Enjoos dos cães em viagem

Enjoos dos cães em viagem

Enjoos dos cães em viagem

Os animais também enjoam nas viagens

Alguns de nós, humanos, não fomos feitos para os meios de transporte modernos, seja o automóvel, o autocarro, o barco ou o avião, nos quais nos sentimos mal; alguns organismos toleram apenas veículos puxados por cavalos ou somente bicicletas. Tal pode também aplicar-se aos nossos companheiros de quatro patas.

Como reconhecer os enjoos nos animais?

Se for habitual durante as viagens o seu cão mostrar-se apático, cansado, a bocejar frequentemente, a salivar mais do que o normal e até a vomitar, então é certo que não se dá bem a viajar e enjoa. O estímulo desencadeador pode ser o movimento do automóvel ou o medo do som desconhecido da condução. E mesmo um animal que goste de viajar pode vomitar a sua comida favorita pouco tempo depois de entrar no veículo. Podemos afirmar que a sobriedade durante as viagens é benéfica tanto para humanos como para animais.

É possível familiarizar animais a viagens de automóvel?

Tanto os cachorros como os cães seniores apresentam maior tolerância a viagens de automóvel, sendo que a estratégia passa por torná-las familiares desde o início. Durante o primeiro “testdrive“ os mimos e as palavras de conforto são especialmente importantes; no final, deve recompensar o animal – no caso dos cães, experimente proporcionar-lhes um passeio ou um momento de brincadeira. As viagens seguintes devem ser gradualmente maiores. Ao oferecer ao animal o tempo que este precisa para se habituar verá como rapidamente terá na sua companhia um fantástico copiloto!

O que fazer se o animal continuar a sentir-se desconfortável?

Animais mais sensíveis podem precisar de uma pequena dose de medicação no início das “aulas de condução“. O médico veterinário prescreverá o medicamento adequado – sem esquecer que se encontram igualmente disponíveis remédios naturais e homeopáticos. No caso destes últimos, o tipo homeopático do animal tem importância, pois, dependendo do tipo e do comportamento, os seguintes remédios podem ser considerados: Apomorphinum muriaticum, Borax, Cocculus, Hyoscyamus, Nux vomica, Passiflora incarnata, Petroleum, Tabacum. No que diz respeito às plantas, o gengibre é altamente recomendado e encontra-se disponível nas farmácias na forma de cápsulas. Estas substâncias têm a vantagem de não ter efeitos secundários. Logo que o seu cão se habitue ao automóvel poderão viajar juntos sem estas “bengalas“.

Fatores a ter em conta durante a viagem com o seu cão

Ao deslocar-se com o animal de automóvel com destino a umas férias mais prolongadas, a viagem deve ser interrompida com frequência com pausas para beber água e para pequenos passeios. Além disso, certifique-se que a circulação de ar é suficiente e evite a acumulação de calor. E é claro – não se esqueça das recomendações feitas acima!

Os nossos artigos mais relevantes