10 dicas para tirar as melhores fotos com o seu gato

tirar fotos a gatos

Os gatos são das mais populares oportunidades de foto – quem não adora ver fotos de gatinhos? Os seus olhos expressivos, as patinhas aveludadas e macias, o pelo sedoso e brilhante e a sua natureza elegante fascinam-nos. Porém, há um problema: estes nossos modelos têm as suas idiossincrasias, sendo muito obstinados. As seguintes 10 dicas indicam-lhe como colocar em cena o seu patudo, apesar dos seus caprichos.

Seja deitado no peitoril da janela a aproveitar o sol, a bocejar, a brincar com uma bola de lã ou a explorar o quintal, invadido pela curiosidade, os gatos proporcionam-nos inúmeras oportunidades de fotos – mas quando está de câmara ou de smartphone em punho, o animal decide afastar-se e o momento ideal foi-se. Felizmente, com as dicas que temos para si, as fotografias do seu patudo serão bem-sucedidas – e sem ser necessário recorrer a uma câmara dispendiosa, a uma teleobjetiva ou a um tripé.

O motivo é fundamental: como pretende exibir o seu gatinho?

Online no Facebook ou no Instagram ou ao vivo e a cores na sua sala de estar, as imagens nas quais os nossos queridos gatos são o foco, são abundantes. A qualidade das fotografias, por outro lado, deixa muito a desejar: fracas condições de iluminação, movimentos tremidos, cenários agitados ou a entediante fotografia do animal a dormir. Apanhar o gato com boa luz, numa pose interessante, exige imenso de nós, amantes de animais e fotógrafos amadores. E verdade seja dita, a última preocupação dos gatos deve ser a de terem um maravilhosos retrato tirado. 

Porém, antes de se preparar para tirar fotografias, faça a si mesmo as seguintes questões – o que pretendo exprimir com a foto? Como gostaria de apresentar o meu gato? Pretende um retrato do animal, fazendo sobressair os seus belos olhos? Ou será que pretende fotografar o seu gato em ação – enquanto brinca, trepa ou salta? O ideal será fotografá-lo na natureza ou no sofá? Pode ser bastante útil procurar inspiração noutras fotos de gatos espalhadas pela Internet. Mas atenção: não tente recriá-las – raramente corre bem. Lembre-se: cada gato é diferente e a fotografia deve evidenciar essa singularidade.

Para encontrar um motivo fotográfico para o seu gato, pense sobre aquilo que torna o seu gato especial. Terá o pelo particularmente manchado? Quais as suas coisas favoritas? Ainda é pequeno e brincalhão? Se sim, uma fotografia dinâmica com o seu brinquedo preferido será a indicada ou, também, uma imagem que capte a curiosidade com que o animal encara a câmara. Quanto a fotografias de gatinhos, é engraçado quando as proporções são notórias, isto é, experimente captar o patudo junto da mãe ou no seu braço. Se o seu mais-que-tudo é, por outro lado, um gato selvagem que anda à sua vontade todo o dia a caçar ratos, a fotografia ideal terá como pano de fundo um jardim ou uma área campestre. Se a sua atividade favorita for estar no colo do dono e receber mimos, então o motivo mais apropriado será captá-lo enquanto relaxa ao sol.

  • Considere um cenário neutro

Independentemente do motivo ou pose que tenha em mente, o gato é, naturalmente, o foco da fotografia. Um cenário agitado, repleto de pessoas e automóveis, ou um papel de parede com padrões, ou a televisão, distraem o seu patudo e devem, assim, ser evitados. Se captar o seu gato em casa deve fazê-lo em frente a uma parede branca ou lisa (sem imagens ou posters) ou sobre um elegante chão de madeira. Em alternativa, pode pendurar um lençol ou pintar um pedaço de cartão e usá-lo como fundo para a fotografia. Almofadas ou mantas monocromáticas são também ideias como elementos de composição do cenário.

Fundamental é que o seu gatinho sobressaia da melhor forma no cenário escolhido. Um gato preto deve ser fotografado num chão de madeira clara ou numa manta colorida, ao invés de deitado em azulejos escuros. Gatos de pelo castanho-avermelhado, por outro lado, não são bem captados em pavimentos de madeira ou de laminados. É claro que se for dono de um patudo branquinho deve optar por uma manta escura ou por almofadas pretas como cenário. Se preferir captar o seu gatinho no exterior, escolha um cenário o mais neutro possível, como uma prado verde.

  • Certifique-se que há luz suficiente

Um cenário elegante, uma boa pose e a melhor máquina fotográfica – tudo isto não tem grande peso se as condições de iluminação não forem as corretas. Uma boa iluminação, alicerçada na maior quantidade de luz natural possível, é essencial para captar belas imagens. Se não possui um kit de iluminação, capte o animal junto de uma janela grande ou diretamente no jardim. Adicionalmente, para evitar sombras, não deve posicionar-se diretamente contra a luz, optando, ao invés, por tirar a foto de lado da entrada de luz. Se o patudo olhar diretamente para a janela, poderá ver na fotografia um ponto branco na pupila – um efeito muito popular em retratos.

No interior, além da luz natural, pode aumentar o nível ISO da sua câmara ou usar flash. Este deve ser sempre direcionado para cima e a fotografia deve ser somente iluminada de forma indireta pela contraluz. Nunca emita o flash diretamente na cara do seu gatinho – assusta-se e foge.

  • Retratos: nítidos à frente, desfocados atrás

    Outra dica para tirar as melhores fotografias consiste em desfocar o cenário, tornando a cara do animal super nítida. Os fotógrafos profissionais fazem uso do diafragma nos modos A ou AV para obterem o menor número possível. Com um valor entre f:2.8 ou f:3.2, a abertura das lentes é maior, sendo a profundidade do campo, assim, menor. O cenário está desfocado, ao passo que o seu patudo está em grande destaque. É importante que o foco se centre nos olhos do animal, pois um retrato é mais convincente quando favorece a expressividade e a perspicácia do olhar, chamando desde logo a atenção de quem observa. 

    Para aqueles que não estão familiarizados com termos técnicos de fotografia, como foco, profundidade de campo, abertura ou velocidade de obturação, mas que, ainda assim, gostariam de captar uma elegante foto do seu mais-que-tudo, recomendamos o modo retrato, fácil de ajustar na maior parte das câmaras digitais (marcado, por norma, com o símbolo de uma cabeça). Até mesmo os smartphones apresentam a possibilidade de tirar retratos com o fundo desfocado. Se este modo não estiver disponível no seu telemóvel, pode sempre descarregar uma aplicação para o efeito. Em alternativa, é possível desfocar o cenário mais tarde, com um programa de edição de imagem ou uma aplicação.

  • Gatos em movimento: rápidos, mas não tremidos

Uma dificuldade comum relativamente à captura de fotografias de gatos é o facto de o modelo não participar tanto quanto seria desejável. Ao invés de se manter quieto e olhar para a câmara, o animal prefere explorar o que se passa por detrás da objetiva, saltar para os postes arranhadores ou dirigir-se para outra área do apartamento. É claro que fotografar o seu gatinho a correr ou a saltar e “congelar” esse movimento para sempre é bastante apelativo. O problema: muitas destas imagens ficam desfocadas ou tremidas e acabam por ir parar ao caixote do lixo digital.

Tal pode evitar-se ajustando a velocidade do obturador para a mais curta possível. Se não se sente confortável com as definições manuais da câmara, pode selecionar o modo de desporto. Quando o gatinho está a brincar, o modo contínuo é também adequado. Deste modo, não perde nenhuma pose do animal! É claro que necessitará de algum tempo depois da sessão fotográfica para selecionar as melhores imagens. E lembre-se – é essencial verificar de antemão se tem espaço de armazenamento suficiente na câmara ou no smartphone.

  • Mantenha-se ao nível dos olhos do gato

As fotografias de gatos parecem-nos mais naturais quando refletem a perspetiva do animal. Por outro lado, as capturas feitas a partir de cima pouco têm de convincente, já que todos os elementos da fotografia dispersam o olhar, além de que o gato parece demasiado pequeno. Isto é o mesmo que dizer: ponha-se de joelhos!

Mantenha a câmara ao nível dos olhos do gatinho e tente captar a sua perspetiva na horizontal. Quem tenha problemas nos joelhos pode, claro, tentar posicionar o seu patudo numa posição mais elevada e fotografá-lo, por exemplo, sobre uma mesa ou num poste arranhador.

 Se é dono de um gato especialmente majestoso, como uma persa ou um maine coon, experimente ir um pouco mais longe e deite-se, tirando uma foto a partir de um ângulo baixo. Deste modo, estará a dar ao seu gatinho um ar imponente. Mas atenção, por vezes, a partir deste ângulo, os gatos parecem mais gordos do que verdadeiramente são.

  • Quando o gato olha diretamente para a câmara

Contam-se entre as mais populares fotografias de gatos aquelas em que o gatinho olha diretamente para a câmara. Mas como fazer com que o obstinado animal o faça? Esperar e fazer click no momento certo pode ser um teste à sua paciência. Felizmente, existem alguns truques para conseguir que o patudo olhe na direção certa. 

A melhor forma de o fazer é ter a assistência de outra pessoa durante a sessão fotográfica. Prenda um brinquedo particularmente interessante a uma vara. Enquanto tem o dedo sobre o botão, o seu assistente tenta atrair a atenção do gato para o brinquedo. Logo que o consiga, move a vara rapidamente na direção da lente e você faz o click! Se está sozinho na companhia do animal, experimente tamborilar com os dedos sobre a máquina fotográfica, tentando atrair o olhar do gatinho com esses sons. Os gatos são naturalmente muito curiosos – use este traço de personalidade a seu favor! Outra solução passa por ter consigo um delicioso snack e orientá-lo na direção da lente. Para obter a guloseima, o animal fará tudo – e com sorte olhará em cheio para a máquina.

  • Aproxime-se!

Para obter as melhores imagens do seu mais-que-tudo, já sabe que o animal deve estar bem centrado e que o cenário deve ser residual. Ao contrário do que acontece na fotografia de paisagem, a máquina deve encontrar-se o mais perto possível do modelo de quatro patas. Permita ao gatinho acostumar-se ao equipamento – a verdade é que quer que ele olhe diretamente para a câmara, não é? Deixe-o examinar a máquina e, com alguma sorte, obterá um excelente retrato.

Até as fotografias de detalhe que apresentam, por exemplo, apenas uma das patinhas do animal ou a sua manchinha especial no nariz, são bastante interessantes e impressionam, aumentadas e emolduradas. Lembre-se de tirar fotos com a melhor qualidade possível. Deste modo, conseguirá reduzir o tamanho da imagem sem que fique demasiado pixelizada.

  • Aquele pequeno extra: efeitos de edição de imagem

Mesmo que use o hastag #nofilter no Instagram e companhia, a verdade é que algumas fotos se transformam em obras de arte com certos efeitos. E sejamos honestos: se as imagens das celebridades são editadas para as revistas, por que não tornar o seu patudo ainda mais elegante através de programas de edição de imagem ou das aplicações correspondentes.

 As fotografias tornam-se mais interessantes se aplicar contrastes ou se as cores variarem ligeiramente. Algumas imagens de gatos parecem mais profissionais a preto e branco do que a cores. Especialmente atrativas são as fotos com vinheta – a imagem é escurecida nas margens com efeitos de sombra, fazendo com que o animal sobressaia, ainda mais, no centro.

  • A prática faz o mestre

Agora que já conhece uma série de dicas para melhorar as fotografias que tira ao seu patudo, há um aspeto que deve ter em mente: é perfeitamente natural que a captura perfeita não acontece de imediato. Lembre-se, porém, que ninguém nasce ensinado! Trate-se de desporto, música, pintura ou fotografias de gatos: para ser ser realmente bom, ter talento não chega, pois a prática e o treino são essenciais.

Pegue na câmara e alterne entre diferentes modos e perspetivas. Quanto mais familiarizado estiver com a técnica, mais depressa poderá reagir e captar poses interessantes, eternizando-as em grandes fotografias.

Desejamos-lhe toda a diversão e paciência do mundo, além, claro, de uma excelente iluminação para obter as melhores fotos do seu mais-que-tudo!

Os nossos artigos mais relevantes