Comida para gatos de exterior

Comida para gatos de exterior

Comida para gatos de exterior

Comida para gatos de exterior: Exigências nutricionais dos gatos

Os gatos não são todos iguais. Por exemplo, gatos que passem a maior parte do tempo fora de casa têm exigências nutricionais diferentes daqueles que vivem dentro de casa. Se a esta variável somarmos outras, como a raça e a idade, encontrar a comida perfeita para o seu gato pode ser uma tarefa complicada. Os gatos de exterior devem seguir uma dieta especificamente concebida para satisfazer as necessidades dos seus elevados níveis de atividade física.

Liberdade para explorar

Não importa se o seu gato passa apenas umas horas no jardim ou se passa dia e noite fora de casa: os gatos de exterior precisam de estar fisicamente preparados para enfrentarem as diversas condições meteorológicas – frio, calor, chuva ou vento. Por outro lado, é natural que os gatos de exterior se cruzem com outros animais durante as suas explorações diárias, o que significa que é essencial terem um sistema imunitário forte de forma a estarem protegidos perante a possibilidade de contágios de doenças. O corpo do seu gato é forte o suficiente para enfrentar pequenas lesões por si só, mas para isso é imprescindível que esteja bem nutrido. Animais que gostem de explorar o ambiente em seu redor podem chegar a fazer varios quilómetros por dia, requerendo, portanto, uma dieta de elevado valor energético para assegurarem a satisfação das suas necessidades nutricionais.

A comida que oferece ao seu gato de exterior deve abarcar todas estas exigências. Existem, felizmente, diversos tipos de comida especialmente confecionados para gatos que passam a maior parte do tempo ao ar livre. Estes alimentos apresentam um elevado teor proteico e contribuem, portanto, para que o seu felino mantenha a sua musculatura forte. Além disso, a proteína tem a vantagem de ser a principal fonte de energia dos gatos, já que são animais carnívoros por natureza. Ao comprar comida para o seu gato, certifique-se de que esta apresenta na sua composição carne em grande quantidade, além, claro, de um equilíbrio adequado entre vitaminas e minerais; assim, o animal mantém-se saudável e conseguirá fazer frente às infeções. As vitaminas, os antioxidantes e os prebióticos estimulam beneficamente o sistema imunitário do seu gato.

Muitos dos alimentos para gatos de exterior são enriquecidos com vitamina B, composto que favorece uma pelagem saudável. É também comum a adição de ingredientes funcionais, contribuindo estes para a saúde das articulações e dos dentes. Além disso, estes alimentos devem incluir taurina, um aminoácido essencial para o organismo dos gatos, já que estes são incapazes de o produzir em quantidade suficiente.

Identificar a alimentação correta

Na demanda pela comida mais adequada para o seu gato assegure-se de que a composição desta é adequada à sua natureza carnívora.

No habitat natural, as presas dos gatos são os ratos. Se analisarmos a composição nutricional do rato, comprovamos que é um animal formado por cerca de 85% de carne e apenas 5% de componentes vegetais, procedendo estes do seu trato digestivo. Numa análise de maior profundidade, descobrimos que um rato possui entre 50 a 60% de proteína, entre 20 a 30% de gorduras e apenas entre 3 a 8% de hidratos de carbono. Neste sentido, se tomarmos o rato como o exemplo de dieta a seguir, percebemos que a alimentação do seu gato deverá ser rica em proteínas, possuir uma quantidade moderada de gorduras e um baixo teor de hidratos de carbono.

É essencial que o seu gato ingira elevadas quantidades de carne e apenas uma dose limitada de hidratos de carbono, em prol da sua saúde. É por isso que os subprodutos de origem vegetal e animal devem estar presentes em quantidades muito reduzidas. Ainda que os gatos precisem de vísceras na sua dieta, se a etiqueta do produto que pretende comprar contém o termo «carne e subprodutos de origem animal», esta referência pode esconder muitos tipos de subprodutos, como alguns órgãos não apropriados para a alimentação do seu gato, como o fígado, o baço, os chifres ou o pelo.

Ainda que não se conheçam os efeitos dos potenciadores de sabor e dos conservantes no organismo dos gatinhos, tenha em mente que os aditivos artificiais podem causar alergias em alguns gatos. Infelizmente, estes ingredientes encontram-se presentes na maioria dos alimentos para gatos. O açúcar é outro componente que não deve estar inserido na alimentação do seu gatinho, pois pode sobrecarregar os rins e estar na origem do problema da diabetes.

Comida crua e a que cozinhamos nós mesmos

Se é o típico dono que gosta de preparar a comida do seu gato em casa, não pense que é o único. A dieta BARF (Comida Crua Biologicamente Apropriada), que se traduz por uma alimentação à base de carne crua e de vísceras, juntamente com suplementos artificiais ou naturais, está a tornar-se numa prática cada vez mais comum entre os donos de cães e gatos. Ao preparar a comida do seu gato, sabe exatamente os ingredientes e compostos utilizados, o que é bastante útil no caso de o seu gato ter alergias ou intolerâncias alimentares. É, porém, importante levar em conta as necessidades nutricionais específicas do seu gato se pensa em iniciar uma dieta BARF ou uma dieta baseada em comida confecionada por si. Posto isto, não se esqueça de recolher informação e falar com o seu veterinário atempadamente.

Relativamente à nutrição do seu gato, não deve apenas prestar atenção à comida. Os gatos são geralmente clasificados como «animais do deserto», visto que se hidratam especialmente a partir dos alimentos e somente bebem diretamente do seu bebedouro. Não obstante, alimentar o seu gato com ração pode constituir um problema, já que pode facilmente desidratar, caso não seja estimulado a beber mais. Enquanto que a comida húmida para gatos pode conter até cerca de 80% de água, a ração pode conter, no máximo, até 8%. Em média, o seu gato deveria beber 45 ml de água por cada quilo de peso, pelo que um gato de 5 kg precisaria de 225 ml por dia. É essencial controlar a quantidade de água que o seu gato bebe diariamente e incentivá-lo a beber mais, caso não chegue ao valor mínimo recomendado. Os gatos preferem água fresca, pelo que uma boa opção será investir numa fonte de água para gatos. Pode deixar vários bebedouros com água dentro de casa ou espalhados pelo jardim para que o seu gatinho tenha sempre água à sua disposição.

Como pode ver, não é assim tão complicado praticar uma alimentação correta com o seu gato de exterior. Bom apetite!

Os nossos artigos mais relevantes