segundo. Desse modo, o mandarim consegue manter os inimigos sob controle. O pequeno e forte bico laranja avermelhado dos mandarins é perfeito para comer grãos.
Os mandarins são muito ágeis graças às suas asas curtas e angulares. E a agilidade é um aspeto essencial para assegurar a sobrevivência destes pássaros em estado selvagem. Relativamente às cores da penugem, os mandarins distinguem-se pelas penas pretas com grandes manchas brancas na cauda. Além disso, as penas da zona da barriga são brancas. A zona dos olhos destes pássaros apresenta também particularidades evidentes. Por exemplo, os machos apresentam uma mancha laranja nas bochechas. Ambos os sexos apresentam uma lista preta vertical por baixo dos olhos. Por fim, a zona do pescoço tem uma penugem listrada.

Como se pode distinguir machos e fêmeas?

É muito fácil distinguir mandarins macho e fêmea adultos em estado selvagem, pois esta espécie apresenta dimorfismo sexual. Assim, a penugem dos machos tem cores mais intensas e apenas os machos apresentam uma mancha laranja nas bochechas. No entanto, as práticas de criação em cativeiro fizeram aparecer mandarins em mais cores. Atualmente, existem mais de 50 tipos de mandarim reconhecidos.
Os juvenis não apresentam marcas distintivas relativamente ao sexo. A penugem é cinzento claro e só se torna mais colorida depois da primeira muda de penas. O bico dos juvenis é preto e vai adquirindo a cor vermelha lentamente ao longo dos primeiros quatro meses.

Comportamento: Do que gostam os mandarins?

Os mandarins, juntamente com os periquitos e os canários, são dos mais populares pássaros domésticos. O que não é de espantar, pois observar estes pequenos e inteligentes pássaros é imensamente divertido. De facto, os mandarins raramente estão parados. Assim, é fácil observá-los a fazer voos acrobáticos, a saltar ou a fazer os seus ninhos. Além disso, os mandarins não requerem cuidados especiais e dão-se muito bem com crianças. No entanto, raramente se tornam totalmente domesticados, pois estes pássaros são por natureza desconfiados.

Os mandarins são muito sociáveis e só se sentem realmente bem em bando. Assim, se quiser ter este pássaro é aconselhável adquirir logo um ou dois pares. Vai com certeza gostar de ver a interação social entre os pares, pois os mandarins costumam acasalar por vários anos. A convivência dos mandarins com outros pássaros é também pacífica.

Quando é que os mandarins atingem a maturidade sexual?

Perto dos 3 meses os mandarins são sexualmente maduros. No entanto, não devem acasalar antes dos 6 meses. Os mandarins gostam de se reproduzir. Assim, se pretende ter mandarins, tenha em conta as ninhadas e a criação dos juvenis.

Do que é que os mandarins precisam para se reproduzir?

Os mandarins constroem ninhos apaixonadamente e para tal usam diversos materiais. Os ninhos, onde as fêmeas põem entre 4 e 6 ovos, são elegantes e arredondados. Após cerca de 12 dias os ovos eclodem e em mais 21 dias os juvenis já estão prontos para deixar o ninho. Para a reprodução, certifique-se que os mandarins têm material suficiente para construírem os ninhos.

Posso juntar os mandarins com outros pássaros?

Os mandarins vivem bem com outros pássaros domésticos. A socialização com caturras costuma ser especialmente bem-sucedida. No entanto, os mandarins também convivem bem com canários, periquitos ou manons. Nesse caso é importante ter uma gaiola realmente grande ou idealmente um aviário. Pois numa gaiola pequena, os pássaros podem facilmente entrar em conflito por causa do material para os ninhos e por território.

Cuidados: Quais as necessidades dos mandarins em gaiolas ou aviários?

Com cuidados adequados os mandarins vivem até cerca de 10 anos. Além disso, se proporcionar aos seus mandarins um espaço adequado, vai estar a contribuir muito para o seu bem-estar.

Qual o melhor tipo de gaiola para os mandarins?

Os mandarins são mais felizes numa gaiola grande. Assim, por cada par de mandarins a gaiola não deve ter menos de 80 x 60 x 40 cm. No entanto, se puder deixar os seus mandarins voar livremente todos os dias, pode escolher uma gaiola menor com uma gaveta para remover os dejetos.

Os mandarins são pássaros que facilmente se sentem inseguros. Assim, é aconselhável escolher uma gaiola que possa ser fechada lateralmente. O local onde a gaiola fica deve ser também calmo e resguardado. Caso queira ter um pequeno bando de mandarins, então um aviário grande é a escolha mais adequada.

O nosso clima é adequado para as necessidades dos mandarins, por isso não precisam de fontes de calor adicional. No entanto, caso tenha um aviário ao ar livre, evite que os pássaros fiquem expostos a temperaturas inferiores a 15° C.

Estes pássaros australianos habituados ao sol adoram dias com 12 a 14 horas de sol. Assim, durante o inverno é aconselhável ter uma luz artificial que permita aos mandarins manter o seu ritmo diário. Esta luz não deve ser intermitente, mas deve ser regulável de forma a ir de encontro às necessidades destas aves. Deve também diminuir de intensidade lentamente e não simplesmente apagar-se. Assim evita que uma passagem brusca do dia para a noite cause ansiedade nos mandarins.

Que acessórios deve ter a gaiola?

Vamos começar pelo básico. Qualquer gaiola deve ter um comedouro e um bebedouro, por razões de higiene estes devem ser de barro ou metal e não de plástico. Mas pode completar a gaiola com outros acessórios importantes. Por exemplo, uma pedra calcária ou de outro mineral, uma tijela com areia para pássaros e uma banheira. A areia é importante para permitir uma boa digestão aos seus mandarins. Por sua vez, uma banheira proporciona momentos muito agradáveis a estes pássaros que gostam de água.

Os mandarins precisam de ser incentivados a moverem-se. Eles gostam de estar em locais onde possam andar a descobrir coisas, gostam de saltitar entre poleiros e acima de tudo não gostam de fazer sempre o mesmo. Assim, os seus mandarins agradecem se colocar vários poleiros na gaiola e se alterar a sua disposição regularmente. Os baloiços e espirais de corda são igualmente bem recebidos por estas aves curiosas.

Pode também deixar à disposição dos seus mandarins materiais para construção de ninhos, já que esta é uma das atividades favoritas desta espécie de pássaros. Existem vários materiais adequados para estas aves criativas, como por exemplo, palha, rafia, papel ou fios de lã curtos.
Por serem presas em estado selvagem, os mandarins necessitam de um certo nível de ruído para se sentirem seguros. Um ambiente silencioso vai deixar os seus passarinhos ansiosos. No entanto, o chilrear de outros pássaros ou pequenos sininhos causam ruido suficiente. Ainda assim, quando estiver fora, pode também deixar música suave a tocar.

Durante a noite, os casais de mandarins procuram refúgio nos ninhos para dormir. Nas lojas para animais encontra uma grande variedade de ninhos para este fim.

Com que frequência devo limpar a gaiola?

Para manter os seus mandarins saudáveis é absolutamente necessário que a gaiola esteja limpa. Assim, o comedouro, bebedouro, taça de areia para pássaros e a banheira devem ser lavados diariamente. O interior e o exterior da gaiola devem ser lavados semanalmente e uma vez por mês deve fazer uma desinfeção completa da gaiola.

Com que frequência devem os mandarins voar livremente?

Se possível, deve deixar que os seus mandarins voem livremente uma vez por dia. Voar sem restrições é o ponto alto do dia para esta ave acrobática. No entanto, certifique-se que não há perigos no local onde solta o seu passarinho. Janelas, portas ou velas podem representar um perigo para os mandarins.

Resumo dos cuidados a ter com os mandarins

Os mais importantes cuidados a ter com os seus pássaros são:

  • Tamanho da gaiola por par: 80 cm x 60 cm x 40 cm.
  • Aviário de exterior: os mandarins não devem estar expostos a temperaturas inferiores a 15 °C.
  • Local da gaiola: protegido e iluminado.
  • Tempo de luz aconselhado: 12 a 14 horas, no inverno aconselha-se a utilização de iluminação artificial.
  • Poleiros, baloiços e espirais para entretenimento.
  • Material para a construção de ninhos.
  • Ninho para dormir protegido.
  • Limpeza diária do comedouro, bebedouro e banheira.
  • Voar livremente todos os dias.

Alimentação: o que comem os mandarins?

Além da comida disponível em lojas para animais composta de vários tipos de grãos e plantas, os mandarins também gostam muito de comer alimentos frescos. Assim, pode dar ao seu mandarim salsa, dentes de leão, vegetais ou fruta diariamente.
Esperamos que venha a conhecer de perto esta fantástica espécie. Caso decida adquirir um par de mandarins, esperamos que seja muito feliz com o seu pequeno e colorido bando de passarinhos.

Os nossos artigos mais relevantes

Caturra

As caturras procuram o contacto com animais da mesma espécie e se isso não for possível ligam-se aos humanos e exigem atenção a 100%.

Canário

Os canários são conhecidos por serem aves que cuidam de si mesmos desde que lhes sejam oferecidos os meios necessários.

Agapornis

Os agapornis necessitam de bastante espaço para se movimentarem sem restrições por isso um viveiro é a melhor opção para esta espécie.