Adotar um gato durante a pandemia da COVID-19?

Lar doce lar! Muitas pessoas estão a criar laços muito fortes com a sua casa por causa das medidas de confinamento da pandemia. E as atividades em casa não se resumem ao teletrabalho ou ao ensino à distância. Muitas pessoas estão a descobrir novos hobbies, como por exemplo, cozinhar, aprender línguas estrangeiras ou mesmo a tricotar. E assim, quem gosta mesmo de animais dá consigo a pensar “com um gato estar em casa era muito mais divertido”. E tempo para se conhecerem agora não falta. Mas será mesmo uma boa ideia adotar um gato durante o período de confinamento? Aqui damos-lhe algumas dicas.

O isolamento durante a pandemia – um tempo estranho

Ao navegar nas redes sociais, vai quase inevitavelmente deparar-se com as mais fofinhas fotografias de gatos. E quantas mais fotografias vir, maior a vontade de também ter uma bolinha de pelo. E esta vontade cresce ainda mais quando as pessoas não podem estar com a família e amigos como habitual. No entanto, a decisão de ter um ou dois gatos não deve ser tomada por impulso. Pois, ao adotar um gato está a assumir a responsabilidade de lhe proporcionar uma vida feliz e saudável. E se a sua bolinha de pelo chegar a sua casa ainda bebé, pode ficar consigo por mais de 20 anos. Se está a pensar em adotar um gato, as nossas perguntas podem ajudá-lo tomar uma decisão mais consciente.

Acabou o confinamento. Tenho tempo suficiente para o meu gato?

Hoje em dia passamos muito tempo em casa. Mas como será a nossa vida quando a pandemia da COVID-19 passar? Não vai ser apenas voltar ao trabalho e às compras. Os parques, a praia, os cinemas ou os restaurantes vão reabrir. Quem trabalha a tempo inteiro e nos tempos livres gosta de sair regularmente, não é o melhor dono para um gato. Pois, os momentos de brincadeira e de miminhos também são muito importantes para os gatos.

Consigo suportar os gastos que um ou dois gatos me vão trazer?

“Os gatos nem comem assim tanta ração, por isso não vou ter que gastar muito dinheiro”. Se for essa a sua ideia, é melhor pensar duas vezes e fazer bem as contas. Além da ração de alto valor nutritivo também deve considerar os custos do equipamento básico do seu gato. Neste equipamento incluem-se por exemplo, os comedouros e os arranhadores.

Existem também custos regulares, como idas ao veterinário ou a areia para o WC da sua bolinha de pelo. Se o seu gato adoecer, pode facilmente ter de gastar 100 euros ou mais. Assim, quando pensar ter um gato é aconselhável levar em conta todos os gastos regulares e estar preparado para uma emergência. Dessa forma, se a sua situação financeira atual não for a melhor ou se o seu futuro profissional for incerto em consequência da pandemia, o melhor é esperar.

Prefiro um gato de apartamento ou um gato que vá à rua sozinho?

Os gatos que vão à rua têm liberdade para fazer amigos. Assim, se instalar uma gateira para ele poder entrar e sair de casa quando quiser, o seu gato não se vai ressentir tanto com a sua ausência. No entanto, não é aconselhável deixar o seu gato sair livremente se viver num local com trânsito. Pois, o risco do seu gato sofrer um acidente é elevado. Se tiver um quintal seguro, tem as melhores condições para que o seu gato possa sair de casa. Os gatos têm a particularidade de se aborrecerem rapidamente, especialmente os gatos de apartamento. Por isso muitos donos preferem ter dois peludos.

Como vai ser a minha vida com gatos?

Ao navegar pela internet, uma coisa parece certa: os gatos são acima de tudo divertidos. Assim, o confinamento com uma bolinha de pelo vai ser muito mais fácil. É, de facto verdade, os gatos trazem imensa alegria aos seus donos. Mas viver com um gato também tem aspetos negativos. Por exemplo, pelos na mobília e na roupa, plantas e tapetes roídos. E os gatos também miam durante a noite! Quem nunca viveu com um gato, facilmente incorre no erro de desvalorizar estes aspetos.

Quem vai tratar dos gatos quando eu for de férias?

Atualmente as fronteiras estão fechadas e as férias parecem muito distantes. No entanto, isto vai mudar e muitas pessoas vão querer viajar. Quer vá passar um fim de semana fora ou vá de férias três semanas, é importante saber de antemão quem vai tratar do seu gato. Talvez a solução seja a pessoa que divide casa consigo. Familiares ou amigos são igualmente uma possibilidade. No entanto, é aconselhável habituar o seu gato à sua “casa alternativa” gradualmente e antes de ir de férias.

Pelos e alergias podem ser um problema?

Esteve há pouco tempo com um gato e não tem a certeza se é alérgico a gatos? Neste caso, deve fazer um teste antes da adoção. Visto que os médicos estão a dar prioridade a situações urgentes por causa da pandemia, é melhor adiar o processo para depois do fim do confinamento.

Como posso adotar um gato durante o confinamento?

Pensou bem e quer mesmo adotar um gato. Fantástico! A pergunta seguinte é: onde é que posso adotar um ou dois gatos nesta altura? Muitas pessoas gostariam de aproveitar o tempo em que não podem sair e assim ajudar o seu gato a se ambientar à sua nova casa. No entanto, várias associações de animais estão encerradas e não estão a aceitar processos de adoção. É também de notar que muitas destas associações estão a passar por uma situação financeira muito difícil. Por um lado, as doações caíram, e por outro, continuam a receber animais abandonados.

Por fim, não escolha o caminho mais fácil quando procurar o seu gato. Quer decida adotar através de uma associação ou adquirir o seu gato num criador, deve certificar-se que está a lidar com pessoas sérias. Não se esqueça que o seu gato o vai acompanhar por muitos anos.

Associações de proteção de animais locais

A associação de animais da minha zona está aberta e posso iniciar o processo de adoção? Não é possível dar uma resposta clara a essa pergunta. A situação é diferente nos vários países e regiões da Europa. Assim, a solução é procurar informações na internet. Muitas associações estão encerradas para visitas, mas continuam a divulgar na internet que animais têm para adoção. Outras associações permitem visitas individuais para poder ver e adotar o seu novo amigo, seguindo todas as medidas de higiene e segurança. Este é o caso da maior associação de animais da Europa, a Associação de Berlim. Aqui mais de 1.300 animais esperam por uma nova casa. No Reino Unido, as associações suspenderam as adoções de acordo com as recomendações do governo. Por outro lado, em França as adoções continuam graças à iniciativa #AdoptionSolidaireSPA promovida pela La Société Protectrice des Animaux (SPA).

Adotar um gato do estrangeiro

Algumas pessoas gostariam de adotar um gato de uma associação estrangeira. Países como, por exemplo, a Grécia, Roménia ou Bulgária têm centenas de gatos à espera de um dono. Atualmente muitas associações de proteção de animais internacionais estão a lutar para se manterem operacionais. Pois, de facto, as medidas para conter a pandemia da COVID-19 estão a ter um impacto muito negativo nestas associações. Os voluntários estão impedidos de levar os animais aos futuros donos. E em consequência, muitos animais acabam por ser abatidos. No entanto, existe uma rede de cooperação entre estas associações na Europa que estão a conseguir levar a cabo alguns processos de adoção. Ainda que os futuros donos tenham que esperar mais tempo para finalmente conhecerem o seu novo amigo. Quem estiver interessado em adotar um gato de outro país deve consultar as páginas online das associações de animais correspondentes.

Adquirir um gato num criador

Quem estiver fascinado com uma determinada raça, deve procurar na internet criadores responsáveis. No entanto, alguns não estão abertos a visitas. Mas não se precipite, não é aconselhável adquirir um gato sem uma visita prévia. Criadores sérios preferem esperar ou permitem visitas individuais seguindo todas as medidas de higiene. Existem também criadores que oferecem a possibilidade aos futuros donos de ver as instalações através de vídeo chamadas. Por fim, alguns criadores preferem que os gatinhos sejam adotados até às 14 semanas para que a relação entre o gato e o seu dono seja a melhor possível.

O aspeto final a ter em consideração é a possibilidade de não se poder deslocar para ir buscar a sua bolinha de pelo. Pois podem ser impostas restrições a deslocações de ou para certas zonas. Assim, o mais simples é escolher um criador próximo ou esperar algum tempo, garantindo assim que vai ter o companheiro de casa certo para si.

Posso acolher temporariamente um gato durante o período de isolamento?

Algumas associações de animais estão a ser contatadas por pessoas que gostam de animais e estão dispostas a acolher um gato temporariamente. No entanto, do ponto de vista das associações, acolhimentos de algumas semanas não fazem sentido. Para alguns gatos seria muito difícil ter de voltar à associação depois de passarem três semanas no que já consideravam a sua casa. Assim, quem tem vontade de ajudar uma associação de animais pode fazê-lo quando a pandemia acabar. Por exemplo, poderá ir passear ou dar miminhos aos gatos que esperam por um novo lar.

Os nossos artigos mais relevantes