Dormir com o meu gato, é uma boa ideia?

aspectos positivos e negativos de dormir com o gato na cama

Entre os amantes dos gatos é bastante comum permitirem ao seu patudo dormir na mesma cama que eles. Porém, as opiniões sobre esta questão não são consensuais.

Ao longo deste artigo iremos apresentar-lhe os prós e os contras deste comportamento. A partir daqui, a decisão é sua – descubra qual a opção que faz mais sentido para si e aja em conformidade com o seu pequeno felino.

Quais os aspetos positivos de dormir com um gato?

Como qualquer fã de gatos sabe, aconchegar-se com o seu gatinho tem muitos aspetos agradáveis:

  • Fortalece os laços entre humanos e animais, além de que tanto o ronronar como a proximidade têm um efeito relaxante sobre o nosso sistema nervoso. Não é por acaso que se diz que os solteiros que partilham a casa com um gato são muito mais relaxados do que aqueles que não o fazem.

 

  • Os adeptos da partilha deste espaço defendem que os gatos contribuem para a paz interior e para a tranquilidade nos humanos. O facto de o gatinho escolher os cobertores da cama para fazer a sesta ou saltar para a cama de manhã para dar os bons-dias ao dono (ou para o lembrar que a tigela da comida está vazia) tem um efeito positivo no nosso bem-estar geral. O ronronar tem propriedades curativas sobre as pessoas e a tranquilidade transmite-se do animal para o dono.

 

  • Neste contexto é importante salientar que não é tarefa do animal compensar qualquer tipo de carência do dono. O que importa é o bem-estar de ambos, em partes iguais. As circunstâncias são ideais quando tanto o animal como o dono gostam de se aninhar junto do outro.

Os gatos neutralizam as energias negativas e querem apenas o melhor para os donos

  • A teoria afirma que os gatos apresentam tendência para se focarem nas áreas de interferência das casas ou nos pontos mais fracos das pessoas. Fala-se de um caso particular em que, de manhã, o gato estava deitado em cima da cabeça do companheiro da sua dona. De acordo com esta teoria, esta atitude seria pouco elogiosa para a pessoa.

 

  • Uma abordagem esotérica aponta que os gatos diminuem e neutralizam a chamada “energia negativa” dos seus companheiros de duas patas. Os gatos não são afetados, e, assim sendo, podemos admitir que estes animais têm um impacto positivo nas energias da casa.

 

  • Muitos gatos demonstram um cuidado especial pelos seus queridos humanos (o que se costuma dizer em relação aos cães) e têm interesse em sentir que estão bem. É claro que atitudes destas têm um efeito benéfico em quem partilha o lar com o animal, sobretudo ao notar que o gatinho percebe os seus estados de espírito e está lá para o “ouvir”.

 

 

katze im bett

Como combinar hygge e higiene?

O termo hygge está muito na moda! É usado para descrever a sensação de bem-estar que sentimos ao estar num sítio acolhedor a realizar uma atividade de que gostamos. E como conjugar hygge e higiene? Neste caso em particular, é importante não esquecer que os gatos podem ter parasitas e transmiti-los à sua família de duas patas.

Se o animal for vacinado e desparasitado regularmente, esta questão é menos problemática. Seja como for, tanto os gatos de exterior como os que saem de casa podem trazer para a cama parasitas de outros animais. A proximidade permite que os parasitas sejam transmitidos aos humanos.

Em determinados livros de odontologia são descritos casos em que o processo de reabsorção dentária ocorre com maior frequência do que o normal em donos de gatos. Porém, estas conclusões não são definitivas.

Uma cama aconchegante é uma boa solução

A partir da enorme seleção de camas acolhedoras para gatos temos a certeza de que encontrará a ideal para o seu gatinho passar as noites – e, muito provavelmente, grande parte do dia!

Se desde o primeiro dia no seu novo lar o dono deixar bem explícito ao animal que este não está autorizado a dormir na sua cama, a verdade é que o gato o aceitará sem problemas. Por outro lado, se a decisão é tomada com o passar do tempo, é natural que não seja bem aceite. Assim sendo, é fundamental, sempre que possível, introduzir a regra desde o início e proporcionar ao gatinho um espaço aconchegante para dormir.

 

Na sua cama própria, o animal irá sentir-se seguro e protegido dia e noite, além de salvaguardado das correntes de ar. Um local para dormitar é de grande importância para o bem-estar do seu felino.

 

Quando instituído, perder este hábito pode ser uma grande dor de cabeça, tanto para o dono como para o animal. Porém, através de abordagens de reforço positivo, possivelmente na forma do treino com clicker ou com snacks, tudo é possível.

O que devo ter em conta ao permitir que o meu gato durma comigo?

A desparasitação trimestral é tão importante quanto certificar-se que o seu pequeno felino está livre de ectoparasitas e de pulgas. No pior dos casos, estes parasitas podem transmitir a doença de Lyme aos humanos. Além disto, lembramos que não apenas parasitas como também doenças bacterianas podem ser transmitidas às pessoas e desencadear problemas de saúde. Em conclusão: todos os aspetos positivos da proximidade entre gato e dono se podem transformar em negativos.

 

Ao permitir que o gatinho durma na sua cama, deve adotar uma rotina de limpeza mais séria do que o normal, já que os gatos largam, de forma natural, muito pelo. São necessários cuidados especiais se algum membro da família for alérgico ou asmático – neste caso, é aconselhável renunciar, tanto quanto possível, à presença do gato na cama.

Não permita que o gato permaneça na cama das crianças. Ao colocar uma rede protetora é possível evitar que o animal salte para a cama dos mais novos durante a noite. Ao longo do dia, os seus filhos podem mimar e brincar com o gatinho tanto quanto ambos queiram – e aqui devem ser aplicadas as mesmas medidas de higiene.

 

Independentemente da sua decisão, desejamos-lhe tudo de bom na companhia do seu pequeno felino!

Os nossos artigos mais relevantes