Equitação clássica vs. equitação western

Qual o melhor tipo de equitação para mim?

Para poder decidir como prefere montar, é melhor começar por compreender as diferenças entre a equitação clássica e western.

Equitação clássica

Na equitação clássica, o cavaleiro mantém total controlo sobre o cavalo. Para tal, recebe formação seguindo uma escala de treino criada na Alemanha por volta de 1912. Mais tarde esta escala foi adotada pela FEI – Fédération Equestre Internationale. Atualmente esta escala é a base da equitação de ensino e das competições. No entanto, esta ainda não está totalmente enraizada em Portugal. Neste tipo de equitação, o cavaleiro e o cavalo apresentam-se como uma dupla esteticamente equilibrada em que o carisma do cavalo está em destaque. A escala consiste em 6 etapas – ritmo/regularidade, flexibilidade, contato sobre a mão, impulsão e retitude. Para ser bem sucedido nas etapas de treino, o cavaleiro usa as partes do seu corpo em contato com o cavalo, como as nádegas e coxas, além das rédeas. Geralmente é um processo trabalhoso e exigente.

Que andamentos existem?

Existem três andamento principais: passo, trote e galope. No entanto, estes podem variar de intensidade. Os passos mais elaborados dos andamentos principais são o piaffer e a passage. O piaffer é um trote intenso praticado sem o cavalo se mover do local onde está. A passage é igualmente um trote, onde o cavalo diminui a amplitude e ganha altura no andamento. Estas variações de andamentos não são para iniciantes. Elas podem ser vistas em competições de alto nível, como no Grand Prix, a principal competição de dressage. Na equitação clássica, a dressage e os saltos são os movimentos principais.

Equitação western

Esta equitação tem por base a seguinte filosofia: o cavalo deve ter grandes dificuldades em fazer o que o cavaleiro não quer que ele faça, mas deve ser muito fácil ter os comportamentos corretos. Ou seja, neste método de treino, os cavalos aprendem a evitar a pressão. Um cavalo bem treinado com este método responde a uma leve pressão da coxa do cavaleiro. Assim, o cavaleiro consegue controlar o cavalo com a rédea apenas numa mão (neck reining).

Qual a vantagem de usar apenas uma mão para as rédeas?

Esta forma de equitação remonta aos tempos em que os norte-americanos tinham grandes rebanhos da zona do Midwest. Nessa altura, o cavalo era um elemento essencial para os cowboys conseguirem orientar e apanhar o gado. E visto que o cowboy tinha que fazer a maior parte do seu trabalho em cima do cavalo, era-lhe muito útil ter uma mão livre. Assim, montar a segurar as rédeas com apenas uma mão, não é apenas vistoso, mas também útil.

Jog – um trotar mais confortável

Uma outra especificidade do estilo dos cowboys é o jog, um movimento semelhante ao trote, mas mais lento e confortável. A origem deste movimento é fácil de compreender. Antigamente, os cowboys tinham que percorrer longas distâncias e compreensivelmente preferiam proteger as suas nádegas evitando que o cavalo trotasse intensamente. Assim, recorriam a um trote vagaroso e confortável. Ainda hoje, o segurar as rédeas com uma mão e o jog são aspetos muito apreciados pelos cavaleiros que praticam a equitação western.

Que disciplinas de equitação western existem?

A equitação western é conhecida principalmente pelas apresentações em competições. A disciplina reining, que deverá integrar os próximos Jogos Olímpicos, é a mais famosa entre as disciplinas da equitação western. Neste exercício os cavalos giram os membros posteriores fazendo os conhecidos spins. Fazem igualmente círculos de galope e paragens com as rédeas soltas. Outra disciplina espetacular da equitação western é o cutting, ou seja, a captura do gado. Existem disciplinas menos conhecidas, como por exemplo, o pleasure, trail e horsmanship. Os saltos não fazem parte da equitação western, pois a sela usada neste desporto não é adequada. Esta equitação parece fácil e relaxada. No entanto, a formação e treino do cavalo e cavaleiro é demorada e tem de ser consistente.

O que deve ter em conta antes de decidir que tipo de equitação escolher?

Após compreender as diferenças no tipo de equitação, deve ter em conta as suas preferências. Assim, deve decidir se prefere um cavalo maior, como os que são usados na equitação clássica, ou um mais pequeno e fácil de manusear? Sente-se mais confortável se mantiver contato constante com o cavalo ou prefere montar com as rédeas mais soltas? Igualmente importante é saber se gostava de participar em competições. Se sim, sente-se mais atraído pela elegância da equitação clássica ou pela velocidade das competições de equitação western? Para clarificar as suas dúvidas, pode visitar escolas de equitação clássica e de equitação western e assistir a algumas aulas.

Entre o romantismo do velho oeste e a elegância clássica

A escolha do tipo de equitação também depende do estilo de vida do cavaleiro. As vivências da equitação clássica são diferentes das da equitação western. Se procura um toque de aventura e o romantismo do velho oeste americano à volta da fogueira, vai sentir-se mais em casa com cavaleiros western. Visto que, em geral, os cavaleiros de equitação clássica têm preferências algo mais sofisticadas.

Artigos relacionados
Artigos relacionados

Os nossos artigos mais relevantes

Equitação para adultos

A equitação é um desporto muito popular entre os adultos. Ganhe coragem para andar a cavalo porque vale mesmo a pena!